20/03/2009 / Em: Clipping

 


Unesp aprova vestibular em duas fases, mas exames serão aplicados em 3 dias  (Globo.Com – G1 Vestibular – 19/03/09)

Proposta inicial previa que as duas fases ocorressem em dois dias.
Segunda etapa, com questões discursivas, terá dois dias.

No próximo vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp), que passará a ser realizado em duas etapas, a primeira fase terá um dia e a segunda, dois dias, totalizando três dias de exame. A mudança no processo seletivo foi aprovada nesta quinta-feira (19) pelo  Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe). O conselho alterou a proposta da Câmara Central de Graduação que previa as duas fases em dois dias. Da primeira fase, eliminatória, constará a prova de conhecimentos gerais, com 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada área especificada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs): linguagens, códigos e suas tecnologias (elementos de língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte); ciências da natureza, matemática e suas tecnologias (elementos de biologia, física, química e matemática); ciências humanas e suas tecnologias (elementos de história, geografia e filosofia). Para a segunda fase, por vaga, serão convocados de quatro a seis candidatos  mais bem classificados na primeira fase. Esta fase será aplicada em dois dias. No primeiro, a avaliação terá 12 questões discursivas de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias e 12, também discursivas, de ciências humanas e suas tecnologias. No segundo dia, os candidatos farão a prova com 12 questões discursivas de linguagens e códigos e suas tecnologias e uma prova de redação em língua portuguesa, de gênero dissertativo. A duração de cada dia de prova (primeira e segunda fases) será de 4 horas e meia.  Entre os objetivos a serem alcançados com as mudanças no processo de seleção, destacam-se o “aprimoramento do processo, o fortalecimento entre o vestibular e o ensino médio, bem como a busca da ampliação da inclusão universitária, preservando o princípio do mérito acadêmico”, segundo Tânia Cristina Arantes Macedo de Azevedo, diretora acadêmica da Fundação Vunesp, instituição responsável pelo exame.

Confira as mudanças no vestibular da Unesp

Como era

Como fica

Vestibular em fase única, em três dias seguidos, aplicado a todos os candidatos.

Vestibular em duas fases, em três dias. A primeira fase (um dia) é aplicada a todos os candidatos. A segunda fase (dois dias) será aplicada a um total de candidatos entre 4 e 6 por vaga.

Primeiro dia: Conhecimentos Gerais (84 questões de múltipla escolha de geografia, história, língua estrangeira – inglês ou francês -, matemática, física, química e biologia.

Primeira fase: prova de Conhecimentos Gerais com 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada área especificada nos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) – linguagens, códigos e suas tecnologias (elementos de língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte); ciências da natureza, matemática e suas tecnologias (elementos de biologia, física, química e matemática); ciências humanas e suas tecnologias (elementos de história, geografia e filosofia).

Segundo dia: Conhecimentos Específicos (25 questões discursivas de matérias ligadas à área do curso – ciências exatas, ciências biológicas ou humanidades).

Segunda fase – p rimeiro dia: serão aplicadas 24 questões discursivas, sendo 12 de ciências da natureza, matemática e suas tecnologias e 12 de ciências humanas e suas tecnologias.

Terceiro dia: Língua Portuguesa (10 questões dissertativas e uma redação).

Segunda fase – segundo dia: será composta de 12 questões discursivas de linguagens e códigos e suas tecnologias e uma prova de redação em língua portuguesa, de gênero dissertativo.

Duração de cada dia de prova: 4 horas.

Duração de cada dia de prova: 4 horas e meia.

Nota de corte: não consta.

Nota de corte: será calculada com base no desempenho na prova de Conhecimentos Gerais.

Cálculo da nota final: cada prova é avaliada em escala de 0 a 100 pontos, sendo que as de Conhecimentos Específicos e Língua Portuguesa terão peso dois e a de Conhecimentos Gerais, peso um. Para os cursos com provas de habilidades, a nota vai de 0 a 100 e terá peso dois ou três. A nota final será a soma de cada prova multiplicada por dois (exceto Conhecimentos Gerais) e dividida por cinco (sete ou oito, para os cursos com prova de habilidades). 

Cálculo da nota final: cada prova é avaliada em escala de 0 a 100 pontos para Conhecimentos Gerais e de 0 a 100 para Conhecimentos Específicos e Redação, sendo de 0 a 72 para as questões discursivas da segunda fase e de 0 a 28 para Redação. Para cursos com provas de habilidades, a nota será atribuída de 0 a 100. A nota final será a média aritmética simples das duas fases (ou três fases, para os cursos com provas de habilidades, também com nota de 0 a 100), com peso um para cada fase.

Interferência do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio): 20% da nota de Conhecimentos Gerais, quando superior a ela, o que representa 4% da nota final (para cursos em que não há prova de habilidades). 

Interferência do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio): 20% da nota de Conhecimentos Gerais, quando superior a ela, o que representa 10% da nota final (para cursos em que não há prova de habilidades).  

