18/01/2012 / Em: Clipping

 


Professores avaliam que última prova da Unicamp exigia mais tempo  (IG – Educação – 17/01/12)

Os professores de cursinhos pré-vestibular avaliaram que a prova de ciências da natureza que marcou o terceiro e último dia da segunda fase do processo seletivo para a Universidade de Campinas (Unicamp) foi difícil, trabalhosa e exigiu tempo. Especialistas em química, física e biologia acham que foi exigido esforço de interpretação e conhecimentos em cálculos. Anderson Dino, coordenador pedagógico do Oficina do Estudante, acha que principalmente as questões de química, que vinham por último, devem ter sido difíceis para os candidatos. “Pode não ter dado tempo porque exigia conhecimento mais apurado, atenção e não era rápido para resolver.”  Luís Ricardo Arruda, coordenador-geral do curso Anglo foi na mesma linha: “Estava tudo difícil, o que não é uma crítica, você está fazendo uma prova destinada a candidatos que já passaram pela primeira fase.”

Estudantes comemoram fim de vestibulares com espumante  (IG – Educação – 17/01/12)

“Feliz 2012! O ano está começando agora”, diz Igor de Arantes Oliveira Goes, de 19 anos, com um copo plástico com espumante na mão. Com um grupo de seis amigos do cursinho, ele comemora o fim da maratona de vestibulares, após a última prova da segunda fase da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que realizou na Unip Paraíso. Na tentativa de conseguir uma vaga em Medicina, Igor prestou 16 vestibulares, de instituições públicas e particulares de quatro Estados diferentes. “Tem que atirar para todos os lados e torcer para passar em uma faculdade boa. Agora vou curtir as férias e, se não passar em nenhuma, será mais um ano de estudos”, conta o vestibulando que se mudou de Santa Vitória (MG) para estudar em São Paulo.

Unicamp termina com mais uma prova difícil  (IG – Educação – 17/01/12)

A prova do último dia da segunda fase do vestibular da Universidade de Campinas (Unicamp) exigiu bastante conteúdo dos candidatos. Primeiros a sair da Unip Paraíso, maior local de prova em São Paulo, avaliam que o grau de dificuldade da prova de ciências da natureza estava de médio para difícil. Vinícius Cesarini, de 17 anos, vestibulando de Economia, avalia que havia uma questão mais fácil de cada disciplina “para ninguém zerar” e as demais eram todas difíceis. “Deixei seis questões das 24 em branco.” O colega Victor Rodrigues, 17 anos, candidato a Artes Cênicas concorda: “Hoje foi a prova mais difícil de todas.” Ao final da prova, Daniel Baraúna, de 20 anos, relaxava tocando flauta. “Achei que a prova foi bastante abrangente do ponto de vista conceitual.

Candidatos comemoram fim de vestibulares no último dia da Unicamp  (IG – Educaçaõ – 17/01/12)

Prestes a entrar em férias, os candidatos que prestam a segunda fase do vestibular da Universidade de Campinas (Unicamp) na Unip Paraíso comemoram a chegada da última prova de uma maratona de quatro meses de processos seletivos. “Eu e meus amigos vamos estourar uma champanhe aqui na frente quando acabar a prova”, conta Igor Arantes de Oliveira Goes, 19 anos, candidato a Medicina. O candidato natural de Santa Vitória, em Minas Gerais, viajou 900 quilômetros para estudar em São Paulo. Ele conta que prestou vestibular para 16 faculdades entre públicas e particulares. “Precisamos comemorar a chegada de 2012 porque até agora o ano não começou para mim”, diz. Os amigos Bruno Arruda Campos Bolcioni, 19 anos, e Marília da Silva Valério, 18 anos, comemoram juntos a chegada do último vestibular.



Prova de física da segunda fase da Unicamp foi difícil, afirmam professores  (UOL – Vestibular – 17/01/12)

