17/01/2018 / Em: Clipping

 

Unicamp encerra segunda fase do Vestibular 2018 com abstenção de 12,3% (G1 – Campinas e Região – 16/01/2018)

Número é superior ao registrado no ano passado, que foi de 11,2%. Primeira chamada acontece no dia 8 de fevereiro.

A Unicamp encerrou nesta terça-feira (16) a segunda fase do Vestibular 2018 com taxa de 12,3%. O número é maior que os 11,9% do segundo dia de testes, na segunda (15), e também superior ao índice registrado no ano passado, que foi de 11,2%. Apesar do aumento, a Comissão Permanente Para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) considera que a marca está na média da instituição. Dos 15.461 candidatos inscritos, 13.566 fizeram a prova nesta terça. A segunda fase do Vestibular 2018 da instituição começou no domingo (14), com as questões de português, literatura e a prova de redação, que teve como tema a pós-verdade e a liberdade de expressão. Já na segunda-feira (15), os candidatos responderam perguntas de história, geografia e matemática. Os temas abordados foram o papel da mulher no período colonial e nazismo. Nesta terça, o vestibular foi encerrado com questões de física, química e biologia. A prova abordou assuntos como vegetarianismo, genética, meio ambiente e obesidade. Os candidatos disputaram 3.340 vagas em 70 cursos de graduação. A Unicamp aplicou a segunda etapa do processo seletivo em 20 cidades. Os testes foram feitos em Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Fortaleza, Guarulhos, Jundiaí, Limeira, Mogi Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

Primeira Chamada

A lista da primeira chamada será divulgada dia 8 de fevereiro e os convocados deverão efetivar a matrícula não presencial (pela internet) somente no dia 9 de fevereiro, exclusivamente na página eletrônica da comissão organizadora do exame (Comvest), em formulário específico. Quem não realizar a matrícula virtual ficará excluído das próximas chamadas, alerta a instituição.

Habilidades Específicas

As Provas de habilidades específicas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança serão feitas entre 23 e 26 de janeiro de 2018 em Campinas.

 

 

Último dia da 2ª fase da Unicamp tem meio ambiente, genética e vegetarianismo (G1 – Campinas e Região – 16/01/2018)

Maioria dos estudantes avaliou o nível de dificuldade da prova como esperado. Vestibular começou no domingo (14) e seguiu até esta terça-feira.

A Unicamp abordou genética, meio ambiente e vegetarianismo como temas do último dia da 2ª fase do vestibular da instituição, nesta terça-feira (16). Os estudantes responderam perguntas de química, física e biologia. Os portões abriram às 13h03 e os candidatos puderam sair a partir das 15h30. A maioria dos vestibulandos que fizeram a prova no campus da Unip, em Campinas, achou o nível de dificuldade do exame dentro do esperado. Segundo os candidatos, ainda houve questões sobre agricultura, agropecuária e obesidade. O estudante Matheus Furlan, de 22 anos, que tenta uma vaga no curso de saneamento ambiental, achou a prova tranquila, mas imaginava que fossem exígidos mais conhecimentos específicos. “Achei que tinha muitas questões de meio ambiente e pouco de conhecimento específico. Quem tem base de conhecimentos gerais e senso crítico, conseguiu fazer sem dificuldades”, opinou. Já Elis Nazar, que é formada em letras e tenta uma vaga no curso de Ciências Socias, achou a prova de física a mais difícil. “Eu sou professora de redação. Então talvez eu não seja a melhor pessoa para analisar a prova de hoje (terça), mas achei que a prova de química tratou muito de genética”, explicou. O estudante Iago Deckedorff, de 22 anos, considerou a prova dentro do esperado, mas a mais difícil dos três dias de vestibular. “Foi difícil passar na primeira fase, só estudei em escola pública. Estou na luta, achei difícil, mas dentro do padrão Unicamp”.

Asbtenções nos primeiros dias

O índice de abstenção durante o segundo dia, na segunda-feira (15), subiu para 11,9%, de acordo com a Comvest. A quantidade indica acréscimo de 0,6% sobre o índice de 11,3% registrado no domingo, primeiro dia de prova.

Primeira Chamada

A lista da primeira chamada será divulgada dia 8 de fevereiro e os convocados deverão efetivar a matrícula não presencial (pela internet) somente no dia 9 de fevereiro, exclusivamente na página eletrônica da comissão organizadora do exame (Comvest), em formulário específico. Quem não realizar a matrícula virtual ficará excluído das próximas chamadas, alerta a instituição.

