02/03/2006 / Em: Notícias

 

Em alguns cursos, participação de estudantes de escolas públicas mais do que dobrou

Em tempos de discussão no Congresso Nacional sobre cotas nas universidades para estudantes vindos de escolas públicas, o Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS) da Unicamp conseguiu mostrar, pelo segundo ano consecutivo, que funciona. O total de estudantes egressos de escolas públicas matriculados na Unicamp em 2006 foi 31,96%, número maior do que a demanda desses estudantes, que representaram 31,31% dos inscritos no Vestibular.

O PAAIS é um programa de ação afirmativa sem cotas. O programa, aprovado pelo Conselho Universitário (Consu) da Unicamp em 2004, prevê que estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública brasileira recebam automaticamente 30 pontos a mais na nota final da segunda fase. Candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas também podem ter, além dos 30 pontos adicionais, mais dez pontos acrescidos à nota final.

Desde a sua implantação no Vestibular 2005, o número de estudantes de escolas públicas aumentou em 39 dos 56 cursos da Unicamp. Em alguns cursos, a quantidade de alunos egressos de escolas estaduais mais do que dobrou em 2006. É o caso de Midialogia (um dos mais concorridos da Unicamp, com 39 candidatos por vaga). Em 2005, 10% dos matriculados em Midialogia eram estudantes vindos de escolas públicas, já em 2006, eles representaram 33% dos matriculados. Além de Midialogia, a participação de matriculados vindos de escolas públicas, em comparação com a média dos estudantes ingressantes nos Vestibulares de 2004 e 2005, dobrou em mais 6 cursos: História, Medicina (Famerp), Letras (Licenciatura), Música (Licenciatura), Medicina (Unicamp) e Ciências Sociais (Integral).

Para o coordenador da Comvest, Leandro Tessler, o mais importante dos dados do Vestibular 2006 é que eles se mantiveram parecidos com os dados do Vestibular 2005, primeiro ano do PAAIS. “Em 2005 havia uma demanda reprimida, por isso tivemos uma procura maior de estudantes de escolas públicas. Neste ano, a demanda caiu, mas conseguimos manter a proporção de ingressantes de escolas públicas”.

Vale lembrar que em dezembro de 2005, a Comvest divulgou o resultado de uma pesquisa que mostrou que o desempenho dos ingressantes de escolas públicas é melhor do que dos demais alunos. A Comvest acompanhou o desempenho acadêmico dos alunos ingressantes em 2005 ao longo do primeiro semestre. Foram analisados 2829 alunos ingressantes, dos quais 931 foram beneficiados pelo PAAIS. Em 44 dos 55 cursos da Unicamp o desempenho dos beneficiados pelo PAAIS melhorou em relação ao resultado obtido no Vestibular. Em 29 desses cursos o rendimento acadêmico dos beneficiados pelo PAAIS foi superior ao de seus colegas. (leia mais sobre a pesquisa).

Candidatos de Escolas Públicas:
Vestibular 2004: 31,36%
Vestibular 2005 (Primeiro ano do PAAIS): 34,11%
Vestibular 2006: 31,31%

Matriculados de Escolas Públicas:
Vestibular 2004: 27,97%
Vestibular 2005 (primeiro ano do PAAIS): 34,10%
Vestibular 2006: 31,96%

Veja tabela com os dados do Vestibular Unicamp 2006, separados por curso. Estudos Literários e Música (Licenciatura) não têm dados comparativos, já que foram criados no Vestibular 2006.