Projetando ou gerenciando

A atuação do engenheiro químico vai além do estritamente
técnico

O engenheiro químico é um profissional capaz de atuar em projeto, construção e operação de uma planta industrial, na qual materiais sofrem transformações químicas, físicas e/ou biológicas. Ele deve atuar com criatividade, tendo como ramo de conhecimento especial o desenvolvimento de um processo a partir de estudos feitos em laboratório até a sua produção em larga escala. Para isso, emprega a matemática, a física, a química, a biologia e a arte da engenharia, a fim de resolver problemas técnicos de modo seguro e econômico, buscando minimizar também os impactos ambientais gerados pelo processo.

Cada vez mais, o engenheiro químico tem atuado em diferentes áreas do conhecimento em parceria com profissionais de diversos ramos, que vão além das ciências exatas. O curso de Engenharia Química da Unicamp visa a formar profissionais com um perfil generalista, capazes de atuar nas diversas etapas de um processo industrial, desde a sua concepção, projeto de equipamentos, operação e controle dos processos e controle de qualidade dos produtos até segurança e meio ambiente, vendas e marketing, análise técnico-econômica de processos, assistência técnica e desenvolvimento de novos produtos e aplicações.

As atividades profissionais do engenheiro químico também envolvem aspectos ligados à modelagem matemática e simulação de processos, essenciais aos procedimentos de otimização dos processos sob os mais diversos pontos de vista. Esses aspectos incluem redução do consumo de matérias-primas e energia, redução da geração de efluentes e a maximização dos lucros, visando sempre a alternativas para obter produtos de maior qualidade, operando processos mais eficientes, com um menor custo e dentro das normas ambientais impostas pela legislação. As atividades profissionais do engenheiro químico estão intrinsecamente ligadas a aspectos científicos, econômicos e sociais. Ele poderá ainda atuar em centros de pesquisas governamentais ou de empresas, para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias, e também em atividades docentes de ensino superior.

Uma dúvida muito frequente entre os vestibulandos é a diferença entre os cursos de Química e Engenharia Química. Enquanto o químico atua basicamente em laboratórios, realizando experimentos e análises químicas, desenvolvendo novos materiais e propondo novas reações para obter produtos químicos, o engenheiro químico atua diretamente no desenvolvimento e operação de processos químicos em escala industrial, dimensionando equipamentos e definindo as etapas do processo produtivo. Para realizar estas atividades tão distintas, o bacharelado em Química tem um foco maior em disciplinas ligadas às ciências fundamentais (química, física, biologia e matemática), enquanto o curso de Engenharia Química, embora necessite dessas mesmas ciências, trabalha mais com conceitos aplicados aos processos químicos, envolvendo disciplinas como fenômenos de transporte, termodinâmica e operações unitárias. A capacidade de projetar, operar, controlar e aperfeiçoar equipamentos e processos químicos industriais é o que distingue o engenheiro químico do químico.

O curso
O curso de Engenharia Química acompanha a excelência da Unicamp e foi recentemente classificado dentre os 100 melhores do mundo. O diferencial do curso, reconhecido internacionalmente, está na formação de profissionais generalistas, o que possibilita sua atuação nos mais diversos ramos.

O curso é oferecido nos períodos diurno (integral) e noturno. Ambos são idênticos em relação ao conteúdo das disciplinas, contam com o mesmo corpo docente e utilizam a mesma infraestrutura. Diferem apenas em relação ao tempo de integralização: para o curso diurno são sugeridos dez semestres e para o noturno, 12. O currículo do curso foi planejado de forma a assegurar uma formação profissional que atenda ao mercado de trabalho atual.

O curso de Engenharia Química da Unicamp é um dos melhores e mais concorridos do Brasil e já por vários anos consecutivos tem sido premiado com a mais alta classificação de qualidade concedida por instituições que avaliam os cursos superiores no País. É importante ressaltar, também, o grande número de atividades extracurriculares que o curso oferece e que complementam a formação pessoal e profissional dos alunos, tais como: estágios, intercâmbios acadêmicos no exterior, cursos, empresa júnior etc.

Outro diferencial é o excelente histórico de internacionalização, que permite aos alunos realizarem parte de sua graduação em países europeus, nos Estados Unidos e na Austrália, através de programas de bolsas.

Áreas de atuação
Embora as indústrias químicas, petroquímicas, de açúcar e álcool, cimenteiras e de papel e celulose sejam os principais espaços de atuação para o engenheiro químico, o profissional vem sendo requisitado para atuar em outros setores, como mercado financeiro, marketing, desenvolvimento e gestão de negócios, logística, controle de qualidade e também em questões ligadas à área ambiental, graças principalmente à sua formação generalista, seus conhecimentos de métodos matemáticos e de ferramentas computacionais. As áreas ambiental e de produção de bioprodutos, como, por exemplo, o biodiesel, contam cada vez mais com a presença e a atuação de engenheiros químicos.

 

 

 

 

Relação cand/vagas
1ª fase – 35,0
2ª fase – 6,0

 

 

 

 

Vida Acadêmica

 

 

 

 



Galeria de imagens
FACULDADE DE ENGENHARIA QUÍMICA