09/01/2009 / Em: Clipping

 

 

Unicamp inicia vestibular no domingo; Terra corrige  (Terra – Vestibular – 08/01/09)

O Terra corrigirá a prova do vestibular 2009 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que inicia sua segunda fase neste domingo (11). A correção será realizada pela equipe de professores do Sistema COC e pode ser acompanhada questão por questão pela internet. 

A partir de domingo, 16.885 candidatos devem realizar as provas em 22 cidades do País.  Esta fase, que ocorre entre os dias 11 e 14 de janeiro, está constituída de oito provas de natureza dissertativa com 12 questões cada uma: Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa e Ciências Biológicas no primeiro dia; Química e História no segundo dia; Física e Geografia no terceiro dia e Matemática e Inglês no quarto dia. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) ressalta que os locais das provas não são necessariamente os mesmos da primeira fase do processo seletivo. Além dos locais, também há mudança de cidade em três casos: os candidatos que fizeram a primeira fase em Sumaré e Valinhos farão a segunda fase em Campinas; e aqueles que fizeram a primeira fase em São Bernardo do Campo farão a segunda em Santo André. Ao total, 47.066 estudantes realizaram a prova da primeira etapa do vestibular, disputando 3.434 vagas oferecidas pela universidade. O índice de abstenção foi de 4,5%, o equivalente a 2.256 vestibulandos. O exame da primeira etapa incluiu uma redação e 12 questões gerais de natureza discursiva das disciplinas do núcleo comum do Ensino Médio. Os candidatos tiveram quatro horas para a realização do teste.

Revisão-relâmpago: veja o que deve cair na Unicamp  (Terra – Vestibular – 08/01/09)

Começa neste domingo a segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Até quarta-feira, os candidatos encaram oito provas dissertativas, com 12 questões compostas de dois itens. No domingo, ocorrem as provas de biologia e língua portuguesa e literatura. Segunda-feira é o dia de química e história. física e geografia serão aplicadas na terça-feira, e o vestibular se encerra com os testes de matemática e inglês.

Em todos os dias, os candidatos terão quatro horas para desenvolver suas respostas. Daniela Migliorini, coordenadora geral do curso pré-vestibular Oficina do Estudante, de Campinas, diz que, tradicionalmente, os itens das questões têm graus de dificuldade variados. “Em muitos casos, são independentes entre si. Dessa forma, não se deve deixar de ler a questão inteira e de responder absolutamente tudo o que se sabe. Cada item correto somará pontos valiosos para a aprovação”, indica. Confira a seguir as dicas de outros professores do Oficina do Estudante para as provas do concurso:

Língua portuguesa – Segundo o professor Charles Borges Casemiro, a prova da Unicamp tem se constituído de cerca de três diferentes núcleos – a produção de texto, a análise de discurso e semântica e literatura. Nesse sentido, o vestibulando deve demonstrar sua capacidade de lidar com alguns temas da análise linguística e literária:

– Discursos não-verbais: a prova propõe uma questão envolvendo discurso não-verbal, geralmente a partir de uma charge, em que o candidado deve ser capaz de perceber a relação entre os elementos verbais e não-verbais como construtores de conteúdo crítico e humorístico.

– Processos anafóricos: localizar em pequenos discursos os elementos ou marcas textuais que permitem a recuperaçãoou a seqüencialidade do texto de forma coesa e coerente. Por vezes, o uso equivocado destes elementos apaece para que o candidado promova as correções necessárias.

– Relações lógicas: localizar em pequenos discursos as relações lógicas estabelecidas entre dois termos presentes no texto: oposição, complementação, causa e efeito, negação, etc.

– Domínios e normas discursivas: localizar os elementos ou marcas textuais característicos de diferentes tipos de discursos e das diferentes modalidades discursivas (normas culta e popular, normas profissionais, discurso religioso, discurso literário, discurso jurídico, etc) e comparar esses diferentes elementos.

– Paráfrase: reelaborar textos, dando-lhes nova forma usando outros elementos discursivos ou marcas textuais, que não os do texto dado, para produzir o mesmo sentido.

– Sinonímia: encontrar diferentes elementos ou marcas textuais produtores de um mesmo sentido.

– Ambigüidade e polissemia: encontrar em pequenos textos um elemento ou marca textual que gera dois ou mais sentidos no texto, como recurso expressivo da composição do discurso ou como problema de comunicação indesejável.

– Intertextualidade: apontar semelhanças e diferenças entre dois ou mais discursos no que diz respeito aos seus elementos e/ou marcas discursivas e no que diz respeito aos sentidos produzidos por eles.

– Figuras de linguagem: localizar figuras de linguagem em um discurso literário ou não-literário e explicá-las como elementos de produção de sentido.

– Leituras obrigatórias: na prosa e no teatro, o candidato deve ser capaz de analisar os elementos narrativos das obras – posição do narrador, detalhes de enredo, constituição de personagens, relação entre personagens, participação de personagens em determinadas cenas, identificação de elementos de ambientação (espaço e tempo), modalidades discursivas e contextualização social, econômica, política e cultural. Na poesia, o candidado deve ser capaz de analisar os elementos formais do textos – estrofação, verso, ritmo (métrica, pontuação, tonicidade), sonoridade (rima,assonâncias, aliterações etc), formas fixas, figuras de linguagem, bem como os elementos de conteúdo e contextualização social, econômica, política e cultural dos textos solicitados.

