22/11/2010 / Em: Clipping

 


Estudantes aprovam novo vestibular da Unicamp (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 22/11/10)

Vestibulandos e professores elogiaram o novo formato da 1ª fase do vestibular da Unicamp, aplicada ontem com questões de múltipla escolha em vez de discursivas. “As questões de múltipla escolha deixam a prova menos cansativa”, disse o vestibulando Paulo Serrano, 18. Segundo o coordenador do curso Anglo, Nicolau Marmo, “as questões estavam contextualizadas, procurando trazer o mundo do aluno para dentro da prova”. A ressalva foi feita à redação. Os alunos tiveram de escrever três textos. “Não sei se o aluno teve tempo de fazer [bem] os três”, disse a professora Célia Passoni, do Etapa. A Unicamp divulgará o gabarito entre hoje e amanhã. A lista dos aprovados para a 2ª fase sai em 20 de dezembro.

ENADE
Ontem também foi realizado o Enade (exame oficial aplicado aos universitários). O gabarito sai amanhã. Após anular uma série de questões da edição passada, o Inep (órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame) informou que, neste ano, o banco de questões foi elaborado por professores universitários. Até 2009, as questões eram de responsabilidade de uma única empresa ou do consórcio contratado para aplicar o exame.

Candidatos elogiam prova da Unicamp e mudança para questões objetivas (Folha Online – Educação – 21/11/10)

A prova da primeira fase do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) foi realizada neste domingo em 24 cidades do país. Em geral, os estudantes ouvidos pela Folha elogiaram a elaboração da prova e sua organização. Carlos Madureira, 17, tenta ingressar no curso de engenharia elétrica. Para ele, a prova estava bem elaborada. ‘Algumas questões conseguiam relacionar várias disciplinas a um mesmo tema’, destacou. Já Jéssica Alves, 18, que escolheu economia como primeira opção, fez uma comparação com o Enem, realizado nos dias 6 e 7 de novembro. ‘A organização da prova foi muito boa, ao contrário do Enem, que deixou a desejar’, afirmou. Diferente dos anos anteriores, a prova teve questões de múltipla escolha, em vez das tradicionais dissertativas. A mudança agradou. ‘Foi bem-vinda.

Para professores, prova da Unicamp foi bem elaborada com nível fácil (Folha Online – Educação – 21/11/10)

Professores dos cursinhos Anglo, Etapa e Objetivo consultados pela Folha consideraram que a primeira fase do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizada neste domingo, em 24 cidades do país, foi bem elaborada e teve um nível fácil. A prova de redação, apesar de bem elaborada, foi criticada em função do tempo. A prova de conhecimentos gerais era composta de 48 questões de múltipla escolha, com algumas proposições interdisciplinares. Em seguida o aluno tinha uma prova de redação com três temas. Cada redação deveria ter até 24 linhas. O formato novo do exame adotado este ano pela Unicamp, foi elogiado pelos professores. Segundo o coordenador geral do Anglo, o professor Nicolau Marmo, a Unicamp inovou mais uma vez. “A prova foi bem elaborada, com enunciados curtos. Todas as questões estavam contextualizadas, procurando trazer o mundo do aluno para dentro da prova”. Para o coordenador geral do Etapa, Edmilson Motta, a prova de conhecimentos gerais foi simples e não exigiu muito dos candidatos em termos de conhecimento. Segundo ele, as questões que envolviam cálculo tiveram a fórmula fornecida pela Unicamp, o que fez o nível da prova ter complexidade de média para baixa. Para Motta, houve um certo desequilíbrio na montagem da prova, em relação ao número de questões por matéria. A prova de química, por exemplo, só teve cinco questões. “As matérias que ficaram com mais questões puderam ser mais abrangentes, mas química ficou muito superficial e de complexidade baixa”. Uma novidade na prova foi a inserção de uma pergunta de sociologia, reflexo do ingresso das matéria sociologia e filosofia no ensino médio. Para Motta, o nível mais fácil da prova favoreceu que o aluno ganhasse tempo na realização da redação, que era composta por três temas. “Apesar de este ano eles não quererem redações longas, é difícil fazer uma prova bem feita sem ser longa. A prova de redação trazia três tipos de texto que o aluno deveria desenvolver. O primeiro seria um comentário para a sessão fale conosco, do site da MTV, onde o aluno precisava avaliar dados de uma pesquisa e fazer o seu comentário. O segundo era um discurso de abertura de um evento, onde o aluno teria de apresentar o palestrante e o terceiro tema era um artigo opinativo que o aluno deveria escrever, como se ele fosse articulista de um jornal. Para a professora de redação do Etapa, Célia Passoni os três temas são muito bem articulados, mas a questão do tempo foi criticada. “Não sei se o aluno teria tempo de fazer os três textos. Foram três temas muito bem selecionados, mas pode-se questionar se deu tempo de fazer três redações bem feitas”. Para o professor de redação do Anglo, Mauricio Soares Filho, os temas foram bem dentro do prometido, com gêneros diferentes. “A questão é como vai ser a avaliação da Unicamp, porque um dos gêneros seria passível de uma linguagem mais informal, por ser para internet. Além disso, o gráfico fornecido como base é bem difícil de interpretar, com muitas informações, o que exigia uma questão redobrada”. Para ele, o tempo que o aluno tinha era muito pequeno para três redações com estilos tão diferentes. Os professores de cursinho Objetivo comentam a prova por disciplina. Confira:

