10/03/2010 / Em: Clipping

 


Unicamp publica sexta chamada do vestibular 2010; confira  (UOL – Vestibular – 09/03/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou, nesta terça-feira (9), a sexta chamada do processo seletivo 2010. Foram convocados 177 candidatos. Os candidatos convocados deverão realizar a matrícula no dia 12 de março, das 9h às 12h, na DAC (diretoria acadêmica), localizada no ciclo básico II, campus de Campinas, para todos os cursos da Unicamp. Para os ingressantes em cursos da Farmerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto), a matrícula será no setor de vida escolar, pavilhão da secretaria geral, na sede da Famerp, em São José do Rio Preto.



Com 177 aprovados, Unicamp divulga sexta chamada do vestibular  (Terra – Vestibular – 09/03/10)

A Unicamp, através da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), divulgou o nome dos 177 aprovados na sexta chamada do Vestibular Unicamp 2010. A matrícula dos convocados será realizada no dia 12 de março, das 9hs às 12hs. Veja aqui o resultado. Todos os convocados para cursos da Unicamp deverão fazer a matrícula na Diretoria Acadêmica – DAC, localizada no Ciclo Básico II, campus de Campinas, inclusive os convocados para cursos nos campi de Piracicaba (FOP – Faculdade de Odontologia) e Limeira (FT – Faculdade de Tecnologia e FCA – Faculdade de Ciências Aplicadas).



Unicamp divulga 6ª chamada do vestibular 2010  (Globo.Com – G1 Vestibular – 09/03/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta terça-feira (9) a sexta lista de aprovados em seu vestibular 2010. Os 177 aprovados devem fazer matrícula no dia 12 de março, entre 9h e 12h. Todos os convocados, inclusive os selecionados para os cursos em Piracicaba e Limeira, em SP, deverão comparecer à Diretoria Acadêmica, localizada no ciclo básico II, campus de Campinas (SP).



“Não dá para compreender o país sem entender História”  (Folha Dirigida – Entrevista – 08/03/10)

O Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou, no ano passado, a Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). A iniciativa foi a primeira no país na área de Ciências Humanas e contou com cinco fases online e uma presencial, com o envolvimento de alunos e professores na resolução dos problemas propostos. Na edição de 2009, cerca de 16 mil jovens participaram da olimpíada. A coordenadora da Olimpíada de História, Cristina Meneguello, professora da universidade, afirmou que já pensava em promover uma iniciativa na área de Ciências Humanas, que ainda não existia no Brasil. Para ela, o ensino da disciplina ainda é defasado, principalmente após a inclusão de novas matérias na grade curricular das escolas. “A hora/aula em História nas escolas é pequena, inclusive há algumas alterações no currículo com a inclusão de outras disciplinas, que são muito bem-vindas, como a Filosofia e Sociologia. Mas isto afetou a carga horária de História, que diminuiu. Há uma espécie de redução de tempos desta disciplina, que já era pequeno. E a História é muito importante não apenas pelo conhecimento em si, mas pelo raciocínio que ela estimula, de entender diferentes ações, do pensamento crítico”, comenta a coordenadora. Cristina Meneguello explica que o ensino de História estimula a leitura e o entendimento, o que facilita a compreensão do país e da realidade em que vivemos. Por isso mesmo, a coordenadora acredita que as escolas deveriam incentivar mais o aprendizado na disciplina e cita algumas medidas alternativas que podem acrescentar maior conhecimento aos estudantes. “Para melhorar o ensino de História, os professores poderiam levar seus alunos a museus e fazer trabalhos em campo. Estas medidas são importantes. Tudo que é feito no intuito de ampliar o conhecimento que os alunos têm do mundo, é positivo. Mas não é visitar por visitar, essa visita tem que ser preparada para que os estudantes ganhem algum conhecimento com esta iniciativa. Estas atividades extra-classe são muito importantes”, avalia Cristina.