Biologia – O professor Heitor diz que, para a segunda fase da Unicamp, esperam-se questões que exigem maior elaboração por parte dos vestibulandos. “Questões que tratem de temas atuais, como células-tronco, genoma e sustentabilidade ambiental são esperados”, detalha. Outro tema recorrente nas questões da Unicamp, conforme o professor, são os hormônios do ciclo menstrual, assim como as gonadotrofinas hipofisárias que o influenciam. Sobre os animais, ele recomenda revisar o filo Artrópodes, especialmente no que se refere às características gerais das três classes principais.

Química – O vestibular da Unicamp apresenta conteúdos de forma bem distribuída, conforme o professor Mauro Ramos. Ele indica que os vestibulandos se prepararem mais para alguns assuntos como cálculos estequiométricos, equilíbrio, termoquímica, soluções e dentro da química orgânica uma especial atenção para a bioquímica e polímeros. “Vale a pena também reforçar a importância da interpretação. A Unicamp tradicionalmente traz, nos enunciados, histórias bem elaboradas e às vezes cansativas, mas o aluno deve ficar bem atento porque muitas vezes a resposta – ou uma grande dica – está no enunciado”, alerta.

História – Para o professor Marquinhos, a segunda fase segue o estilo da primeira, composta de questões dissertativas, com citações de trechos, exigindo análise, reflexões, e conteúdo dos alunos. Na maioria das vezes, diz ele, a prova segue a cronologia tradicional da História: Antiguidade, Idade Média, Moderna, Contemporânea e, normalmente, uma questão de América Espanhola e História dos Estados Unidos. Metade da prova é sobre História do Brasil. O aluno deve ficar atento às datas comemorativas com final oito e nove.

Física – Estar disposto a aprender durante a prova, a trabalhar com gráfico e com unidades diferentes e com valores não usuais são as principais dicas do professor Varella. Segundo ele, as provas costumam colocar conteúdos diferentes dos estudados no Ensino Médio e cursinho. Nesses casos, o enunciado dirá o que fazer. Ele ressalta ainda que a prova é muito criativa: “Os elaboradores gostam de exigir que se trabalhe com os prefixos das unidades. Nomes como quilo, giga, mega e micro serão normais”, avisa. Além disso, as questões podem envolver grandezas não usuais, resultando em valores “estranhos” para as nossas dimensões cotidianas. “Não estranhe. Se o valor da resposta chamar atenção, lembre-se do que trata o enunciado para tirar a prova se o valor condiz com o fenômeno descrito”, sugere.

Geografia – Em geral, as questões de geografia da segunda fase da Unicamp enfatizam aspectos sociais, econômicos e geopolíticos, de acordo com o professor Dario. Temas relacionados à economia globalizada, aos países emergentes, ao crescimento demográfico e à distribuição de renda são bastante recorrentes, assim como conflitos nacionalistas e separatistas. Segundo ele, é importante também ficar atento às novas fontes de energia, como os biocombustíveis, e às polêmicas que as envolve (por exemplo, o uso de espaços agrícolas para a produção de matéria prima energética, em detrimento da produção de alimentos). Conteúdos de geografia física, na maior parte das vezes, aparecem associados a problemas ambientais tradicionalmente trabalhados durante o Ensino Médio (efeito estufa, assoreamento de rios e lagos, impactos climáticos provenientes de desmatamentos, entre outros).

Matemática – Segundo o professor Mota, a prova da segunda fase apresenta questões bem elaboradas, exigindo do candidato conceitos mais complexos relativo ao Ensino Médio. O candidato deve rever com cuidado conteúdos envolvendo geometria plana, espacial e analítica. O professor indica ainda memorizar as fórmulas da trigonometria, assim como o Teorema Fundamental do Resto e suas conseqüências, e associá-lo às equações algébricas. “Recomendamos aos candidatos muita calma na leitura dos enunciados, respondendo efetivamente o que foi perguntado, sempre escrevendo todas as passagens que o levaram ao resultado final”, diz Mota.


Segunda fase do vestibular da Unicamp começa no domingo e vai até quarta-feira  (Globo.Com – G1 – Vestibulares – 09/01/09)

Candidatos fazem provas de todas as disciplinas.
Foram convocados 16.885 candidatos para os exames.

A Unicamp realiza a segunda fase do seu vestibular 2009 de domingo (11) até quarta-feira (14). Foram convocados 16.885 candidatos, que correspondem a 35,9% dos 47.066 que realizaram a prova da primeira fase. O G1 trará a resolução das provas elaborada por professores de cursinhos. Neste ano, houve 49.322 inscrições para 3.434 vagas em 66 cursos da Unicamp e em dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). A segunda fase está constituída de oito provas dissertativas, comuns a todos os candidatos. A prova de cada disciplina é composta por 12 questões e vale 48 pontos. Cada questão tem dois itens _em geral, o primeiro deles costuma ser mais fácil e o candidato consegue garantir alguns pontos.

Provas

A duração das provas é de quatro horas, o que dá dez minutos para resolver cada pergunta _tempo bem menor do que na segunda fase da Fuvest, em que o candidato tem 18 minutos para cada resposta. Por outro lado, um ponto a favor do candidato é que a redação, em geral, fonte de preocupação para muitos, já foi cobrada pela Unicamp na primeira fase. Será desclassificado do vestibular o candidato que ficar com zero em uma das disciplinas.