02/06/2011 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga calendário de transferência  (Gazeta do Povo/Curitiba  –  Vestibular – 01/06/11)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) abrirá no dia 23 de agosto de 2011 as inscrições do Processo Seletivo Aberto para as Vagas Remanescentes 2012 na Universidade. As inscrições poderão ser feitas até o dia 2 de setembro, exclusivamente na página eletrônica da Comvest (www.comvest.unicamp.br).  As vagas oferecidas serão divulgadas no início das inscrições. Podem se inscrever no processo alunos matriculados em cursos de graduação da Unicamp e de outras instituições de ensino superior, além de portadores do diploma reconhecido de curso superior diferente do curso pretendido. As informações sobre os programas das provas e critérios de avaliação de cada curso já estão disponíveis na página da Comvest na internet. O processo se realizará em três fases: Exame de Conhecimentos Gerais (ECG), Análise de Compatibilidade de Currículo e Prova Específica de Conhecimento.  Além dessas três fases, há provas de Habilidades Específicas para os seguintes cursos: Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música.



Uma verdade sobre a USP   (Revista Época –  Colonistas/Nossa Sociedade – 01/06/11)

Eu acho que a sociedade brasileira deveria possuir um respondedor automático. Assim: toda vez que surgisse uma mentira importante e descarada, o respondedor aparecia na mídia para corrigir. Não estou falando de opiniões, divergencias ou questões polêmicas. Estou falando de inverdades que circulam, ganham musculatura e se transformam em entidades veromissíveis, que as pessoas passam a levar a serio e preocupar-se com elas. Por exemplo: ontem, li a entrevista de um de nossos economistas midiáticos, esses que vivem de plantão para dar duas ou três declarações sobre qualquer assunto para acomodá-lo numa visão de mundo conservadora, onde ele fazia uma afirmação repetida muitas vezes: “nossas universidades públicas servem aos ricos.” Não acredito naquela frase do Goebbels, para quem uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade. Não custa observar: se isso fosse mesmo verdade, Hitler não teria sido derrotado, certo? Mas as vezes as mentiras chegam perto de mudar de natureza. Um desses casos envolve a presença de pobres e ricos nas universidades, em especial na maior e mais importante entre elas, a USP. Quantos leitores deste blogue acreditam que a USP é uma universidade de ricos? Muitos. Quem sabe a maioria.