Prova de habilidades: aplicada para todos os candidatos de cursos para os quais há a prova, com exigência programática de bibliografia especializada

 Prova de habilidades: aplicada apenas aos candidatos convocados à segunda fase, constituída de uma avaliação exploratória do potencial do candidato e sua aptidão para o curso escolhido, sem exigência programática de bibliografia especializada.

 Critérios para desempate: prevalecerão, sucessivamente, as notas atribuídas às provas de Conhecimentos Específicos, de Conhecimentos Gerais (sem considerar a nota do Enem), à redação (Prova de Língua Portuguesa) e à disciplina com maior número de questões na Prova de Conhecimentos Específicos da área de opção do candidato.

Critérios para desempate: maior nota na prova de Conhecimentos Gerais (sem considerar o Enem), maior nota na prova de Conhecimentos Específicos e maior nota na prova de Redação.



A cor da educação  (O Estado de S.Paulo – Blogs – 19/03/09)

Em visita, ontem, à Fundação Casa (antiga Febem) de Vila Maria me lembrei da pergunta que a menina de 7 anos fez ao pai, meu amigo: “papai, por que nas escolas públicas só tem crianças negras e na minha escola só tem crianças brancas?”. A mesma questão me veio à mente, ontem, quando vi as salas de aula da unidade. E, como sei que surgirá a pergunta, respondo de antemão: não, não sou a favor de cotas para negros, mas, sim, de cotas sociais, por renda familiar. O projeto de lei, aprovado na Câmara dos Deputados, e discutido hoje no senado federal me agrada mais do que propostas anteriores. Prevê a divisão das vagas nas universidades públicas e instituições federais de ensino técnico de nível médio, meio a meio, entre alunos vindos de escolas particulares e públicas. Dentro da cota de 50% para os alunos de escolas públicas, haveria uma parte destinada a negros, mas proporcional à sua presença na população do estado. A luta contra a desigualdade racial não perde, já que os negros, como se sabe, ainda estão majoritariamente nas classes sociais baixas e nos bancos das escolas públicas.



Vestibular da Unesp muda e passa a ser feito em duas fases (Correio Popular – Cidades –
20/03/09)

Alteração vale a partir de dezembro e foi aprovada pelo Conselho de Ensino

Os candidatos a uma vaga na Universidade Estadual Paulista (Unesp) terão de enfrentar, a partir deste ano, um vestibular com duas fases. Além disso, os aprovados para a 2ª fase terão de responder a questões dissertativas de todas as disciplinas. Outra novidade é que o resultado do Enem terá mais peso na nota final — de 4% para 10% da nota nos cursos em que não há prova de habilidades. A mudança foi aprovada ontem pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da instituição. A única alteração em relação à proposta original é que, em vez de a 2ª fase ser realizada em apenas um dia, será realizada em dois, totalizando três dias de provas.
A diretora acadêmica da Fundação Vunesp, Tânia Azevedo, explica que o objetivo é aproximar a prova da realidade do Ensino Médio, cujo conteúdo é determinado pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s). As questões deixarão de ser divididas por matéria, valorizando a interdisciplinaridade, e serão organizadas em três eixos: linguagens, códigos e suas tecnologias (elementos de Língua Portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte); ciências da natureza, matemática e suas tecnologias (elementos de biologia, física, química e matemática); ciências humanas e suas tecnologias (elementos de história, geografia e filosofia).
“A divisão da prova dissertativa por curso pode passar a mensagem errada de que determinadas disciplinas não são importantes a esta ou aquela carreira. A universidade entende que todo conteúdo da educação básica é importante para todas as carreiras, por isso, a prova de 2ª fase será igual para todos os candidatos”, diz.

Opinião

Para o coordenador-geral do Curso Anglo, Nicolau Marmo, não é possível avaliar em igualdade de condições um candidato da área de humanas e outro da área de exatas, pois há vocações diferentes. “Uma prova de matemática igual para todos não avalia bem nem os conhecimentos gerais de um candidato de humanas, nem os conhecimentos específicos de um candidato de exatas, que precisa ter boa base nessa disciplina. Vejo um retrocesso.” O vestibular da Universidade de São Paulo também pode mudar este ano. A proposta, em discussão no Conselho de Graduação da instituição, prevê que as provas da 2ª fase tenham questões de todas as disciplinas e que a nota da 1ª fase não seja considerada na nota final.



Unesp aprova mudanças; 2ª fase terá 2 dias   (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 20/03/09)

A Unesp vai adotar duas fases a partir do vestibular do final deste ano, uma com testes e a outra dissertativa. As mudanças foram aprovadas ontem. Serão três dias de prova -um para a primeira fase e dois para a segunda. Hoje, o exame também é em três dias, em fase única.  No primeiro dia da segunda fase serão cobradas 24 questões e, no segundo, 12, com uma redação. Antes, em uma proposta inicial aprovada há duas semanas pela universidade, seriam 18 questões na segunda etapa. A primeira fase terá 90 perguntas. O vestibular passará a adotar uma divisão interdisciplinar das questões, que vale para as duas fases.