03/12/2008 / Em: Clipping

 


Cotas ganham popularidade  (Zero Hora –  Vestibular – 03/12/08)

O vestibular 2009 da UFSM terá 2437 candidatos cotistas a mais que no ano passado

Bastou um ano para que o sistema de cotas comprovasse a sua popularidade no vestibular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). No ano passado, foi a grande novidade do concurso. Na sua segunda edição, a participação de cotistas aumentou. Enquanto que em 2008, 38,5% do total de vestibulandos tinham se inscrito por alguma modalidade de cotas, neste vestibular os cotistas somarão 44,9% do total de candidatos. Em números, o aumento fica em 2.437 inscritos. O maior crescimento de candidatos cotistas foi na modalidade da escola pública. No ano passado, eram 6.042 inscritos. Neste, serão 8.233, quase 2,2 mil a mais. O crescimento ocorreu apesar de uma restrição ter sido inserida no manual do candidato deste ano. Em 2008, para se inscrever como cotista de escola pública, era possível ter estudado até um ano em colégio particular. Para 2009, a exigência era ter feito todo o Ensino Fundamental e Médio na rede pública. Outra modalidade de cota a elevar o número de inscritos foi a de afro-brasileiros. No vestibular 2009, serão 644, o que representa 250 a mais do que no ano passado. No caso de pessoas com necessidades especiais, o aumento não foi tão significativo. Eram 51 candidatos no ano passado e neste concurso serão 61. A única modalidade de cotas a registrar menos inscritos em relação ao ano passado será a dos indígenas. Este vestibular terá 14 índios a menos na disputa por uma vaga. Para o presidente da Comissão Permanente do Vestibular (Coperves), Edgar César Durante, o sistema de cotas ainda é recente, mas já está mostrando a sua aceitação. – O aumento ficou dentro do esperado. Fizemos mudanças no sistema que este ano incentivaram os estudantes a se inscreverem pelas cotas – destaca. Uma das principais diferenças no sistema de cotas em relação ao ano passado está na possibilidade de concorrer duas vezes. O candidato selecionado no ponto de corte para a cota que está inscrito, mas que não foi classificado, concorrerá às vagas com os candidatos não-cotistas. Neste vestibular, serão reservados 11% das vagas para afro-brasileiros, 5% para candidatos com necessidades especiais, 20% para estudantes vindos de escola pública. No caso dos indígenas, serão criadas oito vagas distribuídas nos cursos em que houver procura.