 

 

Resultado do Enem 2017 deve sair às 11h desta quinta, diz Inep (G1 – Educação – 16/01/2018)

Notas devem ser divulgadas na hora do início da entrevista coletiva sobre o Enem 2017 com o ministro da Educação, diz Inep.

O resultado da edição do ano passado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2017) deve sair às 11h desta quinta-feira (18), segundo informou na tarde desta terça (16) o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Na mesma hora a presidente do Inep, Maria Inês Fini, o ministro da Educação, Mendonça Filho, e a secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães Castro, darão uma entrevista coletiva à imprensa em Brasília, para falar sobre as notas do exame. A primeira aplicação aconteceu nos dias 5 e 8 de novembro, e a segunda, voltada para pessoas privadas de liberdade (o Enem PPL), ocorreu nos dias 12 e 13 de dezembro.

Consulta individual pela internet

A nota do Enem 2017 só pode ser consultada individualmente. Para isso, os candidatos que fizeram o exame devem acessar a Página do Participante e incluir seu CPF e a senha cadastrada. Entre os dias 1º e 15 de janeiro, 300 mil candidatos do Enem trocaram sua senha no sistema, segundo informou ao G1 Camilo Mussi, diretor de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais do Inep.

 


 

Unicamp encerra 2ª fase do vestibular e surpreende com biologia exigente (UOL – Vestibular – 16/01/2018) 

A prova de biologia surpreendeu e foi considerada o destaque do terceiro e último dia da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizado nesta terça-feira (16). Os candidatos também responderam hoje às questões de química e física. Segundo professores de cursinho ouvidos pelo UOL, as questões de biologia trabalharam temas clássicos, como ecologia e genética, mas que foram cobrados de forma mais exigente. Eles classificaram o nível das questões como médio para difícil. “Biologia, que vinha sendo tranquila, nesse ano aumentou a dificuldade. Teve muita presença de gráficos, imagens. O aluno precisava ler bem o texto e mesmo as tabelas associadas para poder responder à questão”, avaliou Marcelo Dias, coordenador do curso Etapa.

 


Elogiada, Unicamp encerra 2ª fase com prova difícil e bem contextualizada (Folha de S. Paulo – Educação – 16/01/2018)

 

A segunda fase da Unicamp terminou nesta terça (16) com a prova de biologia, física e química. Após a maratona de três dias de exame, professores de cursinho elogiaram essa última etapa do vestibular, classificada como difícil e bem contextualizada. “Conseguiu fechar com chave de ouro. Foi uma prova sofistica, inteligente, em que quase todas as matérias, com exceção de matemática, trouxeram boa contextualização, exigindo conceito sem aquele conteudismo arcaico”, afirma Daniel Perry, coordenador do cursinho Anglo. Em relação a esse último dia de prova, os professores destacaram as questões de biologia e de química, avaliadas como abrangentes, bem distribuídas e bem elaboradas. “Foi uma prova conceitual, mas com poucos cálculos. O aluno tinha que ter um bom preparo acadêmico, mas não dava para ser bitolado, era necessária uma visão mais analítica”, afirma Perry. O professor Luiz Carlos Bellinello, que dá biologia no cursinho Objetivo, apontou que essas características podem ter assustado alguns alunos por ter exigido. “Exigiu, não só conhecimento biológico, mas raciocínio, bom entendimento de texto e deduções lógicas. Nossa vivência mostra que isso é meio difícil para os alunos, que hoje têm pouca leitura. Eles devem ter achado dificílima”, afirma. Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, ressaltou ainda, como ponto positivo, o grande uso de exemplos cotidianos, que conseguiram aproximar as questões da vida do candidato, como no cozimento do arroz abordado na prova de química. “Ela teve a preocupação de aproximar os conteúdos da realidade dos alunos, o que mostra uma tendência, é como será o novo ensino médio. É importante pra entender que química é importante não apenas para passar no vestibular, mas para entender aspectos do cotidiano”, afirma. Os professores apontaram apenas matemática, abordada na prova de segunda (15), como uma exceção, já que trouxe pouco contexto e ficou mais focada nas contas. “É ruim para a própria matemática esse tipo de abordagem porque não dá oportunidade de ser mais entendida”, diz Tasinafo. A divulgação dos alunos aprovados na primeira chamada está programada para 8 de fevereiro, com matrículas não presenciais no dia seguinte. Neste ano, 76.225 candidatos fizeram a prova da primeira fase, sendo que 15.461 seguiram para a segunda etapa.

