09/09/2008 / Em: Clipping

 


15 dias após demissão de reitor, Unifesp é apontada a melhor do Brasil  (Globo.Com – G1 Vestibular – 08/09/08)

Ranking foi divulgado nesta segunda-feira (8) pelo Ministério da Educação.
PUC-Rio, em 9º, é única particular top 10. USP e Unicamp não participam.

Duas semanas depois de o então reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) -Ulysses Fagundes Neto – pedir demissão do cargo junto com toda a alta cúpula da universidade por suspeitas de mau uso do cartão corporativo, ela foi apontada como a melhor universidade do Brasil, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC) – um novo indicador lançado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira (8). Das dez primeiras colocadas, nove são federais, sendo quatro do estado de Minas Gerais. A Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) é a única instituição particular que está entre as dez, segundo o índice. Ela alcançou 385 pontos na escala e está oito posições atrás da Unifesp. O ranking – que é o primeiro considerado oficial pelo MEC – separou as universidades, os centros universitários e as faculdades e institutos para evitar discrepância nos dados. Esta reportagem relata os resultados das universidades. Entre os centros universitários, o Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina (Cefet-SC), lidera. Já entre as faculdades isoladas e institutos, a primeira da lista é a Escola Brasileira de Economia e Finanças (Ebef) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio. O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), aparece na quinta colocação. Confira aqui o ranking dos centros universitários e das faculdades.  



Melhores instituições de ensino superior são privadas, diz MEC  (O Estado de S.Paulo – Vida& – Educação – 08/09/09)

Novo índice condensa desempenho de graduação e de pós; USP e Unicamp não se submeteram à avaliação.

O Ministério da Educação divulgou seu ranking provisório das instituições brasileiras de ensino superior, com notas em uma escala que varia de 0 a 500, e conceitos que vão de 1 a 5. Das dez primeiras instituições, só aparecem duas públicas: o ITA, em quinto lugar, e Unifesp, ocupando o sétimo. As quatro primeiras escolas da relação são privadas; três da FGV (Rio e São Paulo) e uma de Campinas, a Faculdade de Odontologia São Leopoldo. USP e Unicamp não tomaram parte na avaliação.


 
Vestibular – Dúvida sobre qual profissão seguir interfere na ‘hora H’  (Correio Popular – Cidades – 09/09/08)

Insegurança sobre futuro profissional prejudica desempenho na disputa por vaga na universidade.

A preocupação em deixar todas as matérias em dia para o dia do vestibular muitas vezes pode pegar os estudantes de surpresa, pois, devido à atenção integral para o preparo para a “hora H”, muitos se esquecem de um detalhe que faz toda a diferença: a profissão certa a seguir.  Mesmo com as proximidades para as inscrições dos melhores e mais concorridos vestibulares do País, muitos estudantes ainda não conseguiram definir qual o melhor curso a prestar e outros sequer sabem o que querem fazer na faculdade. A variedade de profissões no mercado hoje também não ajuda muito o candidato, que não se sente completamente seguro para decidir qual carreira seguir — e isso pode interferir negativamente na hora de realizar o vestibular.  De acordo com a psicóloga Ana Lúcia Borges, essas angústias são muito comuns e também muito esperadas nessa fase da vida. “É normal, porque nesse momento o adolescente está fazendo diversas escolhas e tem muitos desafios pela frente. Ele não está fazendo apenas a escolha profissional, mas escolhas pessoais também”, afirmou a psicóloga. O ideal, segundo ela, é que o estudante tenha em mente, já no começo do Ensino Médio, o que deseja prestar no vestibular para dar mais tempo para lapidar a melhor escolha e não se arrepender depois. “Não é aconselhável que o aluno chegue no último ano sem saber qual profissão seguir, mas isso é uma realidade comum hoje”, disse. “Contudo, nem o aluno, nem os pais deveriam se desesperar se chegar a uma situação dessa. Hoje existe uma gama muito grande de profissões e é cada vez mais difícil fazer uma escolha, pois ela pode ser para vida toda”, ressaltou Ana Lúcia. Segundo a especialista, existe uma pressão do último ano que faz com que o aluno se sinta obrigado a escolher que carreira seguir. “E as coisas não são bem assim. Cada um tem o seu tempo, seu amadurecimento pessoal. O que precisa ser feito em caso de indecisão é assumir aquela situação para si mesmo. É preciso que se tenha coragem para dizer ‘não estou preparado’, ou certo disso, não escolher qualquer coisa por impulso”, orientou a psicóloga. A dica para tentar amenizar esse sofrimento é procurar desde cedo já começar a trabalhar essa dúvida. “Esse momento é um processo inteiramente do aluno, outros não podem fazer essa escolha. Então é preciso buscar informações, se inteirar das profissões, procurar uma ajuda profissional para conhecer esse novo universo”, afirmou.

