08/10/2010 / Em: Clipping

 


Inscrições para o vestibular 2011 da Unicamp terminam nesta sexta  (UOL – Vestibular – 08/10/10)

Termina nesta sexta-feira (8) o prazo para inscrição no processo seletivo 2011 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). As inscrições poderão ser realizadas até as 23h59 na página da Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp). O pagamento da taxa, no valor de R$ 120, deve ser feito até hoje. Serão oferecidas 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto).



Prazo de inscrição para vestibular da Unicamp termina nesta 6°  (Terra – Vestibular – 08/10/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp, Comvest, enecrra nesta sexta-feira o prazo de inscrição para o vestibular nacional Unicamp 2011. Os candidatos devem utilizar o formulário de inscrição disponível no endereço eletrônico: www.comvest.unicamp.br/vest2011/inscricao para se inscrever. A taxa é de 120 reais. O vestibular Unicamp 2011 oferece 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). O Kit do Vestibulando (Manual do Candidato e Revista do Vestibulando) é gratuito e deve ser consultado. Todos os programas exigidos para a realização das provas estão disponíveis no Manual do Candidato e na Resolução GR37/2010.



Inscrição para vestibular da Unesp e Unicamp termina nesta sexta  (IG – Educação – 07/10/10)

As inscrições para os vestibulares da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) se encerram nesta sexta-feira, dia 8 de outubro. Ambas as instituições recebem o cadastro dos candidatos pela internet. A Unesp oferece 6.484 vagas em 155 opções de cursos e a Unicamp, 3.444 vagas em 66 cursos, além de dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Para se inscrever na Unesp, os alunos devem pagar R$ 110, após realizar cadastro no site da Vunest. Quem estiver no último ano do ensino médio em escola pública do Estado de São Paulo tem direito a redução de 75% no valor da taxa. A impressão do boleto no valor de R$ 27,50 é feita nas próprias escolas, que têm senhas especificas para isso. São oferecidas vagas no vestibular para unidades da Unesp nos seguintes municípios: Araçatuba, Araraquara, Assis, Bauru, Botucatu, Franca, Guaratinguetá, Ilha Solteira, Itapeva, Jaboticabal, Marília, Presidente Prudente, Rio Claro, Rosana, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, São Vicente e Tupã. O exame será em duas fases: a primeira em 14 de novembro, com questões de múltipla escolha, e a segunda nos dias 19 e 20 de dezembro.



Terminam nessa sexta inscrições para o vestibular 2011 Unicamp  (O Estado de S.Paulo – Educação.Edu – 07/10/10)

Os candidatos a uma vaga na Universidade Estadual de Campinas têm até amanhã para preencher o formulário no site da instituição e pagar taxa de R$ 120 para concorrer a uma das 3.444 vagas em 66 cursos para o ano letivo de 2011. A inscrição só é efetivada após o recolhimento da taxa de inscrição, por meio do boleto bancário emitido ao final do preenchimento do formulário de inscrição na internet. A faculdade informa que mesmo com a greve dos bancários, o valor pode ser pago nos terminais de auto-atendimento (caixas eletrônicos), casas lotéricas e pela internet.  A universidade pede aos candidatos que consultem a situação de inscrição para se certificar de que não houve nenhum problema com o recebimento da taxa.



Vestibular: prazo para inscrições termina hoje (Correio Popular – Cidades – 08/10/10)

