22/09/2009 / Em: Clipping

 


Unicamp fará oficina para professores sobre provas do vestibular (UOL – Vestibular – 22/09/2009)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) recebe inscrições para o encontro com professores do ensino médio sobre o vestibular da universidade. Os pedidos podem ser feitos até as 17h de 2 de outubro, somente pela internet.

O encontro ocorre em 16 de outubro, a partir das 13h, e terá oficinas sobre as diferentes provas do processo seletivo.

Serão oferecidas 340 vagas nas seguintes disciplinas: biologia, física, geografia, história, inglês, língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa, matemática e química. A taxa de inscrição é de R$ 30. Podem se inscrever professores do ensino médio público e particular e de cursinhos.

Dentre os eventos haverá palestra sobre como é feita a correção das questões e o acompanhamento dos corretores. Serão discutidos também os objetivos da prova e analisadas as questões, apontando-se o que era esperado dos candidatos e quais foram os erros e acertos mais comuns. Amostras de textos produzidos por candidatos ao vestibular também serão analisadas.

Outras informações podem ser obtidas no site da Unicamp.



Unicamp 2010: inscrições abertas até 6 de outubro (Folha Dirigida – Educação- 21/09/2009)

As inscrições para o vestibular 2010 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) serão recebidas até o dia 6 de outubro, exclusivamente pela página eletrônica da Comvest, responsável pelo exame. A taxa custa R$115 e deve ser paga via boleto, em qualquer agência bancária. No total, são ofertadas 3.444 vagas, sendo 3.320 para cursos da Unicamp e mais 124 vagas para a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). No ano passado, este processo seletivo contou com a participação de 49.322 candidatos.

Estudantes que não concluíram o ensino médio poderão se cadastrar na seleção como treineiros. No entanto, estes participantes não serão convocados para matrícula. Já os candidatos portadores de deficiências deverão enviar à Comvest, por via postal, um laudo médico recente (original ou cópia autenticada). O documento deverá conter a descrição da deficiência, o Código Internacional de Doenças (CID) referente à deficiência e as recomendações, por parte do médico, de quais são as condições especiais para realizar as provas.

Provas
Este processo seletivo será realizado em duas fases. A primeira etapa está marcada para o dia 15 de novembro. A prova terá 12 questões dissertativas sobre as disciplinas de Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia, além de uma redação.

Já a segunda fase terá oito provas, em quatro dias consecutivos: 10 a 13 de janeiro de 2010. A lista de convocados em primeira chamada será divulgada no dia 4 de fevereiro, com matrículas no dia 9.

Serviço:
www.comvest.unicamp.br/index.html
O laudo médico dos candidatos portadores de deficiência deverá ser enviado para: Av. Érico Veríssimo, 1.280 – Campus Unicamp, Campinas – SP. CEP: 13083-851.
Mais informações: (19) 3521-7508 e logistic@comvest.unicamp.br



Unicamp: tudo igual, à espera da grande mudança para 2011 (Tendências do Vestibular – Edição 144 – Ago/Set 2009)

A Unicamp receberá até 6 de outubro as inscrições de candidatos às 3444 vagas oferecidas em 68 cursos – 66 da própria Unicamp (3320 vagas) e 2 da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – Famerp (124 vagas). As inscrições são exclusivamente pela Internet, no site www.convest.unicamp.br, onde também está disponível o Kit do Vestibulando, composto do manual do candidato e da revista do vestibulando. A taxa de inscrição é de R$ 115,00. O candidato pode fazer até duas opções de cursos, independentemente da área (Artes, Biológicas, Exatas, Humanas ou Tecnológicas). Única restrição: os cursos

com provas de aptidão – Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música – devem obrigatoriamente ser 1ª opção. No último vestibular a Comvest registrou 49322 inscritos, sendo Medicina o curso mais disputado, com cerca de 80 candidatos por vaga, seguido de Arquitetura e Urbanismo (noturno), Ciências Biológicas, Midialogia, Engenharia Química, Farmácia e o novo curso de Engenharia de Produção, no campus recém-inaugurado de Limeira. O Prof. Renato Pedrosa, coordenador do vestibular da Unicamp, confirmou que este ano não haverá mudanças no formato do exame, número e questões e pesos das matérias. As únicas alterações são: *Aumento de 30 para 40 vagas no curso de Física (noturno); *Os candidatos interessados em aproveitar a nota do Enem poderão usar apenas o Enem 2009. Não será aceito o Enem 2008. *Fica suspensa a restrição de que apenas os candidatos com nota diferente de zero na redação do Enem 2009 possam aproveitar a nota do exame na 1ª fase do vestibular;

*Os candidatos precisam levar no dia da prova da 1ª fase duas fotos 3×4, coloridas, datadas (ano de 2009), com nome e número de inscrição anotados no verso. Quem não levar não poderá fazer a prova.

