03/04/2012 / Em: Clipping

 


As graduações campeãs de desistência   (Gazeta do Povo/Curitiba – Vida na Universidade – 30/04/12)

Em média, dois em cada dez estudantes brasileiros desistem do curso superior que iniciaram. Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) indicam que as graduações com maior índice de evasão são Processamento da Informação (36%), Marketing (35%) e Ciências da Computação (32%). Porém o ranking dos campeões de desistência não é o mesmo para todo o país, o quadro varia conforme o estado e a universidade. Embora as instituições de ensino não divulguem os números oficiais, é consenso entre pró­-reitores e coordenadores das faculdades que os cursos que têm mais vagas remanescentes são aqueles com menor procura no processo seletivo. “Nos cursos com baixa demanda, os índices de desistência chegam a 30%”, diz o coordenador­executivo da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), Maurício Klenke. Na Universidade Federal do Paraná (UFPR), por exemplo, entre os cursos com maior porcentual de evasão estão Ciências Econômicas, Física e Filosofia, que, além da baixa relação candidato/vaga – entre 2 e 4 –, têm baixas no tas de corte no vestibular. “Nos cursos mais concorridos, em que o estudante precisa se dedicar muito para entrar, a desistência é muito mais baixa. É o que acontece com Medicina, por exemplo”, explica a pró­reitora de Graduação da UFPR, Maria Amélia Sabbag Zanko. De acordo com o Inep, o índice de desistência de Medicina no país é de 4%.



Cresce o número de brasileiros com diploma universitário, diz censo   (Globo.Com – G1 Vestibular – 02/05/12)

O número de brasileiros com diploma universitário deu um salto em uma década, segundo dados do IBGE. Em 2000, 4,4% da população havia concluído o ensino superior; em 2010, o índice subiu para 7,9%. De 2001 para 2010, o número de matrículas no ensino superior dobrou segundo o Ministério da Educação que atribui o crescimento à criação de bolsas e programas de financiamento. Com boas notas no Enem, Alexsandra Moreira conseguiu bolsa no Prouni e é a primeira entre seis irmãos a cursar uma universidade. “Minha família inteira está feliz com isso”, afirma Alexsandra. Assim como ela, 74% dos estudantes estão em instituições particulares. Na última década, o percentual de adolescentes de 15 a 17 anos na escola aumentou para 77,4% (em 2000) para 83,3% (em 2010). O Sudeste tem o maior número, os menores índices estão no Norte e no Sul. Apesar do crescimento, a qualidade ainda é um problema que precisa ser superado.