Termina hoje o prazo para que os interessados se inscrevam no vestibular 2011 da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os candidatos devem fazer no site das instituições e pagar uma taxa que corresponde a R$ 110,00 para a inscrição da Unesp e R$ 120,00 a da Unicamp.
Ao todo, a Unesp oferece 6.484 vagas em 155 cursos distribuídos por 28 unidades em 19 cidades do Estado de São Paulo. Já na Unicamp serão oferecidas 3.444 vagas em 66 cursos da universidade e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O exame da 1ª fase do vestibular da Unesp acontece em 14 de novembro. No dia 3 de dezembro são divulgados os resultados da 1ª fase. Já as provas da 2ª fase serão aplicadas nos dias 19 e 20 de dezembro, também em 34 cidades como na fase anterior, sendo 30 no Estado de São Paulo e Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande e Curitiba. O resultado final será divulgado em 3 de fevereiro de 2011. Já a primeira fase da Unicamp será realizada no dia 21 de novembro. Em 20 de dezembro a Comvest divulgará a lista dos que passaram para a segunda fase e os locais de prova. A segunda fase será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011. As provas de habilidades específicas da Unicamp, para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música vão ser realizadas em Campinas entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2011. A primeira chamada será divulgada dia 7 de fevereiro e a matrícula dos convocados em primeira chamada deverá ser feita no dia 10 do mesmo mês.

Mudança

No caso da Unicamp, o vestibular deste ano será diferente. As principais mudanças ocorrem no formato das provas da primeira e da segunda fase. Na primeira fase, o candidato terá que produzir três textos de gêneros diversos, todos obrigatórios. O número de questões passará de 12 dissertativas para 48 de múltipla escolha, sendo 12 de matemática,18 de ciências humanas e artes e 18 de ciências da natureza. A segunda fase será realizada em três dias consecutivos, ao invés dos quatro anteriores. Serão aplicadas três provas de 24 questões dissertativas, realizadas durante três dias consecutivos. Além disso haverá alterações de tempo e horário. A duração da prova da primeira fase passará de quatro para cinco horas. Já a duração da segunda fase está mantida em quatro horas por dia.



Unicamp e Unesp encerram nesta sexta-feira as inscrições para o vestibular 2011  (Folha Online – Educação – 08/10/10)

Termina nesta sexta-feira o prazo para que os interessados se inscrevam no vestibular 2011 da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Os candidatos devem fazer a inscrição no site das instituições e pagar uma taxa que corresponde a R$ 110 para a inscrição da Unesp e R$ 120 a da Unicamp. Ao todo, a Unesp oferece 6.484 vagas em 155 cursos distribuídos por 28 unidades em 19 cidades do Estado de São Paulo. Já na Unicamp serão oferecidas 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). O exame da 1ª fase do vestibular da Unesp acontece em 14 de novembro. No dia 3 de dezembro são divulgados os resultados da 1ª fase. Já as provas da 2ª fase serão aplicadas nos dias 19 e 20 de dezembro, também em 34 cidades como na fase anterior, sendo 30 no Estado de São Paulo e Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande e Curitiba. O resultado final será divulgado em 3 de fevereiro de 2011. Já a primeira fase da Unicamp será realizada no dia 21 de novembro. Em 20 de dezembro a Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp) divulgará a lista dos que passaram para a segunda fase e os locais de prova. A segunda fase será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011. As provas de habilidades específicas da Unicamp, para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música vão ser realizadas em Campinas entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2011. A primeira chamada será divulgada dia 7 de fevereiro e a matrícula dos convocados em primeira chamada deverá ser feita no dia 10 do mesmo mês.



Vestibular da Unicamp recebe inscrições até sexta-feira  (Tribuna de Santos – Educação – 08/10/10)

A Universidade de Campinas (Unicamp) recebe até esta sexta-feira as inscrições para o vestibular 2011. São 3.444 vagas em 66 cursos da instituição e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O kit do vestibulando (Manual do Candidato e Revista do Vestibulando) é gratuito e está disponível para consulta e impressão do site da Comvest. As inscrições devem ser feitas no site www.comvest.unicamp.br. A partir deste ano, na primeira fase, o candidato será solicitado a produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. O número de questões passará de 12 questões dissertativas para 48 questões de múltipla escolha. A duração da prova da primeira fase passará de quatro para cinco horas. A segunda fase passará a ser realizada em três dias e não mais em quatro.



