20/01/2012 / Em: Clipping

 


Leitura obrigatória da Fuvest privilegia romantismo e realismo  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 20/01/12)

A lista de livros de leitura obrigatória para os vestibulares da USP e da Unicamp acaba servindo de baliza para as aulas de literatura em colégios e cursos preparatórios para os exames, o que explica parte da expectativa em torno da sua divulgação. Com poucas mudanças em relação à anterior, a nova lista traz uma excelente notícia: a introdução de Carlos Drummond de Andrade, um dos maiores representantes da poesia brasileira moderna. De resto, salta aos olhos a predominância de nomes do romantismo e do realismo e a ausência de um autor como Lima Barreto, que, difícil de classificar em uma escola literária, continua tão atual. Garrett substitui Gil Vicente, eliminando da lista o único autor anterior ao romantismo. De fato, a leitura de obras de Gil Vicente, Camões e Vieira requer apoio do professor em sala de aula. A linguagem, por si só, é um desafio ao leitor. É importante, porém, que esses autores permaneçam como referência no estudo das nossas origens linguísticas e culturais. A troca de “Iracema” por “Til” não significa grande mudança. Neste, o estudante vai encontrar os mesmos traços tipicamente românticos e a linguagem plena de adjetivos própria do autor. Não se esperava que as “Memórias de um Sargento de Milícias” perdessem espaço na lista, dado que são o melhor representante da transição do romantismo para o realismo no Brasil. Machado não pode faltar -e as “Memórias Póstumas” devem mesmo ter seu lugar garantido na vida escolar e, de preferência, fora dela também. Faz falta, porém, um livro de contos. Clarice Lispector, Guimarães Rosa e o próprio Machado têm verdadeiras obras-primas no gênero, capazes de estimular entre os jovens o amor pela literatura.

THAÍS NICOLETI DE CAMARGO é consultora de língua portuguesa do Grupo Folha-UOL

Usp e Unicamp Veja os livros  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 20/01/12)
“Viagens na Minha Terra” (Almeida Garrett), “Til” (José de Alencar), “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (Machado de Assis), “Sentimento do Mundo” (Carlos Drummond de Andrade), “Memórias de um Sargento de Milícias” (Manuel Antônio de Almeida), “O Cortiço” (Aluísio Azevedo), “A Cidade e as Serras (Eça de Queirós), “Vidas Secas” (Graciliano Ramos), “Capitães da Areia” (Jorge Amado)



Unicamp e Fuvest divulgam lista de livros para o vestibular   (Gazeta do Povo/Curitiba – Vida na Universidade – 19/01/12)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) e a Fuvest divulgaram nesta quinta-feira (19) a lista unificada de obras literárias que serão abordadas nos próximos três vestibulares, 2013, 2014 e 2015. A lista tem nove obras e já está disponível na página da Comvest na internet. Em relação à anterior, a lista tem quatro alterações. As novas obras incluídas estão destacadas abaixo em negrito.



Fuvest e Unicamp anunciam obras literárias  (O Estado de S.Paulo – Educação/Cotidiano – 20/01/12)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) e a Fuvest divulgaram a lista unificada de obras literárias que serão abordadas nos próximos três vestibulares (2013, 2014 e 2015).  A lista tem nove obras e está disponível no site da Comvest (comvest.unicamp.br). A lista sofreu quatro alterações em relação ao conjunto de títulos cobrados em anos recentes. Da lista anterior, foram retiradas as obras Antologia Poética, de Vinicius de Moraes, Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, Dom Casmurro, de Machado de Assis, e Iracema, de José de Alencar). Mas Machado e Alencar permaneceram, embora com obras diferentes.



Novos livros serão exigidos no vestibular  (Jornal Agora – Dicas – 20/01/12)

A USP (Universidade de São Paulo) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgaram ontem a nova lista de livros obrigatórios para o próximo vestibular das duas instituições. Quatro obras foram substituídas por outras semelhantes. De acordo com a Fuvest (organizadora do vestibular da USP), a lista muda, em média, a cada três anos. “O perfil dos vestibulares continuará o mesmo”, afirmou a professora de literatura Cristiane Bastos, do Cursinho da Poli. Para ela, as maiores surpresas foram a inclusão de “Viagens na Minha Terra” e “Til”. “O primeiro é de uma escola literária que não era cobrada há anos, e o segundo aparece pouco nos vestibulares”, disse. As escolhas agradaram a coordenadora do Cursinho do 11, Augusta Aparecida Barbosa. “Muitos alunos reclamavam do vocabulário de ‘Iracema’, que foi um dos livros substituídos. Apesar disso, a coordenadora ainda diz sentir falta de livros contemporâneos na lista.



Fuvest e Unicamp divulgam lista de livros obrigatórios para vestibular  (Globo On Line – Vestibular – 19/01/12)

A Fuvest e a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgaram nesta quinta-feira a lista unificada de obras literárias que serão abordadas nos concursos de 2013, 2014 e 2015. Há quatro mudanças em relação a última lista. É exigido leitura completado texto integral de todos os livros. Confira a relação:

– “Viagens na minha terra”, Almeida Garrett;
– “Til”, José de Alencar;
– “Memórias de um sargento de milícias”, Manuel Antônio de Almeida;
– “Memórias póstumas de Brás Cubas”, Machado de Assis;
– “O cortiço”, Aluísio Azevedo;
– “A cidade e as serras”, Eça de Queirós;
– “Vidas secas”, Graciliano Ramos;
– “Capitães da areia”, Jorge Amado;
– “Sentimento do mundo”, Carlos Drummond de Andrade.

Deixaram de constar os livros “Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente; “Iracema”, de José de Alencar; “Dom Casmurro”, Machado de Assis; “Antologia Poética”, de Vinícius de Moraes. As novidades foram “Viagens da minha terra”, de Almeida Garrett; “Til”, de José de Alencar; “Memórias póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis; “Sentimento do mundo”, de Carlos Drummond de Andrade.