 


Cursinhos elogiam vestibular Unicamp 2018 (Guia do Estudante – Universidades – 16/01/2018)

Professores explicam por que é importante que os vestibulares tragam questões contextualizadas

Foi aplicada nesta terça-feira (16) a última prova da segunda fase do vestibular Unicamp 2018, com questões de física, química e biologia. Para os cursinhos, o conjunto de provas cumpriu bem o seu papel de selecionar alunos para a universidade.  “Foi uma prova contextualizada, moderna e sofisticada que exigia do candidato o domínio de conceitos e uma visão abrangente do conteúdo”, afirma Daniel Perry, coordenador do Anglo. “O vestibular 2018 foi uma demonstração do avanço da Unicamp em vários aspectos”. A contextualização das questões foi um dos aspectos mais elogiados da prova desta terça. “Não houve temas inesperados, mas a gente vê que a banca trabalhou para aproximar a prova da realidade dos alunos”, afirma Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante. Essa aproximação se revela na contextualização das questões, que cobravam temas importantes do ensino médio aplicando-os a elementos do cotidiano dos alunos. A velocidade média em física, por exemplo, foi aplicada às esteiras de aeroportos; o empuxo, a um gigantesco iceberg que recentemente se desprendeu da Antártida. Por que a contextualização é tão importante para os professores? Célio explica: ”Um dos objetivos do novo ensino médio é capacitar o aluno para a continuidade dos seus estudos, e isso envolve habilitá-los a entrar em uma universidade”. Por isso, o ensino acaba sendo muitas vezes voltado aos vestibulares, e se adaptam àquilo que eles exigem. “O ensino médio só vai mudar se os processos seletivos mudarem. Provas que não aproximam o conteúdo estudado da realidade dos alunos não estão prestando um serviço para o avanço do ensino nas escolas”, completa.

 

 

Unicamp 2018: Baixe prova do terceiro dia da 2ª fase (Guia do Estudante – Universidades – 16/01/2018)

Candidatos responderam questões discursivas de Biologia, Química e Física

O terceiro e último dia da segunda fase do vestibular Unicamp 2018 trouxe questões discursivas de Biologia, Química e Física. Ao todo, 13.566 candidatos fizeram a prova. A abstenção registrada em toda a segunda fase ficou em 12,3%, um pouco maior que os 11,2% registrados no ano anterior. A ausência ou obtenção de nota 0 (zero) em qualquer uma das provas da segunda fase elimina o candidato. Cada questão vale até quatro pontos, sendo até dois pontos por cada item. Cada texto da prova de Redação vale até 24 pontos. As provas de Habilidades Específicas, para os cursos que as exigem, valem 48 pontos. A primeira chamada será divulgada dia 8 de fevereiro, e a matrícula deverá ser feita pela internet somente no dia 9 de fevereiro, na página eletrônica da Comvest. Quem não realizar a matrícula virtual ficará excluído das próximas chamadas do vestibular Unicamp 2018. Estão previstas até 12 chamadas.  As respostas esperadas das provas da segunda fase serão divulgadas a partir da próxima quarta-feira (17/1).

 


Elogiada, Unicamp encerra 2ª fase com prova difícil e bem contextualizada (Bem Paraná – Notícias – 16/01/2018)