Teste vocacional

Uma boa saída para quem ainda está em dúvidas e tiver oportunidade, é fazer um acompanhamento vocacional com um especialista da área. Testes vocacionais da internet não valem, pois são muito fracos e, na maioria das vezes, são amplos demais, o que pode dificultar ainda mais na hora da decisão. Em questão de investimento, compensa mais fazer um teste vocacional do que passar por inúmeras faculdades antes de se decidir. Na maioria das vezes, é economicamente mais viável.

SAIBA MAIS
Cinco passos necessários

1º ) Ter conhecimento de si mesmo;
2º ) Reconhecer os aspectos em desenvolvimento;
3º ) Se apresentar e conhecer o universo profissional;
4º ) A partir deste conhecimento, construir critérios de escolha;
5º ) Associar tudo isso a uma projeção de vida que queira ter.

Salão oferece oportunidade para ampliar conhecimento

Outra dica para os estudantes que ainda estão indecisos sobre qual profissão seguir será o Salão das Decisões, que acontece entre amanhã e quinta-feira, das 10h às 20h, na Estação Cultura, na Avenida dos Expedicionários, na região central de Campinas. A organização da quarta edição do evento trabalha com a expectativa de atrair mais de 6 mil estudantes pré-universitários em busca de novidades no segmento educacional, novos cursos e palestras que poderão orientar sobre as carreiras mais promissoras, as melhores universidades e até dar dicas de como se sair bem nos principais vestibulares do País. Uma das novidades deste ano será um “test drive” em simulador de vôo utilizado em no curso superior de Aviação Civil das Faculdades Anhembi-Morumbi. Além de poder assistir palestras sobre carreiras, empreendedorismo e novidades nos vestibulares, os participantes do evento terão a oportunidade de procurar vagas de estágio através do Centro Integrado Empresa Escola (CIEE), que terá um estande no local. “Nosso intuito é que o aluno já se prepare para estagiar desde o primeiro ano da faculdade e adquira mais experiência na profissão”, explicou o diretor executivo da Naquim Comunicação & Eventos, organizadora do salão, Luiz Antônio Guimarães. Ao todo, 23 instituições de ensino do Interior e da Capital confirmaram presença no evento. “As instituições terão a oportunidade de mostrar suas novidades em questão de cursos, novas profissões, carreiras e os estudantes encontrarão tudo isso num só lugar. Será uma troca de experiências entre estudante e instituição”, ressaltou Guimarães. O evento será aberto ao público e os interessados em participar das palestras deverão se inscrever por meio site www.salaodasdecisoes.com.br. “Nosso objetivo é oferecer o maior número de oportunidades para os estudantes”, disse Denise Cardillo, diretora de planejamento do evento. (AAN)

Incertezas fazem parte do universo de estudantes

Às vezes, hesitação pode aumentar com a opinião dos pais sobre a decisão pessoal

Dúvidas, dúvidas e mais dúvidas. É isso que passa na cabeça da estudante Giovanna Tase, de 18 anos, que está no último ano do Ensino Médio e ainda não decidiu qual curso prestar no vestibular. Para ela, a maior dificuldade é escolher uma profissão em meio a tantas opções. “No primeiro ano queria medicina e desisti. No ano passado pensei em história ou letras. Agora, vou prestar um vestibular para nutrição com a segunda opção em letras e em outro vou tentar administração”, afirmou.
Apesar da indecisão, ela disse estar tranqüila para encarar a maratona de vestibulares. “Tenho o total apoio dos meus pais, o que é muito importante para mim. Se não passar este ano, encaro um cursinho no ano que vem numa boa”, completou a estudante do Colégio Imaculada. Para Dyanna Salim, de 17 anos, também estudante do colégio particular, a situação é um pouco mais complicada. Mesmo tendo quase certeza de que quer fazer faculdade de história, a opinião dos pais ainda a deixa confusa. “Meus pais não querem que eu faça história como a primeira faculdade. Meu pai fez e não quer que eu siga o mesmo caminho. Ele sugeriu que eu faça depois de fazer um curso de administração”, contou. Quando o assunto é futuro profissional, ela também tem dúvidas. “Eu sempre gostei de história, mas queria me formar para ser pesquisadora. E não sei se tem tanto campo assim”, lamentou Dyanna. Passando bem longe da angustiante indecisão de qual profissão seguir, o estudante Luiz Gustavo Garbosa Costa, de 17 anos, já tem na ponta da língua qual profissão a seguir desde o 1º ano do Ensino Médio. “Desde que entrei no Ensino Médio procurei conhecer todas as profissões. Acho que por isso foi fácil escolher engenharia química”, disse. Mas tanta certeza não veio por acaso. “Selecionei primeiro as profissões com que eu me identificava e depois fui por exclusão. Quando decidi por engenharia química, procurei conhecer mais, assistir palestras e ouvir a orientação de profissionais da área. Aí tive a certeza de que é isso que eu quero para meu futuro”, ressaltou o estudante.



