Página Inicial
Clipping - Comvest
  19/01/2011


Estudantes consideram prova de física a mais difícil da Unicamp (Globo.Com – G1 Vestibular – 18/01/11)

Estudantes ouvidos pelo G1 disseram que as questões de física da prova de ciências da natureza do último dia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foram as mais difíceis dos três dias de vestibular. Além de física, a prova desta terça-feira (18) reuniu, ainda, perguntas de química e biologia. Candidata a uma vaga ao curso de engenharia agronômica, Geovanna Garcia Ghiraldi, de 18 anos, afirmou que conseguiu responder as 24 questões, no entanto, teve mais dificuldade na parte de física. "Caiu até física moderna. Agora estou aliviada, mas tenho de controlar a ansiedade e esperar os resultados." Para Lays da Cunha Camargo Furtado, de 21 anos, que quer estudar gestão de políticas públicas, disse que a prova estava bem formulada e as perguntas de física, muito complexas. "Exigiram assuntos que não caíram em outros vestibulares. Foi mais difícil que a prova de física da Fuvest. Tinha de dominar muito o assunto e não consegui responder todas." Andrei Maris Reina, de 18 anos, candidato ao curso de ciências sociais disse que para responder a prova de física o estudante tinha de saber muitas fórmulas de cor, além de ser bom em cálculos.



Contextualização da prova do 3º dia da Unicamp pode ter atrapalhado em química, dizem professores  (UOL – Vestibular _ 18/01/11)

Os professores de cursinhos ouvidos pelo UOL Vestibular consideraram que as provas de ciências da natureza da segunda fase da Unicamp 2011, aplicadas nesta terça-feira (18), foram bem contextualizadas, mas que isso pode ter atrapalhado no exame de química. Veja os comentários por disciplinas:



Ainda no Ensino Médio, estudantes levam a sério prova da Unicamp  (Terra- Vestibular – 18/01/11)

"Boa sorte Gabi", falou o assessor de empresa Dorival Cardoso, que teve autorização dos fiscais para acelerar a motocicleta 150 cilindradas e 'entregar ' a filha Gabriela Cardoso em frente a Unip, no Swift, em Campinas quando faltava menos de um minuto para as 13 horas, quando é fechado o portão. "Ela é treineira em Biologia, mas não queria perder a prova. Dia de semana o trânsito é complicado e viemos de moto", disse, depois de acenar e se assegurar que a menina estava sã e salva dentro do prédio. Treineiro é o candidato que ainda não terminou o colegial e presta o vestibular para treinar.  Ao contrário de outros dias, não houve casos de atrasos. Às 12h50 os fiscais se perfilaram em frente ao único acesso à Unip e, a todo veículo ou pessoa que se aproximavam, os gestos em direção ao relógio era para que se apressassem pois estava na hora do vestibular começar. "A gente mora longe e chega bem adiantado, e as pessoas que moram aqui mesmo perdem a hora. Esquisito isso?", perguntou o comerciante Antonio Pereira de Carvalho, que viajou todos esses dias quase duas horas para percorrer o trajeto entre Campinas e Jacutinga, no sul de Minas Gerais para trazer a filha ao vestibular da Unicamp. Precavido, conta que saiu "às 10 horas e pouquinho" de casa e veio dirigindo tranquilo, sem afobação.



Estudantes acham questões de Física difíceis  (IG – Educação – 18/01/11)

A última prova da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Ciências da Natureza, aplicou 24 questões dissertativas e interdisciplinares de Biologia, Química e Física. Estudantes que deixam a Universidade Paulista (Unip) do Paraíso, maior local de provas em São Paulo, relatam que as questões de Física foram as mais difíceis de resolver. “Física foi disparada a parte mais difícil, porque pedia muita fórmula”, reclama Marcela Guercke, de 17 anos, que tenta uma vaga em Odontologia. Guilherme Prizzo, de 17 anos, candidato a Engenharia Mecatrônica, faz coro: “Física estava muito complicado. Exigia muito raciocínio”. O iG em parceria com os Professores do Cursinho da Poli apresenta a correção comentada da prova. Os exames dos dias anteriores também estão disponíveis na página para consulta. Para Hugo Cantañed, de 22 anos, a prova da Unicamp estava difícil “como sempre”. Na opinião do estudante, o nível de dificuldade mais alto estava nas questões de Física. Química estava regular e biologia fácil. “Mas estou bastante confiante”, afirma o estudante. Rogério dos Santos, de 27 anos, foi o primeiro a deixar o prédio da Unip. Ele afirma que sofreu com Física, mas deixou somente uma questão em branco. 