A segunda fase da Unicamp terminou nesta terça (16) com a prova de biologia, física e química. Após a maratona de três dias de exame, professores de cursinho elogiaram essa última etapa do vestibular, classificada como difícil e bem contextualizada. “Conseguiu fechar com chave de ouro. Foi uma prova sofistica, inteligente, em que quase todas as matérias, com exceção de matemática, trouxeram boa contextualização, exigindo conceito sem aquele conteudismo arcaico”, afirma Daniel Perry, coordenador do cursinho Anglo. Em relação a esse último dia de prova, os professores destacaram as questões de biologia e de química, avaliadas como abrangentes, bem distribuídas e bem elaboradas. “Foi uma prova conceitual, mas com poucos cálculos. O aluno tinha que ter um bom preparo acadêmico, mas não dava para ser bitolado, era necessária uma visão mais analítica”, afirma Perry. O professor Luiz Carlos Bellinello, que dá aula de biologia no cursinho Objetivo, apontou que essas características podem ter assustado alguns alunos por ter exigido. “Exigiu, não só conhecimento biológico, mas raciocínio, bom entendimento de texto e deduções lógicas. Nossa vivência mostra que isso é meio difícil para os alunos, que hoje têm pouca leitura. Eles devem ter achado dificílima”, afirma. Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, ressaltou ainda, como ponto positivo, o grande uso de exemplos cotidianos, que conseguiram aproximar as questões da vida do candidato, como no cozimento do arroz abordado na prova de química. “Ela teve a preocupação de aproximar os conteúdos da realidade dos alunos, o que mostra uma tendência, é como será o novo ensino médio. É importante pra entender que química é importante não apenas para passar no vestibular, mas para entender aspectos do cotidiano”, afirma. Os professores apontaram apenas matemática, abordada na prova de segunda (15), como uma exceção, já que trouxe pouco contexto e ficou mais focada nas contas. “É ruim para a própria matemática esse tipo de abordagem porque não dá oportunidade de ser mais entendida”, diz Tasinafo. A divulgação dos alunos aprovados na primeira chamada está programada para 8 de fevereiro, com matrículas não presenciais no dia seguinte. Neste ano, 76.225 candidatos fizeram a prova da primeira fase, sendo que 15.461 seguiram para a segunda etapa.

 


Vestibular tem o seu ‘melhor dia’, diz professor (Correio Popular – Campinas e RMC – 16/01/2018)

Os candidatos agora devem ficar atentos ao calendário da Comvest

As provas de Biologia, Química e Física encerraram a segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Segundo a Comvest, 13.566 candidatos fizeram as provas na tarde desta terça-feira (16). A abstenção fechou em 12,3%, acima de 2017, quando a abstenção foi de 11,2%. A Comvest considerou a abstenção dentro do previsto. Diferente do segundo dia de prova, as questões desta terça vieram contextualizadas. Para o diretor pedagógico da Oficina do Estudante, Célio Tasifano, o último dia foi o que trouxe as melhores provas. Mesmo que sem surpresas, as questões aplicadas foram satisfatórias. “Não teve tema inesperado, a Unicamp trouxe temas clássicos, da realidade dos alunos. Diferente de ontem (segunda-feira), a prova mostra que o tema se aplica ao dia a dia”, diz o professor Tasifano. O professor ressalta que a prova de ontem, aplicada pela Comvest, além de mostrar que é possível a contextualização, foi a que mais avançou e se destacou entre os vestibulares de 2018. Ele ainda reforça que questões mostram como deve ser o novo Ensino Médio: “A prova teve uso de dados atuais, cita uma pesquisa aplicada em 2017. Foi a melhor prova.” Os candidatos agora devem ficar atentos ao calendário da Comvest. A primeira chamada será divulgada no dia 8 de fevereiro. Os convocados nesta chamada deverão realizar a matrícula pela internet. A matrícula só poderá ser feita exclusivamente no site da Comvest (https://www.comvest.unicamp.br/), em formulário específico. O candidato que não realizar a matrícula virtual será excluído automaticamente das próximas chamadas do vestibular. Estão previstas até 12 chamadas. As provas de habilidades específicas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança serão realizadas em Campinas, entre os dias 22 e 25 deste mês. As orientações estão na página da Comvest e no Manual do Candidato. Este ano os candidatos disputam 3.340 vagas, distribuídas em 70 cursos de graduação.

 


Elogiada, Unicamp encerra 2ª fase com prova difícil e bem contextualizada (Ricmais – Notícias – 16/01/2018)

 

