20/03/2017 / Em: Clipping

 


Aluno da rede pública é ‘recuperado’ na graduação, diz estudo da Unicamp (G1 – Campinas e Região – 18/03/2017)

Notas piores no vestibular indicam déficit de aprendizado no ensino médio. Estudantes, no entanto, igualam desempenho dos colegas ao final do curso.

Um levantamento da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) mostra que a diferença de desempenho dos estudantes da rede pública dos demais candidatos aprovados no vestibular, verificado nas notas do processo seletivo, é igualado ou até mesmo superado durante a graduação.

Pelo segundo ano consecutivo, a 1ª chamada do vestibular da Unicamp teve mais da metade dos convocados da escola pública. A implementação do Programa de Ação Afirmativa para Inclusão Social (PAAIS), que aplica um bônus às notas dos estudantes oriundos da rede pública, é apontado como responsável pela maior presença desses alunos na universidade. Em nota, a Unicamp destaca a evolução apresentada pelos alunos durante quatro anos. “O estudo comparou dois indicadores: a nota no vestibular e o coeficiente de rendimento ao final do curso de graduação. Apesar de obter notas menores no vestibular, os estudantes de escolas públicas bonificados pelo PAAIS conseguiram melhorar seu desempenho, igualando as notas obtidas ao longo do curso com as dos demais estudantes”. O estudo acompanhou a vida acadêmica de todos os ingressantes nos anos de 2005 a 2008, mas o monitoramento segue sendo feito pela Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) . “Foram analisadas as áreas de Artes, Biológicas, Exatas, Engenharias, Humanas, Medicina e Tecnológicas. A divisão possibilita que sejam comparadas as notas de estudantes de cursos afins, considerando que as áreas apresentam formas distintas de avaliação”, explica, em nota, a universidade.



Enem: Inep divulga notas dos treineiros nesta segunda-feira (Agência Brasil – Educação – 19/03/2017)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga nesta madrugada as notas dos treineiros – candidatos que ainda não concluíram o ensino médio – no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os resultados estarão disponíveis, segundo a autarquia, à 0h de segunda-feira (20) na Página do Participante.



Uma desinformação a menos (O Diário – Artigos – 19/03/2017)

Na década de 90, o MEC criou um método de avaliação para o ensino superior, popularmente foi batizado de “Provão”. Esta avaliação contemplava também vários outros indicadores sobre as instituições, mas a mídia divulgava somente as notas dos alunos, criando o primeiro falso ranking nacional das instituições de ensino superior. Anos depois foi extinto o provão e a criação do ENADE – Exame Nacional de Desempenho de Estudantes que tem o mesmo objetivo de avaliar as escolas, mas somando as notas dos alunos às outras informações da instituição, criando uma pontuação mais justa. Na década de 2000 foi criado o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio, com a interessante missão de ampliar o ingresso dos alunos nas universidades, mas repetindo o mesmo erro na interpretação das notas para a criação de mais um falso ranking, desta vez do ensino médio. Mais uma necessária avaliação do ensino no Brasil, mas com os mesmos erros do passado.