Tempo foi o maior adversário no último dia de provas (IG - Educação – 18/01/11)

Depois de Unesp e Fuvest, chegou ao fim o vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), encerrando-se, assim, os grandes processos seletivos do Estado de São Paulo. Apesar do alívio em finalmente poder curtir as férias, os estudantes concluíram a segunda fase da Unicamp reclamando da dificuldade, principalmente, das provas de Física e Química. Na avaliação dos professores do Cursinho da Poli, o exame não foi difícil, mas longo. Segundo eles, o grande problema era o curto tempo para resolver todas as questões. “Os alunos tinham que resolver 24 perguntas em quatro horas, isso significa dizer que são 10 minutos por questão dissertativa, algo a ser criticado”, explica o professor de física José Roberto Braz Paião. Bassam Ferdinian, da mesma disciplina, concorda. Para ele, a prova não pode ser considerada difícil já que é para o pública que chegou a segunda fase. “O problema é, realmente, o tempo”, diz. Em relação ao conteúdo, ambos afirmam que, embora de mesmo nível, o exame desse ano foi muito mais rico e bem elaborado do que o do ano passado.



Professores consideram prova longa, mas bem elaborada  (O Estado de S.Paulo – Educação – 18/01/11)

Enunciados longos, mas bem elaborados, foram características apontadas por professores de cursinho de São Paulo para descrever o último dia de provas da 2ª fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Com 24 questões dissertativas, o exame desta terça-feira, 18, abordou os conteúdos das ciências da natureza – física, química e biologia. Para o coordenador de física do curso Objetivo, Eduardo Figueiredo, os enunciados "complexos e longos" de todas as questões do exame, com dois itens cada, fizeram com que o tempo se tornasse curto. “A parte de química foi a mais difícil por causa da complexidade das questões. Abordaram fenômenos atuais, ligados ao cotidiano, que fogem um pouco do conteúdo tradicional a que o aluno está habituado”, afirma Figueiredo. “A Unicamp está contextualizando tanto que uma questão que teria resolução fácil passa a ser difícil.” A prova de biologia, na avaliação do coordenador, foi de mais fácil resolução. “Foram enunciados mais curtos, e os conceitos abordados não eram tão profundos”, afirma ele. Sobre a prova de física, Figueiredo comenta que a questão 22 gerou dúvidas por não ter colocado parênteses para separar unidades de medida. “A correção deveria interpretar as duas possibilidades, mesmo que uma delas fique fora da realidade.” Para ele, embora a resolução seja relativamente curta, a prova teve questões mais difíceis que no ano passado. Está bem mais contextualizada, tem contas difíceis e enunciados complicados. O aluno tem de ler com muito cuidado e estar muito bem preparado." Ronaldo Moura de Sá, coordenador de física do Anglo, considerou a prova exigente. 

Acabou, graças a Deus!  (O Estado de S.Paulo – Rotina de Estudante – 18/01/11)

Graças a Deus, acabou hoje a temporada de vestibulares, com a última prova da 2ª fase da Unicamp. Não aguento mais, estou muito cansada dessa maratona. Daí hoje à noite eu vou encontrar o pessoal do cursinho no metrô e vamos comemorar, em algum barzinho, talvez. Fiquei muito nervosa na 2ª fase da Fuvest. Para mim, as provas foram mais difíceis que as do ano passado, então espero que caia a nota de corte do meu curso, Administração. Todos os cursinhos disseram que o vestibular foi complicado, exigiu mais do aluno. Senti isso na pele, quase passei mal. Uma coisa que me deixou triste é que senti o mesmo desenvolvimento na Fuvest deste ano. Como estava mais preparada, acho que as provas estavam num nível acima. Estou rezando para a nota cair… O dia em que mais me ferrei foi o terceiro, das provas específicas, por causa da matemática. Fiz todas as quatro questões, mas, somando, acho que fiz, na verdade, uma questão e meia. No primeiro dia, achei o tema da redação mais simples que o do ano passado.

Último dia da Unicamp tem abstenção de 9,7% (O Estado de S.Paulo – Vida& - 19/01/11)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) encerrou seu vestibular 2011 com índice de abstenção geral de 9,7%, pouco maior que o registrado no último dia de provas da segunda fase no ano passado (9,3%). Os exames foram aplicados em 21 cidades brasileiras, desde domingo. Ontem, foram aplicadas as provas de Ciências da Natureza. Dos 16.644 aprovados para concorrer às 3.444 vagas em 66 cursos, 1.626 deixaram de fazer as provas de ontem.



Unicamp termina a segunda fase com 9,7% de abstenção  (Correio Popular – Cidades – 19/01/11)

As provas da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) terminaram ontem. A abstenção foi de 9,7%, o correspondente a 1.626 candidatos, que concorrem a 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Os estudantes resolveram 24 questões de ciências, que consideraram as mais difíceis. Reformulado nesta edição, o vestibular da Unicamp teve menos mudanças na segunda fase. Na avaliação do coordenador da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), Renato Pedrosa, as provas correram como esperado. “A logística funcionou bem e a qualidade das provas estava boa. O grau de dificuldade e questões acadêmicas ainda vamos avaliar”, afirma. Pedrosa garantiu que não serão necessárias novas mudanças no formato. “Caso seja preciso, vamos fazer alguns ajustes finos”, diz. Na próxima semana, entre os dias 24 e 27 de janeiro, os candidatos aos cursos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais, dança e música devem fazer as provas de habilidades específicas.  Os candidatos devem consultar as orientações específicas,como locais e horários, na página da Comvest: www.comvest.unicamp.br. A primeira lista de aprovados será divulgada no dia 7 de fevereiro.