A segunda fase da Unicamp terminou nesta terça (16) com a prova de biologia, física e química. Após a maratona de três dias de exame, professores de cursinho elogiaram essa última etapa do vestibular, classificada como difícil e bem contextualizada. “Conseguiu fechar com chave de ouro. Foi uma prova sofistica, inteligente, em que quase todas as matérias, com exceção de matemática, trouxeram boa contextualização, exigindo conceito sem aquele conteudismo arcaico”, afirma Daniel Perry, coordenador do cursinho Anglo. Em relação a esse último dia de prova, os professores destacaram as questões de biologia e de química, avaliadas como abrangentes, bem distribuídas e bem elaboradas. “Foi uma prova conceitual, mas com poucos cálculos. O aluno tinha que ter um bom preparo acadêmico, mas não dava para ser bitolado, era necessária uma visão mais analítica”, afirma Perry. O professor Luiz Carlos Bellinello, que dá aula de biologia no cursinho Objetivo, apontou que essas características podem ter assustado alguns alunos por ter exigido. “Exigiu, não só conhecimento biológico, mas raciocínio, bom entendimento de texto e deduções lógicas. Nossa vivência mostra que isso é meio difícil para os alunos, que hoje têm pouca leitura. Eles devem ter achado dificílima”, afirma. Célio Tasinafo, coordenador pedagógico da Oficina do Estudante, ressaltou ainda, como ponto positivo, o grande uso de exemplos cotidianos, que conseguiram aproximar as questões da vida do candidato, como no cozimento do arroz abordado na prova de química. “Ela teve a preocupação de aproximar os conteúdos da realidade dos alunos, o que mostra uma tendência, é como será o novo ensino médio. É importante pra entender que química é importante não apenas para passar no vestibular, mas para entender aspectos do cotidiano”, afirma. Os professores apontaram apenas matemática, abordada na prova de segunda (15), como uma exceção, já que trouxe pouco contexto e ficou mais focada nas contas. “É ruim para a própria matemática esse tipo de abordagem porque não dá oportunidade de ser mais entendida”, diz Tasinafo. A divulgação dos alunos aprovados na primeira chamada está programada para 8 de fevereiro, com matrículas não presenciais no dia seguinte. Neste ano, 76.225 candidatos fizeram a prova da primeira fase, sendo que 15.461 seguiram para a segunda etapa.

 


Unicamp encerra 2ª fase do Vestibular 2018 com abstenção de 12% (Super Vestibular – Notícias – 16/01/2018)

Dos mais de 15 mil candidatos, quase 2 mil não compareceram aos três dias de prova.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) encerrou a segunda fase do Vestibular 2018 na tarde desta terça-feira, 16 de janeiro, com abstenção de 12,3% dos candidatos. Foram convocados para esta segunda fase mais de 15 mil candidatos, sendo que mais de 13 mil compareceram aos três dias de provas. Esta etapa exigiu dos candidatos interpretação de textos e gráficos, boa argumentação e capacidade de contextualização. As provas da segunda fase foram compostas da seguinte forma:

– Domingo: questões de Português e Literatura, além da redação com o tema: “Pós-verdade e discurso de ódio”;

– Segunda-feira: perguntas de Geografia, História e Matemática – contextualização dos assuntos tratados nas disciplinas no cotidiano dos estudantes. Nazismo, mudanças em biomas e porcentagem estiveram presentes nas provas.

– Terça-feira: questões de Química, Física e Biologia.

Os candidatos fizeram a segunda fase nas cidades de Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Fortaleza, Guarulhos, Jundiaí, Limeira, Mogi Guaçu, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba.

PAAIS

Os candidatos que na inscrição informaram o desejo em participar do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS) tiveram o acréscimo dos bônus nas duas fases do Vestibular. Os vestibulandos que foram convocados para a segunda fase tiveram o acréscimo de 90 pontos na nota da redação e 90 em cada área desta etapa da seleção. Autodeclarados pretos, pardos e indígenas contaram com mais 30 pontos de bonificação. O PAAIS é um programa de bonificação na nota dos candidatos que cursaram todo o ensino médio ou supletivo em escolas públicas; pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) até 2016 ou pelo Exame Nacional para Cerfiticação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA).

 

Habilidades Específicas

O vestibular chegou ao fim para a maioria dos cursos. No entanto, Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança terão provas de habilidades específicas entre os dias 22 e 25 de janeiro.

Resultado

A Unicamp anunciará o resultado do Vestibular 2018 no dia 8 de fevereiro. As matrículas dos convocados serão realizadas em 9 seguinte. Outras chamadas serão realizadas até o fim o mês de março, conforme a disponibilidade de oportunidades.

Vagas

O Vestibular da Unicamp conta com 3.340 vagas em 70 cursos. A oferta é para Campinas, Limeira e Piracicaba. Mais informações no Manual do Candidato.

 


Unicamp encerra vestibular 2018 com provas de Biologia, Química e Física  (A Tribuna – Notícias – 16/01/2018)

Comvest divulgará a lista de aprovados em primeira chamada, no dia 8 de fevereiro, para matrícula não presencial no dia 9 de fevereiro

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) encerrou nesta terça-feira (16) a segunda fase do Vestibular Unicamp 2018. Ao todo, 13.566 candidatos fizeram as provas de Biologia, Química e Física. A abstenção da segunda fase fechou em 12,3%, um pouco superior aos 11,2% registrados no ano anterior. A primeira chamada será divulgada no dia 8 de fevereiro e os convocados nesta chamada deverão efetivar a matrícula não presencial (pela internet) somente no dia 9 de fevereiro, exclusivamente na página eletrônica da Comvest, em formulário específico. Quem não realizar a matrícula virtual ficará excluído das próximas chamadas do Vestibular Unicamp 2018. Estão previstas até 12 chamadas.