Primeira fase do vestibular da Unicamp começa sem incidentes (Folha Online – Educação – 21/11/10)

Começou às 13h deste domingo a primeira fase do vestibular 2011 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Apesar de pessoas que chegaram após o fechamento dos portões, não houve registro de incidentes no início da prova, que tem duração de cinco horas e vai até as 18h. O vestibular está sendo aplicado em 24 cidades do país: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos. Neste ano, 57.201 candidatos disputam uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Segundo a Comvest, o número é recorde de inscrições. A partir deste ano, na primeira fase, o candidato deverá produzir três textos de gêneros diversos, todos obrigatórios. O número de questões passará de 12 questões dissertativas para 48 questões de múltipla escolha.

Com número recorde de inscrições,1ª fase da Unicamp é aplicada hoje; saiba o que levar (Folha Online – Educação – 21/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) aplica neste domingo a primeira fase do vestibular 2011. A prova acontece das 13h às 18h. A orientação da universidade é que os candidatos cheguem ao local de prova às 12 h. Os portões serão fechados às 13h. Nos Estados onde não há horário de verão, a Comvest –responsável pela prova da Unicamp– seguirá o horário local e não o horário de Brasília. A duração da prova da primeira fase será de cinco horas. O vestibular será aplicado em 24 cidades do país: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos. Neste ano, 57.201 candidatos disputam uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Segundo a Comvest, o número é recorde de inscrições. A partir deste ano, na primeira fase, o candidato deverá produzir três textos de gêneros diversos, todos obrigatórios. O número de questões passará de 12 questões dissertativas para 48 questões de múltipla escolha.



Unicamp realiza primeira fase do vestibular 2011 neste domingo; UOL fará correção online  (UOL – Vestibular – 21/11/10)

A primeira fase do processo seletivo 2011 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) será aplicada neste domingo (21), das 13h às 18h. São esperados para as provas 57.201 candidatos. Após o término dos exames, o UOL Vestibular terá a resolução comentada das questões, feita pelos professores do Curso e Colégio Objetivo. Os vestibulandos são orientados a chegarem aos locais de prova com uma hora de antecedência. É preciso levar o documento original, informado no momento da inscrição, e uma foto 3×4 recente (com nome e número de inscrição anotados no verso). Os materiais permitidos são: lápis, borracha, régua pequena e caneta esferográfica de corpo transparente e tinta azul ou preta.

Unicamp 2011: candidatos “cobaias” temem não ter tempo para fazer as três redações  (UOL – Vestibular – 21/11/10)

Os candidatos estão ansiosos com o novo formato da prova da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que acontece na tarde deste domingo (21). Por causa do novo formato, os estudantes ouvidos pelo UOL Vestibular se sentem “cobaias” e estão com medo de que não consigam elaborar as três redações que serão exigidas deles nesta edição do vestibular. Os portões foram fechados, pontualmente, às 13h no local em que se encontra a reportagem do UOL. A vestibulanda Nathalia Bonatto, 20, que tenta uma vaga em medicina, está no grupo dos ansiosos.

Prova da Unicamp foi ‘cansativa’, dizem candidatos  (UOL – Vestibular – 21/11/10)

Candidatos do vestibular 2011 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) ouvidos pelo UOL Vestibular neste domingo (21) disseram que as três redações deixaram o exame “cansativo”. O UOL traz logo mais a resolução comentada da prova. Para André Inácio, 17, que fez o vestibular como treineiro, a prova estava cansativa por causa da redação, apesar de as questões não estarem longas. “Não achei nenhuma questão fácil”, diz.  A estudante Stephanie Tambor, 17, que tenta uma vaga em medicina, não achou a prova tão difícil. “Estava mais geral, com bastantes questões de atualidades”, afirma. Já Rafael Basetto, 17, candidato ao curso de engenharia civil, discorda. Segundo ele, a prova estava “complicada, principalmente biologia”, mas nada considerado “impossível”. Neste ano, na primeira fase, o candidato precisou fazer três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. A Unicamp pediu três tipos diferentes de texto em cada uma das redações.

