22/03/2016 / Em: Clipping

 


Os dez cursos superiores do Brasil que estão entre os melhores do mundo   (Globo.Com – G1 Vestibular – 21/03/16)

Dez cursos superiores brasileiros estão entre os 50 melhores de suas áreas em todo o mundo, de acordo com um estudo elaborado anualmente pela empresa britânica Quacquarelli Symonds (QS). Os resultados tiveram como base a consulta a 76.798 acadêmicos e 44.426 empregadores e a análise de 28,5 milhões de trabalhos científicos e 113 milhões de citações bibliográficas. Com base nestes critérios, foram elaboradas as listas dos 50 melhores cursos universitários do mundo em 42 campos de conhecimento.



Ranking coloca USP entre as 50 melhores do mundo em seis áreas   (Folha Online – Educação – 21/03/16)

O Brasil tem universidades entre as 50 melhores do mundo em apenas seis áreas das 42 que compõem o ranking internacional QS (Quacquarelli Symonds). A relação, divulgada oficialmente nesta segunda-feira (21), elenca as instituições por área. A USP (Universidade de São Paulo) lidera nas seis áreas entre as universidades brasileiras, mas a Unicamp e e Unesp (Estadual de Campinas e Paulista, respectivamente) também aparecem bem posicionadas neste grupo.



Estudantes da Unicamp protestam contra intolerância racial   (UOL – Educação – 21/03/16)

Casos de intolerância racial chegam até onde se espera mais respeito à diversidade e repúdio à discriminação. O Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) tem sido alvo de pichações e disseminação de teorias nazistas e referência a grupos racistas como Klu Klux Klan (KKK). Nesta segunda-feira, 21, cerca de 150 estudantes, professores e lideranças políticas se reuniram na universidade para protestar contra o avanço da intolerância racial no meio acadêmico e exigir providências da universidade. O movimento iniciado pelos estudantes recebeu a adesão do Sindicato dos Funcionários da Unicamp, da Associação dos Docentes da Unicamp, do Diretório Central dos Estudantes, de movimentos sociais e da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Campinas.