12/05/2015 / Em: Clipping

 


Unicamp pretende rever políticas de inclusão   (O Estado de S.Paulo – Educação – 12/05/15)

Para cumprir a meta de 50% de calouros provenientes da escola pública até 2017, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) pretende rever suas políticas de inclusão. Internamente, são estudadas alternativas como ajustar o modelo de bônus no vestibular e o uso de cotas. Qualquer mudança depende de aval do Conselho Universitário (Consu). A Pró-Reitoria de Graduação designou, em 2014, uma comissão para avaliar novas estratégias. Segundo fonte da administração ouvida pelo Estado, a comissão sugeriu adotar, por um período, cotas sociais e raciais. O objetivo seria elevar a inclusão, especialmente em cursos concorridos, como Medicina.  Outra ideia seria privilegiar candidatos cujos pais não cursaram o ensino superior. Internamente, defende-se ainda que ajustes no atual sistema de bonificação do vestibular já trariam resultados positivos.  Parte dessas propostas deve ser encaminhada ao Consu nos próximos meses.


 Portal Rac
Unicamp pretende rever políticas de inclusão   (RAC – Educação – 12/05/15)

Para cumprir a meta de 50% de calouros provenientes da escola pública até 2017, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) pretende rever suas políticas de inclusão. Internamente, são estudadas alternativas como ajustar o modelo de bônus no vestibular e o uso de cotas. A Pró-Reitoria de Graduação designou, em 2014, uma comissão para avaliar novas estratégias. Segundo fonte da administração ouvida pelo Estado de S. Paulo, a comissão sugeriu adotar, por um período, cotas sociais e raciais. O objetivo seria elevar a inclusão, especialmente em cursos concorridos, como Medicina. Outra ideia seria privilegiar candidatos cujos pais não cursaram o ensino superior. Internamente, defende-se ainda que ajustes no atual sistema de bonificação do vestibular já trariam resultados positivos. Parte dessas propostas deve ser encaminhada ao Consu nos próximos meses. A reitoria informou que só se manifestará sobre “eventuais aperfeiçoamentos nas políticas já existentes” após o debate no órgão. Desde 2005, a Unicamp usa sistema de bônus no vestibular para candidatos da rede pública e autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPI). O programa já passou por ajustes como o aumento do bônus.



USP e Unicamp lançam cursos online gratuitos   (Veja – Educação – 11/05/15)

O Coursera, uma das principais plataformas de ensino online do mundo, lançou neste mês seus primeiros cursos em língua portuguesa. As formações, gratuitas, são ministradas por instituições renomadas, como a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Fundação Lemann. Os cursos da plataforma – com vídeos, simulações e exercícios – não têm data para começar ou terminar, o que facilita a participação dos alunos. O conteúdo é gratuito e cobra-se apenas uma taxa de 85 dólares (cerca de 300 reais) para emissão de certificado. O Coursera tem 12 milhões de usuários no mundo, sendo 500 mil no Brasil. A USP oferece dois cursos: um sobre história da contabilidade e outro sobre linguagem de negócios nessa área. O primeiro estará disponível na próxima semana e o segundo, em agosto. Outras formações da USP já devem ser abertas nos próximos meses. A Unicamp disponibiliza, a partir deste mês, um curso de processamento digital de sinais, voltado para engenheiros. A ideia é mostrar como se criam aplicativos para converter músicas, imagens, vídeos e outros sinais em formato digital. O segundo programa, para julho, mira interessados em empreender.