21/03/2016 / Em: Clipping

 


Professor de Literatura comenta nova lista de livros da Fuvest   (EPTV – Virando Bixo – 18/03/16)

A mistura de clássicos com novidades na lista de leituras obrigatórias para seus três próximos vestibulares, que a Fuvest divulgou no dia 11 de março, agradou ao professor de Literatura do Colégio Novo Acadêmico – COC Limeira Edvaldo Rofatto. “Em vários aspectos, continua a cobrança da leitura de muitos clássicos que, há anos, são vasculhados nas aulas de Literatura, mas a lista surpreendeu muitos alunos e professores em vista das inovações flagrantes”, analisou. A relação de livros para os vestibulares de 2017 a 2019 da Fuvest, que seleciona alunos para a USP (Universidade de São Paulo) e para a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, tem nove títulos, sendo que quatro são novidades em relação ao concurso de 2016. Permanecem na lista “Memórias póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis; “O cortiço”, de Aluísio Azevedo; “A cidade e as serras”, de Eça de Queirós; “Vidas secas”, de Graciliano Ramos; e “Capitães da areia”, de Jorge Amado. Entre os que passam a fazer parte do vestibular, a maior surpresa é “Mayombe”, do angolano Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos).



Uma em quatro vagas reservadas para ingresso via Enem na USP não é preenchida   (Veja – Educação – 18/03/16)

Das 1.489 vagas da Universidade de São Paulo (USP) reservadas para disputa pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), 22,8% não foram preenchidas por meio da prova federal. O motivo foi a nota mínima alta fixada para alguns cursos. Com isso, a concorrência por essas vagas voltou para a Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), tradicional sistema de seleção da USP. A disputa via Enem foi feita pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), programa que reúne vagas em instituições públicas e a USP usou esse modelo pela primeira vez.