14/10/2010 / Em: Clipping

 


Tendência é Enem substituir vestibular  (Jornal da Cidade de Bauru – Geral – 13/10/10)

O vestibular, o processo seletivo mais comum nas universidades brasileiras, pode estar com os dias contados. A tendência é que ele seja substituído pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que é realizado pelo Ministério da Educação (MEC) para medir o conhecimento dos alunos do 3.º ano do ensino médio, informou Dalton Francisco Andrade, coordenador do programa de capacitação em métodos quantitativos dos servidores do Instituto Nacional de Estudos em Pesquisas Educacionais (Inep) e professor da Universidade Federal de Santa Catarina. A substituição do vestibular pelo Enem foi um dos assuntos que reuniu em Bauru, na semana passada, estudiosos de várias partes do País no 1.º Congresso Nacional de Avaliação em Educação (Conave), promovido em parceria com a Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Bauru. O evento também discutiu políticas públicas que meçam o conhecimento e o desempenho do nível escolar dos alunos. Para isso, o Programa Provinha Brasil, método que no futuro poderá medir o nível de conhecimento desses estudantes especificamente em matemática, também foi alvo das discussões, além de avaliações como o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo, Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), entre outros. “Essas avaliações procuram medir o nível de educação básica, que é coordenada pelo Inep. Para que elas sejam comparadas, nós fazemos uso de uma teoria estatística da matemática, da psicometria. Essa teoria permite uma série de situações em que nós conseguimos, em vários tipos de avaliações, resultados comparados”, explicou o professor. Dalton ressalta que o vestibular atualmente existe, na maioria das universidades, para eliminar candidatos, e não para avaliar o seu conhecimento. “No caso de um vestibular que tem como base o processo seletivo, ou seja eliminatório, não é medido o conhecimento. Muitas questões são formuladas de forma que o aluno caia em uma pegadinha e acabe errando. Isso não é a avaliação”, opina. Ele ainda afirma que algumas universidades brasileiras, como a Universidade Federal do Ceará, já utilizam somente a nota do Enem para avaliar os alunos interessados nas vagas da instituição de ensino. “A Universidade Federal do Ceará aboliu o vestibular, só usa o Enem. Outras universidades já utilizam parte da nota do Enem junto à do vestibular. Uma coisa é você avaliar, outra é você eliminar a pessoa”, acrescentou. O professor afirma que futuramente o vestibular poderá ser substituído pelo Enem, que tem como base a teoria de resposta ao item. “A substituição do vestibular por um instrumento que usa teorias próprias de avaliação, como por exemplo essa teoria da resposta ao item, que é uma teoria utilizada no mundo inteiro, pode acontecer futuramente”.