02/12/2018 / Em: Clipping

 

Unicamp aplica 1º vestibular indígena neste domingo para 610 candidatos; veja como é a prova (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)

Exame será aplicado a partir das 13h, horário de Brasília, e universidade estadual oferece 72 vagas em 27 cursos de graduação. Veja perfil dos candidatos, curiosidades e orientações.

 

A Unicamp aplica na tarde deste domingo (2) o primeiro vestibular índigena da instituição para 610 candidatos que disputam 72 vagas em 27 cursos de graduação. O processo seletivo está entre as medidas implementadas a partir deste ano pela universidade estadual com objetivo de aumentar a inclusão social e a diversidade étnica e cultural. A prova começa às 13h – horário de Brasília (DF). O exame tem fase única e será aplicado em Campinas (SP), Dourados (MS), Manaus (AM), Recife (PE) e São Gabriel da Cachoeira (AM) – cidade esta para onde a reportagem do G1 viajou junto com integrantes da comissão organizadora (Comvest) para acompanhar de perto este processo seletivo histórico e produzir uma série de reportagens, em parceria com a EPTV, afiliada da TV Globo. Leia mais.

 

 

Cidade mais indígena do Brasil aplica neste domingo o vestibular da Unicamp; FOTOS (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)

Chegou o dia. Universidade Estadual de Campinas faz provas em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas.

Veja as fotos.

 

 

Preconceito e modernização indígena: veja como foi a prova do vestibular da Unicamp (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)

Candidatos do inédito vestibular realizado pela Universidade de Campinas tiveram cinco horas para responder 50 questões alternativas e escrever uma redação na fase única realizada neste domingo (2).

 

Assim como o prometido, a prova do primeiro vestibular para indígenas da Unicamp, aplicada neste domingo (2), levou em consideração o cotidiano e experiências dos candidatos, com enunciados curtos e diretos. Foram abordados temas como preconceito e modernização dos povos indígenas. Em uma das questões, a Unicamp contrapõe a informação de que projetos de lei no Congresso Nacional pretendem endurecer as regras contra as invasões de terra com a imagem de uma indígena que questiona quando os territórios de seus povos serão desocupados. As mudanças dos hábitos alimentares de indígenas, influenciados após o contato com a população em geral, também estão presentes em duas questões. Leia mais.

 

 

Jovens indígenas saem de aldeias pela 1ª vez e viajam 4 dias de barco para fazer vestibular da Unicamp (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)

 

Para Suellen, Eucicleide, Lurdiane, Cleimara, Genivau e alguns outros jovens indígenas, o vestibular realizado neste domingo (2) para ingresso na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), independentemente do resultado, será inesquecível. Residentes de aldeias do interior do Amazonas, eles saíram de suas comunidades pela primeira vez na vida e viajaram de barco por até quatro dias para realizar o processo seletivo inédito, específico para indígenas, na capital Manaus. “É minha primeira vez viajando. Nunca tinha saído de lá, e vim só para fazer a prova mesmo. Foi incrível, radical, bastante legal. Já valeu pela viagem. Mesmo que não passe, já conheci Manaus.”, comemora a jovem da etnia Ticuna, Lurdiane Agostinho Rocha, que navegou quatro dias de Benjamin Constant até Manaus para investir no sonho de cursar farmácia e retornar à aldeia para ajudar seu povo. Leia mais.

 

Identificação com prova, confusão com horário: como foi o primeiro vestibular indígena da Unicamp (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)z

Candidatos que realizaram a inédita prova neste domingo (2) elogiaram o conteúdo do teste, voltado para a comunidade; em Manaus e São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, diferença para o horário de Brasília atrapalhou. Abstenção ficou em 41,96%.

 

O inédito vestibular indígena da Unicamp, realizado neste domingo (2), agradou aos candidatos, que disseram se identificar com a prova, mas a confusão com o fuso horário deixou muita gente para fora nas cidades de Manaus (AM) e São Gabriel da Cachoeira (AM). Dos 457 inscritos nas duas cidades, 283 compareceram. Para Daniela Patrícia Villegas Barbosa, que sonha com uma vaga em midialogia, o vestibular da Unicamp acertou ao formular as questões da prova, e a oportunidade de realizar o teste em São Gabriel da Cachoeira (AM) foi “histórico para a população indígena”. Leia mais.

 

Vestibular indígena da Unicamp: candidatos, fiscais e auxiliares pedem proteção em paróquia no Amazonas (G1 – Campinas e Região – 02/12/2018)

Estadual de Campinas faz, neste domingo, o primeiro processo seletivo para esta população desde a fundação da universidade na segunda metade da década de 1960.

 

Horas antes de a Unicamp aplicar o primeiro vestibular voltado para a população indígena, fiscais, auxiliares e candidatos participaram de uma missa na Paróquia São Gabriel, em São Gabriel da Cachoeira, cidade amazonense considerada a mais indígena do país. A Olga Ferreira, da etnia Tukano, vai atuar no vestibular como auxiliar, mas fez questão de pedir proteção na missa nesta manhã de domingo (2). “É importante ter a união entre o branco e o indígena, cada um respeitando suas individualidades”, disse ela. O Richard Wilson Andrade de Souza é candidato para uma vaga de engenharia agrícola. Antes de encarar as 50 questões do vestibular, o jovem foi pedir proteção divina na missa. “Este vestibular é um sonho pra mim, uma grande oportunidade”, disse ele. O indígena é da etnia Baré. Leia mais.

 

 

 

Unicamp aplica provas do primeiro vestibular indígena da instituição

Objetivo é de aproximar as formas de ingresso no ensino superior de estudantes com características regionais e culturais

 

A Unicamp aplica neste domingo (2) o primeiro vestibular indígena da história da instituição. As mais de 70 vagas de 34 cursos diferentes serão disputadas por 610 inscritos. Para diminuir o número de ausências devido à dificuldade de deslocamento dos candidatos de diversas etnias, as provas ocorrerão em cinco cidades: Campinas (SP), Dourados (MS), Manaus (AM), Recife (PE) e São Gabriel da Cachoeira (AM). Esta é a primeira vez que uma universidade pública oferece vestibular em São Gabriel da Cachoeira, que fica a 850 quilômetros de Manaus. As provas começam a ser aplicadas às 13h. Serão 50 questões de múltipla escolha, além da redação, para os futuros enfermeiros, administradores, farmacêuticos, engenheiros, geógrafos e arquitetos. De acordo com a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), o curso com maior concorrência é enfermagem, com 95,5 candidatos por vaga, seguido por farmácia, com 23,5 candidatos/vaga. A escolha dos cursos foi feita após consultas a líderes de comunidades indígenas para se descobrir o maior interesse da população. Leia mais.