USP e Unicamp não participam de exame e dizem discordar de metodologia do MEC (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 09/09/08)

 A USP e a Unicamp, duas das principais universidades paulistas, não participam do Enade. As instituições alegam que não concordam com a metodologia utilizada pelo Ministério da Educação e que, por serem instituições estaduais, não se consideram obrigadas a seguir a legislação federal que instituiu a avaliação.
Ontem, elas evitaram comentar o novo ranking divulgado pelo MEC, resultado da reunião das notas do Enade à avaliação dos cursos de graduação, à infra-estrutura e ao corpo docente, entre outros. Como a Folha divulgou no início de agosto, apesar da resistência, a USP já negocia com o governo sua participação no Enade. A universidade entregou um ofício com seis sugestões de mudanças, entre elas, tornar o exame universal (e não apenas com uma amostra de alunos) e uma forma de valorizar as instituições bem avaliadas. Uma das críticas da USP e da Unicamp é de o Enade, até então, criar ranking com base em cursos, isoladamente, e não avaliando toda a instituição -o que faz o IGC divulgado ontem. Sobre o índice, a pró-reitora de graduação, Selma Garrido Pimenta, disse ontem, via assessoria de imprensa, que prefere não se manifestar. Em nota, a assessoria de imprensa da Unicamp reforça a opinião de que, por ser estadual, não vê que sua participação no Enade, um exame federal, se torne obrigatória, mas sim “em caráter voluntário”. A Unicamp, ainda segundo a nota, “foi uma das primeiras universidades brasileiras a implementar um programa desse tipo”. “Está em curso na universidade, no momento, um processo de avaliação institucional” semelhante a avaliações do MEC, com calendário e parâmetros bem fixados.

O QUE PODE CAIR NA PROVA (Folha de S.Paulo – Fovest – 09/09/08)

Veja alguns temas que estiveram ou estão em alta neste ano

EFEMÉRIDES

Cem anos da morte de Machado de Assis: autor de “Memórias Póstumas” e “Dom Casmurro”, entre outras obras, o escritor nasceu no Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839 e morreu na mesma cidade, em 29 de setembro de 1908

Cem anos do nascimento de Guimarães Rosa: o mineiro nasceu no dia 27 de junho de 1908; uma de suas principais obras, “Sagarana”, é pedida na Fuvest e na Unicamp

Cem anos da imigração japonesa: em junho de 1908 chegava em Santos o navio Kasato Maru, vindo de Kobe, no Japão, com os primeiros 781 imigrantes a chegar ao Brasil

Duzentos anos da chegada da família real ao Brasil: ameaçado pela França, dom João 6º resolve mudar a corte para o Brasil; a vinda do Império Português é um marco na construção do país

Maio de 68: estudantes franceses se mobilizaram contra o autoritarismo num movimento que repercutiu mundo afora

60 anos da criação do Estado de Israel: uma assembléia da ONU em 1947 decidiu pela partilha da Palestina e a criação do Estado de Israel, mas, só no ano seguinte, Israel conseguiria sua independência

ATUALIDADES

Olimpíadas e conflito China x Tibete: no final da década de 50 a China ocupou o Tibete, que até então era uma região independente. Desde então, houve conversas para se chegar a um acordo, o que nunca ocorreu. Nas últimas Olimpíadas, no mês passado, o assunto apareceu com força na mídia mundial

Eleição norte-americana: em novembro os EUA decidirão o sucessor de George W. Bush; pode ser a primeira vez que um presidente negro assume o poder no país

Eleição brasileira: neste ano, os brasileiros escolhem os prefeitos e vereadores de suas cidades

Biocombustíveis: a discussão gira em torno do espaço que a plantação de cana ou outras matérias-primas do etanol “roubaria” da área para plantação de alimentos, encarecendo o custo da alimentação no mundo

Aniversário de 90 anos de Nelson Mandela: líder africano do movimento anti-apartheid, ficou preso durante 27 anos; libertado, foi eleito presidente da África do Sul

COMO OS TÓPICOS SÃO COBRADOS

– Provas temáticas, como a da Unicamp, abordam tópicos atuais dentro do tema principal

– Os vestibulares que pedem a leitura de Machado de Assis normalmente trazem pelo menos uma questão sobre a obra solicitada

– O tema da redação pode ser um aprofundamento sobre um dos assuntos listados no quadro