13/04/2011 / Em: Clipping

 


Estudantes da Unicamp mostram em livro o lado engraçado da cultura nerd  (Globo.Com – G1 Vestibular – 13/04/11)

O melhor aluno da classe também sabe contar piada. Sob este lema, três colegas de faculdade aproveitaram as brincadeiras em meio aos estudos dos cursos de estatística e matemática da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para explorar o lado bem humorado de ser um verdadeiro nerd. Os universitários Ivan Baroni, Luiz Fernando Giolo e Paulo Pourrat criaram há um ano e meio a conta @PiadasNerds no microblog Twitter. Com tiradas endereçadas aos fãs de informática, seriados de ficção científica e outras referências do gênero, eles logo conquistaram uma legião de seguidores. Atualmente são mais de 82 mil internautas devorando as pílulas de humor e sarcasmo tuitadas todos os dias. Agora, o trio lança o livro “Piadas Nerds” (editora Verus) reunindo os melhores twitts e outras piadas. O sucesso no Twitter comprovou a revanche dos nerds. “Geralmente o nerd era a piada, e não o cara que fazia a piada”, diz Giolo, de 23 anos, estudante de matemática da Unicamp. “Estamos no nosso mundo contando piadas. Quem nunca contou piada de sogra para a própria sogra?”O que é um terapeuta? São 1.024 gigapeutas.



Unicamp abre laboratórios a alunos da rede pública  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 13/04/11)

A Unicamp e a Prefeitura de Campinas (93 km de São Paulo) iniciaram ontem um programa que leva alunos do ensino fundamental aos laboratórios da universidade. Até o final do ano, cerca de 700 estudantes do nono ano de seis escolas municipais participarão do programa. Em torno de 130 alunos por vez terão aulas práticas em um dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia da Unicamp. Ontem, estudantes das escolas Raul Pila e Clotilde Von Zuben conheceram mais de perto noções como DNA, células-tronco e nanotecnologia.  “Encontramos glóbulos brancos e vermelhos. Com certeza é mais interessante ver do que ficar sentado escutando”, disse a aluna Mayara da Silva Souza, 14. “Tivemos que dar bronca em um aluno porque ele não queria passar para a próxima atividade, de tão interessado por um equipamento de física”, disse o professor Waldemar Ioriatti Junior. Segundo o secretário de Educação José Tadeu Jorge, os temas serão integrados com as disciplinas da sala de aula. “Frequentar laboratórios altamente qualificados é um reforço na aprendizagem. Além de estimular futuros profissionais”, disse. A coordenadora do programa, Sara Saad, informou que a intenção é expandir as ações. “Todo mundo já saiu de uma aula de física sem entender nada. Queremos vencer essa barreira e passar dos conceitos abstratos para um ensino que ajude no cotidiano desses alunos.”