Unicamp e Unesp encerram inscrições para o vestibular nesta 6ª  (Globo.Com – G1 Vestibular – 08/10/10)

As inscrições para os vestibulares da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) acabam nesta sexta-feira (8). Os interessados nas vagas da Unicamp devem se inscrever pelo site da Comvest até as 23h59. As inscrições para a Unesp devem ser feitas pelo site da Fundação Vunesp até as 16h. O pagamento da taxa das duas deve ser feito nesta sexta-feira. O vestibular da Unicamp oferece 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). A taxa de inscrição é de R$ 120. Neste ano haverá mudanças no formato das provas. Na primeira fase, no dia 21 de novembro, o candidato terá de produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória.



Último dia para participar do Vestibular 2011  (Jornal dos Concursos – Vestibulando& – 08/10/10)

Hoje (8) é o último dia para que interessados em participar do Vestibular 2011 da Unicamp se inscrevam por meio do site www.comvest.unicamp.br e paguem a taxa de participação de R$ 120.   Ao todo estão disponíveis 3.444 vagas, distribuídas entre 66 cursos da instituição e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto).



Educação precisa de salto de qualidade  (Universia Brasil – 04/10/10)

Falar nos desafios do futuro presidente da República na área de Educação é certamente entrar num tema que exigirá trabalho em diferentes partes do sistema. Afinal, não se pode ignorar a situação daqueles que já não tiveram acesso a ensino de qualidade e nem tão pouco os que ainda estão em idade escolar. Especialistas ouvidos pelo Universia sugerem que o governo federal deveria promover algumas mudanças pontuais, mas que precisa se preocupar em realizar um grande processo de melhora da qualidade, sobretudo do Ensino Básico (Fundamental e Médio) se quiser modificar o atual quadro que coloca o País em posição ruim na comparação com nações desenvolvidas. “Não há uma única coisa a ser priorizada. Existem problemas em todos os níveis”, resume Simon Schwartzman, pesquisador do IETS (Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade) no Rio de Janeiro. Segundo dados do PISA 2006 (sigla, em inglês, para Programa Internacional de Avaliação de Alunos), divulgados pela OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), o Brasil aparece na 54º na avaliação do desempenho dos seus estudantes no aprendizado de Matemática (atrás, por exemplo, de Azerbaijão, Turquia, Romênia, Chile, Argentina e Colômbia), é o 52º em Ciências (com desempenho pior do que, entre outros, Sérvia, Hungria, Estônia e Grécia) e o 49º em leitura (atrás de países como Tailândia, México, Uruguai, Bulgária, Jordânia e Indonésia). Além disso, o País ainda é atormentado pelo fantasma do analfabetismo que excluí milhares de brasileiros. “O principal da educação e é algo que vale tanto para o ensino público quanto para o privado, é a questão da qualidade, principalmente no Ensino Básico”, afirma João Cardoso Palma Filho, professor titular do Instituto de Artes – Unesp (Universidade Estadual Paulista). De acordo com dados do PNAD 2009 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a taxa de analfabetismo entre a população com mais de 15 anos é de 9,7%. Apesar da série histórica mostrar redução no índice (era de 11,5% em 2004) esse está longe de ser um problema resolvido. “O analfabetismo é um problema sim, principalmente nas regiões mais atrasadas economicamente”, diz Palma Filho. Segundo ele, além desse problema, o Brasil tem ainda outra questão ainda pior atrelada à falta de qualidade do Ensino Básico e que certamente precisará da atenção do futuro presidente. “O analfabetismo funcional é pior. Ele tem a ver com um fracasso na escolaridade”, critica o professor. A taxa de analfabetismo funcional para o grupo de pessoas acima dos 15 anos, de acordo com o PNAD, é de 20,3%, ou seja, em cada cinco brasileiros, um é analfabeto funcional. Segundo definição do IBGE, o analfabeto funcional é aquele que tem menos de quatro anos de escolaridade. Educadores usam o termo para designar pessoas capazes de ler, mas que não tem condições de entender ou interpretar o que leem.