 


Com a nota do Enem em mãos, planeje o ingresso no ensino superior (Paraíba Total – Notícias – 16/01/2018)

Após a divulgação do resultado, o candidato tem cerca de 10 dias para fazer sua escolha de curso

A nota no Enem é a chave que abre as portas para o ensino superior por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Entre a divulgação do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o início das inscrições para cursar uma faculdade pública, o candidato tem cerca de 10 dias para fazer sua escolha no processo seletivo. Neste ano, 130 instituições estaduais e federais oferecem quase 240 mil vagas. Com tantas opções, a oportunidade para estudar de graça numa universidade pública pode estar onde menos se espera. Para obter êxito neste processo, o candidato deve traçar uma estratégia para aumentar suas chances. Antes de mais nada, é preciso conhecer as notas de cortes do curso de interesse em cada faculdade participante do Sisu. Com essa informação em mãos, dá para saber em quais instituições de ensino as chances de aprovação são maiores. Uma ferramenta de pesquisa fundamental para o estudante é o Simulador de Nota de Corte, criado pelo Quero Bolsa. Nela, estão reunidos todos os dados que o candidato precisa para avaliar as notas de corte nas instituições, incluindo o comportamento das notas nos últimos processos seletivos, as notas de corte média e mínima no estado de interesse, assim como a menor nota de corte para o curso pretendido em todo o Brasil. O site também exibe a relação de universidades que oferecem o curso pretendido com a nota de corte em cada campus e turno. Outra opção disponibilizada são as notas de corte para participação do candidato em programas como Fies e Prouni, além da busca por bolsas de estudo na rede privada.

Por onde começar

As notas de corte disponíveis neste momento são de anos anteriores, mas dão uma boa ideia da pontuação necessária no Enem para conseguir uma vaga na universidade. Com elas em mãos, siga a orientação dos especialistas do Quero Bolsa:

Faça uma lista de faculdades do seu interesse, a partir da relação apresentada pelo site. Adote critérios como proximidade, qualidade do curso, facilidade de acesso, e o que mais considerar importante.

Verifique a nota de corte de cada uma delas e compare com a nota obtida no Enem.

Divida a lista em dois grupos. No primeiro, liste as faculdades mais desejadas cuja nota de corte está um pouco acima da nota obtida no Enem. No segundo, instituições com nota de corte igual ou inferior.

Assim que iniciar o período de inscrição no Sisu, preencha o cadastro indicando como primeira opção uma das faculdades do grupo um e como segunda opção uma do grupo dois.

Acompanhe diariamente a variação das notas de corte informada pelo portal do Sisu e ajuste suas escolhas para ter sempre uma faculdade dos sonhos com chance de ingresso na primeira opção e outra com alta probabilidade de aprovação na segunda. Depois é só torcer para ser selecionado.

Notas de Corte

Entre os cursos mais procurados em instituições públicas, Medicina têm as notas de corte mais altas. No último processo seletivo era preciso mais de 768 pontos para conquistar uma vaga. Já para ingressar em um curso de Direito, o candidato deve ter como referência 676 pontos. Pontuação semelhante à exigida dos interessados em Engenharia Civil (673 pontos). Já o curso de Pedagogia exige do candidato uma nota no Enem superior a 556 pontos. “Como as notas de corte não costumam variar muito entre um ano e outro, o estudante tem uma clara noção sobre suas reais chances de aprovação numa determinada instituição de ensino ao consultar a ferramenta de busca do Quero Bolsa”, explica Marcelo Lima, diretor de relações institucionais. “Caso o desempenho obtido no Enem não lhe permita ingressar no ensino público, lembre-se que ainda há programas sociais e bolsas de estudo como opções para não deixar ninguém de fora. Neste semestre, o Quero Bolsa tem mais de 1 milhão de bolsas de estudo para cursos presenciais e a distância em todo o Brasil. Hoje sobram vagas no Ensino Superior, pois há 52% de ociosidade, segundo dados do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira)”, completa o executivo. A lista completa de cursos e notas para ingresso via Sisu, Prouni e Fies pode ser consultada em querobolsa.com.br/sisu/nota-de-corte.