15/09/2016 / Em: Clipping

 


Governo pode enviar MP da Reforma do Ensino Médio na semana que vem (Agência Brasil – 14/09/2016)

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou hoje (14) que, até o fim da próxima semana, o governo decide se envia ao Congresso Nacional medida provisória (MP) propondo a reforma do ensino médio, caso seja confirmada a dificuldade para aprovação de um projeto de lei sobre o tema que já está em tramitação.

Em situação crítica, o ensino médio foi selecionado como prioritário pelo governo para que sejam promovidas mudanças como flexibilização do currículo, proximidade com o ensino técnico e conexão com as áreas de interesse de cada estudante. Na semana passada, o MEC divulgou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que revelou que a meta do ensino médio está estagnada em 3,7, abaixo dos 4,3 previstos para 2015.



Ministro promete reforma do ensino médio até o fim do ano (G1- 15/09/2016)

Mendonça Filho afirma que jovens não se identificam com modelo atual de educação. Proposta é permitir que alunos escolham matérias que cursarão.

O Ministro da Educação, Mendonça Filho, disse nesta quinta-feira (15) que, se o projeto que prevê a reforma do ensino médio não for aprovado pelo Congresso Nacional até o fim do ano, o governo vai implementá-lo via Medida Provisória. Ele participou de um seminário sobre educação em São Paulo.

“Temos o receio de que no momento em que se discutem medidas tão significativas no campo econômico, a gente venha a secundarizar a reforma do ensino médio. Se percebermos, e isso foi fruto do meu despacho com o presidente Temer, que não será aprovado até o fim do ano via projeto de lei, mesmo com a urgência dada pela Câmara, vamos partir para Medida Provisória”, afirmou Mendonça.



No ciclo básico, Brasil gasta menos por aluno que países da OCDE (Valor Econômico – 15/09/2016)

SÃO PAULO  –  Relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgado nesta quinta-feira aponta que uma fatia grande e crescente do orçamento público brasileiro é destinada ao financiamento da educação.

O gasto por aluno no ciclo básico, no entanto, ainda é bem menor que a média dos países da OCDE.