*Mais dois grupos de cursos serão considerados como opções associadas na hora da classificação dos candidatos. São eles: os quatro cursos na área de Gestão (Agronegócio, Comércio Internacional, Empresas

e Políticas Públicas); e Engenharia de Produção e Engenharia de Manufatura. Os estudantes que cursaram integralmente o Ensino Médio em escolas públicas e aqueles que fizeram o supletivo presencial (Educação de Jovens e Adultos) também em escolas da rede pública poderão participar do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS). Após a 2ª fase do vestibular serão adicionados 30 pontos à nota dos candidatos participantes do Programa. Candidatos que se declararem retos, pardos ou indígenas (segundo a classificação utilizada pelo IBGE), terão adicionados outros 10 pontos à nota.

A remodelagem do vestibular da Unicamp permanece em estudo e só deverá ser anunciada após a 1ª fase do vestibular de 2010, marcada para 15 de novembro próximo. A versão inicial das mudanças, em que a 1ª fase seria constituída de 60 questões testes e Redação, continua em discussão entre a Comissão Permanente para o Vestibular – Comvest – e as unidades da Unicamp, mas a tendência é inovar com questões de múltipla escolha e manter as questões dissertativas, em quantidade a ser definida – tanto em relação aos testes quanto às questões escritas. Redação, hoje, vale metade da 1ª fase, 48 pontos.

Sempre apontada como marca registrada do vestibular da Unicamp, seu peso já correspondeu a 60% dessa prova, influindo fortemente na seleção dos candidatos convocados para a 2ª fase. Na primeira proposta de mudança, Redação deixaria de compor a nota da 1ª fase. Seria corrigida junto com as provas da 2ª fase e entraria na média final. Mas esse é um ponto polêmico, gerador de provável impasse, porque há setores na universidade que defendem sua manutenção como indispensável filtro na escolha dos candidatos que chegam às provas finais. Argumentam que a Unicamp sempre valorizou a capacidade de os candidatos expressarem-se com clareza, demonstrando capacidade de interpretar dados e fatos, e a exclusão de Redação da nota da 1ª fase seria um retrocesso. De seu lado, os defensores da transferência da correção de Redação para a 2ª fase argumentam com a vantagem logística da proposta: seriam corrigidas as redações somente dos candidatos selecionados para a parte final do exame. A preocupação em reduzir trabalho de correção, e tentar melhorá-lo, não é nova. Nos últimos cinco vestibulares, para ter o texto corrigido o candidato precisou apresentar um desempenho mínimo nas questões gerais da 1ª fase. Esse critério ainda vale para o próximo exame. As mudanças em análise abrangem também a 2ª fase, hoje com oito provas de 12 questões cada, aplicadas em quatro dias. Com 96 questões dissertativas, cada uma com dois itens, somando 192 perguntas, ela é frequentemente criticada por sua extensão e tempo limitado para as respostas. A nova 2ª fase seria formatada com quatro provas e teria sua duração reduzida a três dias. A divisão das provas inspira-se nos Parâmetros Curriculares Nacionais, sem ser idêntica: no primeiro dia, Língua Portuguesa (com Literatura) e Matemática; no segundo, Ciências da Natureza, integrando Física, Química e Biologia; no terceiro, Ciências Humanas, incorporando conteúdos de História, Geografia, Filosofia, Sociologia e Artes. Inglês ficaria embutido na prova de Ciências Humanas.Nesse modelo, conforme as informações obtidas, Língua Portuguesa e Matemática seriam as únicas disciplinas a se manter com 12 questões. Outras disciplinas seriam reduzidas a oito questões.

