18/02/2016 / Em: Clipping

 


56,7% dos jovens concluem o ensino médio até os 19 anos, diz estudo   (Globo.Com – G1 Vestibular – 18/02/16)

O Brasil avançou 15,4 pontos percentuais na taxa de conclusão do ensino médio dos jovens até os 19 anos, conforme levantamento do Todos Pela Educação (TPE) com base nos resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE. O percentual subiu de 41,4% em 2005 para 56,7% em 2014, dado mais recente disponível. O total de estudantes formados subiu de 1.442.101 para 1.951.586.



Diminui diferença entre jovens ricos e pobres que concluem o ensino médio   (Agência Brasil – Educação – 17/02/16)

Em dez anos, Brasil diminui diferença entre jovens mais ricos e mais pobres que concluem o ensino médio. Em 2005, 18,1% dos jovens de 19 anos entre os 25% mais pobres da população concluiam o ensino médio. Entre os 25% mais ricos, a porcentagem chegava a 80,4%, existindo uma diferença de 62,3 pontos percentuais entre os dois grupos.  Em 2014, último dado disponível, o cenário mudou. Entre os mais pobres, 36,8% concluiam o ensino médio e, entre os mais ricos, 84,9%. A diferença entre os dois grupos ficou em 47,8 pontos percentuais. Os dados são de levantamento divulgado hoje (18) pela organização não governamental Todos Pela Educação, feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



Com 4 mil sugestões, MEC terá de ‘enxugar’ base nacional comum   (Folha Online – Educação – 18/02/16)

Após o debate sobre o conteúdo do currículo nacional, o Ministério da Educação enfrenta agora um novo desafio: reduzir o volume de informações proposto para as escolas de todo o país. Lançada em setembro, a chamada base nacional comum reúne 1.700 objetivos de aprendizagem para todas as etapas da educação básica -volume considerado extenso por especialistas e pela própria pasta. Ali, por exemplo, está previsto que um estudante do 3º ano do fundamental deve aprender a ler e registrar horas e um aluno do 2º ano do ensino médio deve compreender o funcionamento de circuitos elétricos simples.

Ministra quer anular edital para vagas em faculdades de medicina   (Folha Online – Educação – 17/02/16)

A ministra do TCU (Tribunal de Contas da União) Ana Arraes, relatora do processo no órgão que analisa o edital do ministério da Educação para abertura de faculdades de medicina no país, sustentou que -por erro do governo- o procedimento deve ser anulado. Se a maioria dos ministros do órgão concordar com ela, ficam ameaçadas a abertura de 2.290 vagas de medicina no país abertas ano passado.