17/10/2011 / Em: Clipping

 


Como estudar a 30 dias do vestibular da Unicamp (Guia do Estudante – Vestibular – 14/10/11)

Professores dão dicas de como se preparar e aproveitar bem os últimos momentos antes da prova da Unicamp

CAROLINA VELLEI
Daqui a 30 dias, mais de 61 mil estudantes farão o vestibular 2012 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que será aplicado em 13 de novembro. Com a proximidade da prova, fica a dúvida: é hora de diminuir o ritmo ou de estudar ainda mais?

Para a coordenadora do cursinho do XI, Augusta Aparecida Barbosa, o melhor é continuar com o ritmo de estudos que o aluno adquiriu ao longo ano e só parar dois dias antes da prova. “É melhor seguir a rotina para não ter a sensação de ter esquecido tudo no dia do exame”, comenta.

Mais do pensar no quanto ainda tem para estudar, a coordenadora do Cursinho da Poli, Alessandra Venturi, diz que não importa a quantidade de horas estudadas por dia. “É essencial que o tempo dedicado tenha qualidade”, afirma. Ela ainda recomenda que o aluno seja fiel ao estudo durante a hora que se propor a fazer isso, principalmente nos últimos dias.



‘Dá tempo de aprender’, diz mulher de 46 anos que vai fazer o Enem (Portal G1 – Vestibular e Educação – 17/10/11)

Engenheira largou emprego e fará prova para somar pontos na Unicamp.
Estudante de 46 anos estuda para o Enem desde agosto.

Vanessa Fajardo Do G1, em São Paulo

Depois de 23 anos sem estudar, a engenheira elétrica Angela Katayama, de 46 anos, vai voltar a disputar uma vaga no ensino superior público. Ela está entre os cerca de 5 milhões de inscritos para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que ocorre nos dias 22 e 23 de outubro. A candidata pediu demissão do emprego e abandonou a carreira de engenharia para realizar um sonho: se tornar médica.



Números à prova (Carta Capital – Política – 09/10/11)

Alexandre Pavan

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece nos dias 22 e 23 deste mês, apresenta o maior número de inscritos desde a sua primeira edição, em 1998, quando foi lançado pelo então ministro Paulo Renato Souza (1945-2011). São 6.221.697 interessados em realizar a prova que, originalmente, foi criada com o intuito de avaliar o desempenho dos alunos ao término da escolaridade básica. Com o passar dos anos, no entanto, o exame começou a ser aplicado em substituição ou como complemento dos vestibulares de acesso aos cursos profissionalizantes pós-Médio e ao Ensino Superior. Atualmente, sua atuação é abrangente e, para muitos, dispersiva.



Enem: a elite não quer ver o pobre subir na vida (Conversa Afiada – Brasil – 12/09/11)

O excelente ministro da Educação Fernando Haddad tem a mania de ver o pobre na faculdade.

E sai por aí a abrir universidades e escolas técnicas e, por isso, sofrerá, para sempre, o preconceito que a elite expressa no PiG (*).

O ENEM, como se sabe, é a banda larga para o pobre entrar na universidade.



USP, Unicamp e Unesp participarão de projeto (O Estado de S. Paulo – Educação – 16/10/11)

PAULO SALDAÑA

As 1.206 escolas de São Paulo com baixo desempenho que terão intervenção e atenção especial do governo do Estado vão contar ainda com o apoio de alunos das três universidades estaduais. Parceria com a USP, Unicamp e Unesp vai possibilitar que os alunos dessas universidades colaborem com os esforços para melhora no aprendizado nessas unidades.