07/04/2016 / Em: Clipping

 


Unicamp: 47%vieram da escola pública  (Correio Popular – Cidades – 07/04/16)

Quase metade dos alunos de graduação que ingressaram na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em2016 veio da escola pública O índice passou de 30,2% em2015 para 47,6% neste ano, aumento de 57,6%. Os jovens foram beneficiados por mudanças no programa de inclusão da instituição. Dos 3.243 matriculados, 1.543 fizeram o Ensino Médio em escolas do governo, maior índice da história da instituição. O número é um pouco menor do que o de universitários de escolas públicas que foram aprovados no vestibular da Unicamp. Neste ano 1.714 alunos desse grupo passaram na universidade,51,9% do total de aprovados. Portanto, 172 desistiram de estudar na instituição. Para se ter ideia do impacto dos números deste ano, historicamente, os índices de estudantes oriundos de escolas públicas sempre giraram em torno de 30% na Unicamp e, dentro desta parcela, os matriculados auto declarado pretos, pardos ou indígenas sempre se aproximam dos  27%.A universidade está perto de atingir a meta aprovada em 2013 pelo Conselho Universitário (Consu) para a inclusão social nos cursos de graduação. Foi estabelecido que a Universidade atingisse 50% de ingressantes da rede pública até 2017. Dentro desse grupo, 35% precisam ser autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. Os números divulgados ontem são resultado de mudanças promovidas no ano passado no Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (Paais), e que foram aplicadas pela primeira vez na Unicamp. Em 2016, os pontos do programa passaram a valer também na primeira fase. Até o Vestibular Unicamp 2015 a pontuação era aplicada somente após a segunda fase. Assim, todos os candidatos que fizeram o Ensino Médio integralmente em escolas públicas receberam, neste ano, 60 pontos na primeira fase e outros 90 pontos na segunda fase. Os candidatos de escolas públicas autodeclarados pretos, pardos ou indígenas receberam além desses, outros 20 e 30 pontos, respectivamente, na primeira e na segunda fase.

Polêmica
Talvez nenhum outro processo seletivo da Unicamp tenha sido tão polêmico quanto o deste ano. O alvo das discussões é a bonificação cedida pelo Paais. Em alguns cursos, como medicina, 88% dos convocados em primeira chamada são da escola pública. Para muitos, a bonificação “desproporcional” prejudicou os alunos da rede particular, além de mascarar abaixa qualidade do ensino público e interferir na formação dos universitários, uma vez que aqueles aprovados com o bônus não conseguiriam acompanhar o ritmo da aula e impediriam a universidade de avançar nos conteúdos. Do outro lado, há quem defenda o Paais como um programa que ajuda a corrigir uma grande injustiça histórica e social, dando a alunos da rede pública a chance de concorrer em pé de igualdade. A Comvest reforça que os candidatos aprovados pelo Paais tiveram um bom desempenho no Vestibular2016 e que no caso de medicina, por exemplo, com a nota que tiraram na prova, os estudantes de escola pública passariam em qualquer outro curso da universidade, sem o bônus.



Matrícula de alunos de escola pública é recorde na Unicamp neste ano   (O Estado de S.Paulo – Educação – 06/04/16)

Quase metade dos alunos matriculados na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) neste ano estudou em escolas da rede pública. Das 3.243 vagas ofertadas, 1.543 (47,6% do total) foram preenchidas por candidatos que fizeram todo o ensino médio em escolas públicas. Esse é o maior porcentual já atingido pela universidade.



Unicamp registra número recorde de estudantes da rede pública de ensino   (Globo.Com – G1 Vestibular – 06/04/16)

Após mudanças, o número de ingressantes da rede pública no vestibular 2016 da Unicamp bateu recorde em Campinas (SP). O índice foi de 47,6%, de acordo com a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest).


 
Matrícula de alunos de escola pública é recorde na Unicamp neste ano   (UOL – Educação – 06/04/16)

Quase metade dos alunos matriculados na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) neste ano estudou em escolas da rede pública. Das 3.243 vagas ofertadas, 1.543 (47,6% do total) foram preenchidas por candidatos que fizeram todo o ensino médio em escolas públicas. Esse é o maior porcentual já atingido pela universidade.

Universidade tem nova pichação racista: ‘Tirem os pretos da Unicamp’   (UOL – Educação – 06/04/16)

“Aqui não é senzala! Tirem os pretos da Unicamp já!”. Esses são os dizeres pichados no último ato de racismo registrado no IFCH (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas) da Unicamp, em Campinas (a 93 quilômetros de São Paulo). As pichações racistas foram vistas e fotografadas nesta terça-feira (5) em um dos banheiros do instituto e tem gerado indignação entre os alunos.



Unicamp tem recorde de matriculados oriundos da rede pública de ensino   (EPTV – Virando Bixo – 06/04/16)

Após a última matrícula para o preenchimento das vagas nos cursos de graduação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) neste ano, a instituição registrou o índice de 47,6% de alunos oriundos de escolas da rede pública de ensino. Dos 3.243 matriculados na universidade em 2016, 1.543 fizeram o Ensino Médio em escolas públicas. É o maior número de matriculados provenientes da rede pública da história do vestibular da Unicamp. No ano anterior, esse grupo representou 30,2% do total de matriculados.



Unicamp tem maior número de egressos de escola pública da história   (Correio Braziliense – Eu Estudante – 06/04/16)

A Universidade de Campinas (Unicamp) recebeu neste ano 1.543 alunos que fizeram o ensino médio em escolas públicas. O índice representa 47,6% do total de matriculados no primeiro vestibular de 2016, número 17,4% maior que em 2015.No ano passado, os egressos da rede pública eram 30,2% do total de matriculados. Dados foram contabilizados depois que todas as chamadas se encerram e divulgados nesta quarta-feira (6).



Unicamp tem recorde de matriculados vindos de escolas públicas   (Veja – Educação – 07/04/16)

A Unicamp informou que 47,6% dos alunos matriculados na universidade em 2016 vieram de escolas públicas – um recorde histórico para a instituição. Dos 3.243 matriculados em cursos de graduação na Unicamp, 1.543 fizeram o ensino médio em escolas da rede pública de ensino.