2010: todas as 108 questões têm 2 itens

A 1ª fase do vestibular da Unicamp 2010 está marcada para o dia 15 de novembro. A prova é composta de Redação (o candidato escolhe entre três propostas: dissertação, narrativa e carta) e 12 questões, cada uma com dois itens, de seis matérias: Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia. Nesta prova, Redação vale 48 pontos e as questões gerais outros 48 pontos. A 2ª fase será realizada de 10 a 13 de janeiro de 2010, com oito provas dissertativas (duas por dia), na seguinte ordem: Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa e Ciências Biológicas; Química e História; Física e Geografia;  Matemática e Inglês. As provas de cada disciplina são compostas por 12 questões, com dois itens cada uma, e valem 48 pontos: 2 pontos por item, 4 pontos por questão. Os candidatos aos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música terão ainda provas específicas de aptidão, entre os dias 18 e 21 de janeiro. A primeira lista de aprovados será divulgada no dia 4 de fevereiro.

LOCAIS DE PROVA

As provas serão aplicadas nas seguintes cidades do Estado de São Paulo: Bauru, Campinas, Jundiaí, Limeira, Mogi Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré, Valinhos. Em outros estados: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Rio de Janeiro e Salvador.

Enem 2009: São Paulo está com 22% dos 4,5 milhões de inscritos

O Exame Nacional do Ensino Médio – Enem – será realizado nos dias 3 e 4 de outubro em 1826 dos 5564 municípios brasileiros. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – Inep –, que organiza a prova, recebeu 4576126 inscrições, mais de meio milhão acima do número registrado no ano passado mas bem abaixo da previsão do Ministério da Educação, que esperava no mínimo 6 milhões.

São Paulo é o Estado com mais inscritos, 1003474 (22% do total), mas esse número é 6% inferior ao do Enem de 2008. Entre outros fatores, a queda local foi creditada ao encerramento das inscrições em período e férias escolares e à maior dificuldade do exame, que, além da Redação, passa de 63 para 180 questões distribuídas por quatro provas, cada uma com 45 questões, que abordarão diretamente o currículo do Ensino Médio e serão aplicadas em dois dias, somando 10 horas de exame. A sequência das provas é esta, observando-se que em todo o país terá de ser seguido o horário de Brasília: Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação, Matemática e suas Tecnologias

Como USP, Unicamp e UNESP usarão o Enem no vestibular

Não consta do manual do candidato, mas o edital do vestibular da Unicamp não deixa margem a dúvidas: “Só serão utilizadas as notas do Enem caso o Ministério da Educação disponibilize o cadastro e as notas relativas ao Enem 2009 até o dia 30 de novembro de 2009. Caso contrário, as notas do Enem não serão consideradas para nenhum candidato”. A Unicamp mantém o Enem como parte da nota da 1ª fase do vestibular (até 20%) porque recebeu do Inep a garantia de acesso ao desempenho de seus candidatos até o final de novembro, para ter condições de utilizar o resultado na avaliação de seus candidatos e poder convocar os selecionados para a 2ª fase no dia 16 de dezembro, conforme seu calendário. A Comissão Permanente para o Vestibular da Unicamp – Comvest – confia no cumprimento do acordo, mas garantiu-se contra eventual contratempo, já que a programação geral do Inep prevê 4 de dezembro como a data em que os resultados do Enem estarão disponíveis para subsidiar os processos seletivos das instituições de ensino superior (os resultados finais, incluindo a redação, serão divulgados em 8 de janeiro de 2010). A Unesp preferiu não incluir a nota do Enem na classificação dos candidatos para a 2ª fase de seu remodelado vestibular, que antes era em fase única. A nota do Enem continuará compondo em até 20% a nota da prova de Conhecimentos Gerais, mas a convocação dos candidatos para a 2ª fase será baseada unicamente nas 90 questões da 1ª fase. Esse procedimento é justificado pela necessidade de evitar o risco de atraso na convocação para a 2ª fase. Ainda assim, o Enem passa a ter maior peso na Vunesp, subindo de até 4% na nota final para até 10% nos cursos que não têm prova de habilidades específicas. Nestes, o peso do Enem representará até 6,5% da nota final. Na Fuvest, o Enem tem outra força e não há registro de nenhuma restrição a datas. Além de compor em até 20% a nota da prova de Conhecimentos Gerais da 1ª fase, para todos os candidatos, ele é usado como um bônus de até 6% para os candidatos que cursaram o Ensino Médio integralmente em escolas públicas.