Professores ouvidos pelo UOL afirmaram que as provas desta segunda fase do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) estavam difíceis –em especial, física. Alexandre Lopes Moreno, professor do Etapa, ela foi a “mais difícil das provas de física da ultima leva” – contando Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular). “Erraram um pouco a mão na complexidade. Mas foi muito bem feita, com preocupação muito grande com a contextualização”, disse. Para Ronaldo Fogo, do Objetivo, foi uma prova trabalhosa. “Os alunos devem ter sofrido um pouco nessa prova de física. As questões foram clássicas, mas com excesso de cálculos. Algumas questões tinham cálculos, e uns não muito triviais. Talvez não tenha dado tempo.” Já Zé Roberto Braz Paião, do Cursinho da Poli, acredita que o teste teve nível médio. “Tem questões mais simples, mas tem questões que, apesar de não serem difíceis demandam um tempo de resolução maior.” De acordo com Luís Ricardo Arruda, do Anglo, as três provas –física, química e biologia– estavam difíceis. “Mas esse ‘difícil’ não pode ser considerada uma crítica. “São alunos que passaram pela primeira fase, um filtro”, disse. Ele criticou o item ‘b’ da questão 2 de física. “Ela imagina uma situação que não acontece na prática.” Os candidatos ouvidos pela reportagem também elegeram a disciplina de física como a mais difícil do dia. Para a vestibulanda Patricia Yuri, 18, que deseja cursar gestão de empresas, “as questões de física estavam mais difíceis que as de matemática”. O treineiro do curso de gestão de empresas Bruno Muniz, 16, revelou que deixou de responder três questões da disciplina. “Física foi bem complicada, exigia muita decoreba de fórmulas”. Veja os comentários sobre as todas as outras provas do vestibular da Unicamp, inclusive as da primeira fase:

Último dia de provas da Unicamp foi o mais difícil, dizem candidatos (UOL – Vestibular – 17/01/12)

Os candidatos ouvidos pelo UOL nesta terça-feira (17) afirmaram que este último dia de provas da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) foi o mais difícil, quando comparado aos  dois dias anteriores do vestibular. Além disso, os entrevistados apontaram a disciplina de biologia como a mais fácil de ser respondida. “De modo geral, essa prova foi a mais difícil. Apesar de mais longo, o primeiro dia de exames foi mais fácil que hoje. Em relação as disciplinas, achei a parte de biologia muito fácil, os enunciados estavam bem compreensíveis e reflexivos”, disse Kanansue Gomes, 18, candidato a uma vaga no curso de artes cênicas. Essa opinião também é a de Caio Henrique Oliveira da Silva, 20, que concorre ao curso de economia. “Mesmo administrando melhor o tempo de hoje em relação a domingo, acredito que essa prova foi bem mais difícil que nos outros dois dias”, explicou. “Biologia estava mais tranquilo. Tinha uma questão que achei fácil demais. Ela pedia para falarmos sobre como os artrópodes conquistaram o meio terrestre e sua importância ecológica e econômica”, acrescentou.

Candidatos comemoram final da Unicamp e maratona de vestibulares  (UOL – Vestibular – 17/01/12)

Alívio é o principal sentimento dos candidatos ouvidos pelo UOL neste último dia de provas da segunda fase da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Segundo a maioria dos vestibulandos entrevistados,  a comemoração ao terminar o exame será “no bar” com os amigos. A seleção para a Unicamp termina nesta terça (17). ” Vou encontrar com alguns amigos que já estão na faculdade e comemorar esse fim de provas chatas”, disse Renan Cezarini Leitão Bandeira, 21, aluno de física na Unicamp há um ano e que, agora, presta vestibular para o curso de ciência da computação. O amigo de Renan, Marcus Vinicius Palma Paschoalucci, também está cogitando sair ao final do exame. “A prova será desafiadora como todas foram, mas para mim, que quero fazer química, será mais tranquilo o dia de hoje. E depois é sair!”, planeja. O barzinho de Lara Aguiar Cavalcante, 18, que tenta uma vaga no curso de midialogia, já está combinado com os amigos, que também concorrem a vagas na Estadual de Campinas. “As pessoas não aguentam mais [fazer prova], estamos esgotados. Depois de hoje é comemorar o fim de exames como se tivéssemos passado, praticamente”, disse Lara, com risos.



Unicamp faz prova exigente, mas inteligente  (Terra – Vestibular – 17/01/12
)

O último dia de provas da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi exigente com os alunos. Os candidatos precisaram de muita concentração, interpretação (muitas questões davam informações valiosas nos enunciados) e bom texto. Os professores dos cursos COC e da Poli consideraram a prova muito boa e inteligente, com um nível de dificuldade médio, mas com momentos difíceis. 

