01/09/2010 / Em: Clipping

 


Literatura é fonte de prazer  (Folha de S.Paulo – Fovest – 01/09/10)

OS PRINCIPAIS EXAMES vestibulares do país decidiram há um bom tempo estabelecer listas de livros cuja leitura seria obrigatória para os candidatos a uma vaga nas instituições. A ideia era evitar que os estudantes saíssem do ensino médio sem ter lido nenhuma obra, coisa que os alunos conseguiam (e alguns ainda conseguem) fazer. Hoje, com a internet a todo o vapor, pululam resumos e análises dos livros das tais listas. Muitos estudantes fazem uso desse tipo de material e, assistindo a aulas “especiais” sobre os livros em escolas e cursos pré-vestibulares, têm uma ideia daquilo que as bancas examinadoras podem perguntar -para tanto, seus professores estudam as obras e as entregam lidas, mastigadas, interpretadas etc. Alguns dos mestres ainda tentam fazer isso com humor na tentativa de tornar palatáveis ao gosto de hoje obras de quaisquer épocas e autores. Aqueles que frequentam as aulas sem ler os livros podem até passar no vestibular -se forem alunos aplicados, absorverão as informações necessárias para a prova. Resta saber se estarão, assim, estimulados a se tornarem leitores da literatura ou apenas a terão transformado em mais uma matéria do estressante vestibular. É provável que os estudantes estejam empanzinados de dicas sobre os tais livros -talvez fosse até bom que os lessem virgens de tantas explicações e análises, colhendo as próprias impressões sobre eles. O que lhes permitirá desenvolver a destreza na interpretação será justamente o exercício constante da leitura (que não deve começar às vésperas do vestibular!), a busca de associações entre as obras literárias, bem como entre outras anifestações do espírito, tais como as artes plásticas e a música -isso tudo sem se esquecerem de situar historicamente as produções artísticas, na busca da compreensão do modo como viviam as pessoas quando as gestaram e quando suas criações vieram a público. Se for mesmo verdade -e tudo leva a crer que sim- que a poesia nasce da dor, perdem tempo aqueles que, a pretexto de atrair a atenção dos alunos, travestem de comédia todo e qualquer texto literário. Promover associações entre as diversas informações disponíveis parece ser um caminho mais proveitoso para estimular a leitura dos textos literários pelo que eles têm de realmente prazeroso e importante, que é a possibilidade de provocar indagações e de propor respostas a elas, num constante diálogo entre sensibilidade e inteligência. A todos, bom mergulho no prazer do conhecimento!

THAÍS NICOLETI DE CAMARGO é consultora de língua portuguesa do Grupo Folha-UOL.

PÚBLICAS DE SP   (Folha de S.Paulo – Fovest – 01/09/10)

Começam hoje as inscrições para o vestibular misto da Unifesp, que seleciona para 15 cursos, incluindo medicina. Nesse vestibular, a nota do Enem representa 1/3 da pontuação final, e o restante é dado pela prova da Unifesp. A inscrição custa R$ 80 e deve ser feita até o dia 30 pelo site www.vunesp.com.br. Já o prazo da Fuvest, que faz prova para USP e Santa Casa, termina no dia 10. A taxa é de R$ 100, e a ficha está disponível em www.fuvest.br. Na Unicamp, a inscrição custa R$ 120 e vai até 8 de outubro, no site www.comvest.unicamp.br.
Também neste mês começa a inscrição da Unesp, que sai por R$ 110 e deve ser feita em www.vunesp.com.br, de 8 de setembro a 8 de outubro.