05/02/2016 / Em: Clipping

 

cid:image001.gif@01D15FFD.43678F40
Cursinho ainda é necessário, dizem alunos aprovados por cotas na USP   (Globo.Com – G1 Vestibular – 05/02/16)

Letícia Mancuzo, de 17 anos, e Raony Ferreira, de 18, saltitavam juntos na manhã da última terça-feira (2). Os dois, que se tornaram amigos ao estudarem juntos na escola pública, foram aprovados na Universidade de São Paulo: ela, em engenharia elétrica, e ele, em medicina. “Acho que as cotas para estudantes de escola pública são o que está dando certo pelo menos nesse momento. Por outro lado, mesmo com bônus, fica difícil passar passar no vestibular sem o apoio de algum cursinho”, diz Letícia.

O preconceito de Soninha Francine    (Globo.Com – G1/ Helio Gurovtiz  –  (04/02/16)

A ex-vereadora Soninha Francine, hoje coordenadora de políticas para diversidade sexual do Estado de São Paulo, prestou a primeira fase do vestibular da Fuvest no final do ano passado, para cursar gestão em políticas públicas na Universidade de São Paulo, depois desistiu de fazer a segunda fase. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal “Folha de S.Paulo”, Soninha criticou a prova nos seguintes termos: “É absurdo uma pessoa que quer jornalismo ou geografia precisar saber calcular um cosseno”.