Com tranquilidade, candidatos encerram provas da Unicamp   (Terra – Vestibular – 17/01/12)

O último dia do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) teve início às 13h desta terça-feira quando os candidatos entraram para as salas para responder 24 questões de ciências da natureza. O clima era de tranquilidade nos locais de prova na capital paulista, onde os estudantes aproveitaram para ler e conversar antes de entrar para o exame. Não foi registrado nenhum atraso em São Paulo. No segundo dia de provas da segunda fase da Unicamp, 14.710 candidatos fizeram as provas de ciências humanas e artes e de inglês. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) registrou uma abstenção de 11,7%. Dos 16.665 aprovados para a segunda fase, 1.955 não compareceram ao segundo dia de provas. No domingo, primeiro dia da segunda fase, a abstenção registrada foi de 10,7%.

Universidade: moradia estudantil é opção para estudantes carentes   (Terra – Vestibular – 18/01/12)

Passar no vestibular muitas vezes é sinônimo de sair de casa, já que nem sempre a aprovação é alcançada na instituição mais perto da cidade do calouro. Para quem busca uma moradia com baixo – ou nenhum – custo, as residências estudantis são uma alternativa que também permite viver com mais intensidade o ambiente acadêmico. Quem passou na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) pode se inscrever no Programa de Moradia Estudantil (PME), que oferece 226 casas, todas com capacidade para quatro estudantes, além de 27 estúdios, destinados a casais com ou sem filhos. Segundo o coordenador da moradia, professor Luiz Antonio Viotto, atualmente o projeto atende a cerca de 950 pessoas. O processo de seleção ocorre anualmente e analisa a situação socioeconômica do candidato. Os selecionados, além da residência, têm acesso a projetos voltados a artes, esportes e saúde. Viotto explica que a avaliação também pode garantir outros tipos de auxílio. “Dependendo da renda da família, o aluno pode ter acesso à bolsa-alimentação, bolsa-esporte e bolsa-trabalho”, diz. Não existe limite no tempo de permanência na moradia, mas o estudante precisa comprovar sua renda anualmente. O professor afirma que, geralmente, para que o aluno seja aceito no programa, a renda máxima da família deve ficar entre R$ 900 e R$ 1000. “Esse número depende de vários fatores e pode variar de ano para ano, mas não costuma passar disso”, garante. Para os momentos de estudo, o programa disponibiliza 13 salas. Para o lazer, a moradia, que fica a apenas 3 km do campus, tem quatro centros de vivência e um campo de futebol. De acordo com o coordenador, que também é professor do curso de Engenharia de Alimentos da universidade, os projetos têm o objetivo de integrar o aluno ao ambiente acadêmico.



Após prova difícil da Unicamp, candidatos tiram férias de vestibulares   (Globo.com – G1 Vestibular – 17/01/12)

Com prova de ciências da natureza considerada a mais difícil dos três dias, estudantes decretaram nesta terça-feira (17), ao concluírem a segunda fase da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o fim da temporada de vestibulares. “Agora vou dormir, descansar e aproveitar a vida”, afirmou Dieza Bruneto, de 19 anos, que em menos de três meses fez 11 provas diferentes, entre as primeiras e segundas fases da Fuvest, da Unicamp e do vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Segundo a Comvest, que organiza o vestibular da Unicamp, 1.996 dos 16.665 candidatos aprovados para a segunda fase deixaram de fazer a última prova. O índice de abstenção desta terça-feira, de acordo com o órgão, foi de 12%. Na segunda-feira (16), quando os estudantes fizeram a prova de ciências humanas e arte e inglês, a abstenção foi de 11,7%. Já no domingo, 10,7% dos candidatos faltaram à prova de matemática e português.



Vestibular da Unicamp teve 12% de abstenção no 3.º dia  (O Estado de S.Paulo – Educação – 17/01/12)

O índice de abstenção do último dia da segunda fase do vestibular da Unicamp foi de 12%, ante 9,8% no mesmo dia da segunda fase no ano passado.  Para o coordenador executivo da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), Maurício Kleinke, a divulgação dos aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na última sexta-feira, contribuiu para que parte dos alunos classificados para a Unicamp desistisse de participar do processo seletivo, que começou no domingo e terminou nesta terça-feira. “Muitos dos aprovados do Sisu certamente não tiveram paciência de vir fazer nossa prova”, afirmou. Ao saber das queixas dos alunos sobre a dificuldade na prova de física, Kleinke afirmou que um dos maiores obstáculos nessa prova seria o volume de gráficos a serem interpretados. “E isso é algo em que os candidatos têm muita dificuldade. Além disso, a prova de física é bastante contextualizada, é preciso entender o porquê de chegarmos às questões”, disse.