08/01/2015 / Em: Clipping

 


Segunda fase da Unicamp começa nesse domingo   (CBN – Notícias – 08/01/15)

A segunda fase do Vestibular da Unicamp será realizada entre os próximos dias 11 e 13 de janeiro em 18 cidades, dentre elas, Piracicaba, Limeira, Jundiaí, Mogi Guaçu e Campinas. Estão aprovados para esta fase cerca de15 mil candidatos. A Comvest – Comissão para os Vestibulares da Unicamp – ressalta que os candidatos devem ficar atentos aos locais que foram divulgados em dezembro, já que eles não são necessariamente os mesmos onde o candidato realizou a primeira fase. Além disso, os candidatos que fizeram a primeira fase em Sumaré farão agora em Campinas. Os endereços podem ser consultados através do site www.comvest.unicamp.br.



Segunda fase da Unicamp começa no próximo domingo  (Folha Online – Educação – 08/01/15)

Os 15 mil candidatos aprovados na primeira fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) começam no próximo domingo (11) a segunda etapa do vestibular. Serão três dias de prova.  Ao todo, 15.444 candidatos participam da segunda etapa, que acontece entre os dias 11 e 13 de janeiro, das 13h às 17h. A Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp) recomenda que os candidatos deve chegar com pelo menos uma hora de antecedência. Eles concorrem a 3.320 vagas em 70 cursos de graduação da instituição. As provas serão aplicadas em Bauru, Brasília, Campinas, Guarulhos, Jundiaí, Limeira, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

País deve descumprir meta de matricular todos os jovens até 2016   (Folha Online – Educação – 08/01/15)

O país deverá descumprir a lei federal de 2009 que determina a matrícula na escola de toda a população de 4 a 17 anos até o ano que vem.  O dado mais recente aponta que o atendimento era de 94% em 2013. Entre os jovens de 15 e 17 anos, de 83%. Reservadamente, representantes de secretários municipais de Educação e técnicos do Ministério da Educação afirmam que a exigência não será cumprida –a lei não impõe sanções diretas. Com base em dados do IBGE, projeções da ONG Todos pela Educação e da Folha reforçam a avaliação e indicam que cerca de 5% da população abrangida não deverá estar na escola até 2016. Isso significaria mais de dois milhões de jovens e crianças. O percentual pode chegar a 14% se considerada só a faixa de 15 a 17 anos, onde há mais dificuldade de evolução.  O próprio ministro da Educação, Cid Gomes, em entrevista à TV Globo, indiretamente reconheceu que o prazo não será cumprido. Ele disse ser “razoável” que a universalização do atendimento para crianças de 4 e 5 anos seja feita “no médio prazo”, o que “significa um mandato [que acaba em 2018].” Gomes não citou a faixa de 15 a 17 anos.  Estados e municípios são responsáveis pelas matrículas. À União cabe o apoio.

‘Para para’  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 08/01/15)

No último domingo, a Fuvest incluiu em sua prova de português um trecho de um texto de Juca Kfouri, cujo (inter)título era “Para para”. Eis o trecho: “Numa de suas recentes críticas internas, a ombudsman desta Folha propôs uma campanha para devolver o acento que a reforma ortográfica roubou do verbo ‘parar’. Faz todo sentido. O que não faz nenhum sentido é ler ‘São Paulo para para ver o Corinthians jogar’. Pior ainda que ler é ter de escrever”.  A crítica interna a que se refere o nosso Juca é do dia 15 de setembro de 2014 e se refere a um texto que publiquei nesta Folha no dia anterior (“É preciso reformar, melhorar e simplificar a reforma ortográfica”), no qual, pela enésima vez, tentei mostrar as incríveis aberrações que há no texto do “(Des)Acordo Ortográfico”, as mesmas aberrações que expus na Comissão de Educação do Senado, em Brasília, em duas audiências públicas (a última foi realizada em outubro de 2014).



Unicamp lança dois cursos gratuitos em plataforma on-line  (IG – Educação – 07/01/15)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) lançou dois cursos on-line em parceria com a plataforma educacional Coursera nas áreas de Análise de Sistemas e Empreendedorismo.  O objetivo da iniciativa é disponibilizar a partir deste ano diversos cursos a distância e gratuitos com professores da Unicamp em áreas de grande demanda do público brasileiro. Em setembro do ano passado, além da Unicamp, o Coursera havia anunciado parceria com a Universidade de São Paulo (USP) para a oferta de cursos em português.