Para cursinhos, tempo foi pouco no 3º dia de vestibular da Unicamp (Folha Online – Educação – 18/01/11)

Para terminar as questões de ciências da natureza, no terceiro e último dia da segunda fase da Unicamp, quatro horas foi pouco tempo, avaliaram cursinhos pré-vestibulares. As provas desta terça-feira foram de química, física e biologia, todas com grau elevado de complexidade. O terceiro e último dia da segunda fase terminou hoje com 9,7% de faltosos. O número é superior aos 9,3% registrados no ano passado. Gabaritos dos três dias de prova da segunda fase estarão disponíveis a partir de quinta-feira no site da Comvest. Candidatos a cursos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais, dança e música ainda fazem, entre os dias 24 e 27, as provas de habilidades específicas.

Candidatos vindos da rede pública são maioria na UEMS (Folha Online – Educação - 18/01/11)

Na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), exceção é quem não veio da rede pública. Dos cerca de 7.500 estudantes matriculados em graduações da instituição, só 22% são oriundos de escola particular. Além disso, segundo levantamento da UEMS, 89% dos alunos vêm de famílias cuja renda mensal é de até cinco salários mínimos. Só para comparar, entre os aprovados na Fuvest em 2010, 26% eram de escola pública e apenas 28% tinham renda familiar mensal de até cinco salários mínimos. Segundo Márcia Regina Alvarenga, pró-reitora de graduação, a distribuição dos cursos em cidades pequenas favorece o acesso dos moradores de baixa renda. A universidade tem 15 campi no total. A sede fica em Dourados (224 km de Campo Grande). De acordo com as avaliações mais recentes do governo federal, o curso de direito do campus de Dourados é o maior destaque da instituição, com nota máxima no Enade (exame que mede a qualidade das graduações).

Último dia da 2ª fase teve provas complexas  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 19/01/11)

Segundo avaliação dos cursinhos, quatro horas foi pouco para terminar as questões de ciências da natureza no último dia da segunda fase da Unicamp. As provas de ontem foram consideradas complexas. O índice de abstenção foi de 9,7%. Gabaritos da segunda fase estarão disponíveis a partir de amanhã no site da Comvest.

2ª fase da Unicamp tem provas difíceis  (Folha de S.Paulo – Fovest – 19/01/11)

Os dois primeiros dias de provas da segunda fase da Unicamp, que começou no domingo, trouxeram questões bem elaboradas e com grau de complexidade mediano ou alto, afirmam cursinhos ouvidos pelo Fovest. O primeiro dia teve conteúdos de português e matemática. Para os professores, o tempo foi apertado, já que todas as questões tiveram pelo menos dois itens. Na análise de Carlos Shine, do Etapa, a prova de matemática, por exemplo, foi ficando mais difícil e trabalhosa ao longo do exame. Na prova do primeiro dia, houve dois erros de digitação confirmados pela Comvest, a organizadora do vestibular. Em um dos casos, embora os fiscais tenham avisado sobre a correção, a Comvest afirma que as duas respostas possíveis serão válidas. O outro erro, segundo a comissão, não deve comprometer o entendimento do texto. A prova do segundo dia, que trouxe questões de ciências humanas, artes e inglês, foi considerada bem difícil por professores de cursinhos. "Havia perguntas bem complexas. Foi mais difícil tirar a resposta do próprio texto", diz Daily de Matos Oliveira, professor do Objetivo. No domingo, o índice de abstenção foi de 8%, pouco inferior ao do primeiro dia da segunda fase do ano passado. Já na segunda-feira, fechou em 9,3%. Até a conclusão desta edição, ainda não havia sido realizado o terceiro e último dia de provas, com questões de ciências da natureza. A cobertura completa do exame pode ser conferida no Blog do Fovest, em www.folha.com.br/blogdofovest. A primeira chamada sai no dia 7 de fevereiro, às 12h.



Respostas devem sair amanhã (Jornal Agora – Dicas – 19/01/11)

Cerca de 15 mil estudantes passaram ontem pelo terceiro dia de provas da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). O processo seleciona os alunos que preencherão as 3.444 vagas da universidade e da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). Os cadernos de provas já estão disponíveis no site da Comvest. A partir de amanhã, serão publicadas, no mesmo site, as respostas esperadas pela banca para cada questão. Dessa forma, os alunos poderão comparar as respostas com o seu desempenho.