05/09/2014 / Em: Clipping

 


Entenda as diferenças entre os vestibulares da USP, Unicamp e Unesp   (Universia Brasil – Brasil – 04/09/14)

Para os estudantes que têm o objetivo de entrar em uma universidade estadual pública de São Paulo é fundamental conhecer os exames de seleção, para estruturar o seu programa de estudo. As universidades USP, UNICAMP e UNESP possuem características muito peculiares em seus exames de seleção. De uma forma geral, todas dão ênfase para o português e procuram pessoas com uma formação generalista. Não adianta pensar que se você quer fazer Engenharia, basta entender das matérias de exatas. É bom que você mantenha aquilo que domina e crescer o seu aprendizado nas demais matérias, para chegar ao final do ano com um conhecimento equilibrado. Lembre-se que, assim como no Enem, a redação é extremamente importante em qualquer vestibular. Portanto, treine! Essa é a chave do sucesso. Agora vamos conhecer um pouco sobre os processos de cada uma delas:



MEC libera criação de cursos de Medicina em 39 municípios do País   (O Estado de S.Paulo – Educação – 04/09/14)

O Ministério da Educação (MEC) liberou a criação de cursos de Medicina em 39 municípios do País, 14 deles no Estado de São Paulo. Outras sete cidades têm prazo de seis meses para fazer adequações e, com isso, estarão também habilitadas para sediar os cursos. Os resultados fazem parte de um processo de seleção e avaliação realizado a partir de outubro do ano passado. Ao todo, 205 municípios manifestaram interesse em sediar cursos e 154 encaminharam documentação solicitada. Do total, no entanto, apenas 39 preencheram os requisitos necessários. São Paulo foi o Estado com maior número de cidades consideradas aptas para sediar cursos:  14. Em seguida, veio a Bahia, com seis . Minas e Paraná tiveram, cada um, quatro cidades aprovadas. O Rio de Janeiro teve dois municípios selecionados.



MEC anuncia mais 39 municípios que poderão receber cursos de medicina   (Folha Online – Educação – 04/09/14)

O MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta quinta-feira (4) o resultado da chamada pública de seleção de municípios que receberão novos cursos de medicina. No total, 39 foram considerados aptos e devem abrir cerca de 2.000 vagas de graduação. Uma comissão de especialistas do MEC analisou os projetos de melhoria e o conjunto da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes no município, para definir a relação.  Os municípios estão distribuídos por 11 Estados de quatro regiões e que têm como perfil população com pelo menos 70 mil habitantes e que ainda não tinham o curso de medicina. O processo de seleção e avaliação começou em 2013, com 205 municípios interessados. Desse total, 154 encaminharam a documentação solicitada e 49 foram pré-selecionados. Além dos 39 que preencheram os requisitos, outros sete municípios têm prazo de seis meses para se adequarem e três já abriram o curso. “O que estamos fazendo é invertendo o processo. Até há pouco tempo, os cursos de medicina eram demandados no MEC pelas instituições de ensino, agora nós primeiro definimos quais as regiões que devem receber esses cursos, e os municípios têm que fazer um esforço preparando sua rede de saúde para atender à prática, que é fundamental na formação”, explicou o ministro da Educação, Henrique Paim.