Redação da Unicamp é considerada trabalhosa por professores; prova teve nível médio, afirmam  (UOL – Vestibular – 21/11/10)

Professores ouvidos pelo UOL Vestibular consideraram a prova da primeira fase do vestibular 2011 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), aplicada neste domingo (21), de nível médio, com questões mais básicas em biologia e química. A redação, no entanto, foi considerada trabalhosa, complicada e longa por docentes do Objetivo, do Etapa e do Anglo. “A redação foi bastante longa. Em todas as três redações, o candidato deveria se portar como um determinado tipo de pessoa”, afirma a professora Célia Passoni, do Etapa. “Foi trabalhosa e complicada. Difícil”, diz Nelson Dutra, do Objetivo. “Foi o que mais pegou nessa prova. Eu acho um exagero três redações”, afirma o coordenador-geral do Anglo, Nicolau Marmo. Neste ano, as provas da primeira fase da Unicamp passaram a ter questões de múltipla escolha e três redações. A mudança no modelo, disseram professores, pode ter atrapalhado a “calibragem” do exame.

Vestibular 2011 da Unicamp teve 3.925 faltosos; abstenção ficou em 6,86%  (UOL – Vestibular – 21/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) acaba de divulgar o número de faltosos no vestibular  2011 deste domingo (21). Foram 3.917 inscritos ausentes. Isso significa uma taxa de abstenção de 6,86% — no ano passado o índice ficou em 5,33%.  Eram esperados para as provas 57.209 candidatos. Estão em disputa 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Houve exame em 24 cidades brasileiras. 

Unicamp divulga cadernos de prova da primeira fase do vestibular 2011(UOL – Vestibular – 21/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou no início da noite deste domingo (21) os cadernos de prova da primeira fase do vestibular  2011, que aconteceu à tarde. Candidatos ouvidos pelo UOL Vestibular  disseram que as três redações deixaram o exame “cansativo”. O UOL traz logo mais a resolução comentada da prova. Para André Inácio, 17, que fez o vestibular como treineiro, a prova estava cansativa por causa da redação, apesar de as questões não estarem longas. “Não achei nenhuma questão fácil”, diz. A estudante Stephanie Tambor, 17, que tenta uma vaga em medicina, não achou a prova tão difícil.



Estudantes aprovam novo formato da Unicamp  (IG – Último Segundo – 21/11/10)

Estudantes que prestaram o vestibular 2011 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na PUC-SP aprovaram o novo modelo da prova. Para a maioria dos entrevistados pela reportagem do iG o exame estava bem elaborado e com nível médio de dificuldade. Neste ano, a primeira fase do processo seletivo teve uma prova de múltipla escolha com 48 questões – 12 de Matemática; 18 de Ciências Humanas e Artes; e 18 de Ciências da Natureza – e não mais as 12 dissertativas, como era aplicado até o ano passado. Os candidatos fizeram ainda três redações e foram surpreendidos pelos gêneros exigidos. Tradicionalmente, a Unicamp cobrava uma dissertação, uma narração e uma carta. Desta vez, o vestibular pediu um comentário em site sobre um gráfico de pesquisa sobre valores dos jovens, um discurso de um presidente de grêmio estudantil apresentando uma pesquisadora e um artigo jornalístico-opinativo embasado em um texto literário. Neste domingo, 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2011, na disputa por umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). O índice de abstenção foi de 6,86%, 3.925 candidatos não compareceram para fazer o exame. Apesar da surpresa, os estudantes gostaram das mudanças.

Redação será a maior peneira na Unicamp, dizem professores (IG – Último Segundo – 21/11/10)

A grande novidade do vestibular da Unicamp deste ano foi a mudança no formato da prova da primeira fase que, depois de anos sendo realizada com questões dissertativas, passou a ser composta por perguntas de múltipla escolha e por três redações. Estas últimas causaram apreensão entre os candidatos e, segundo os professores do Cursinho da Poli, com razão. De acordo com a professora do cursinho Eclícia Pereira, a prova de redação estava extremamente complexa, misturando mais de um gênero de escrita e exigindo do aluno conhecimentos adquiridos durante todo o ensino médio. “Até o ano passado, os gêneros de escrita eram bem definidos. Neste ano, o candidato deveria, por exemplo, escrever um artigo opinativo tendo por base uma crônica”, explica Eclícia. Como se não bastasse, esse era apenas um dos três textos que o aluno tinha que escrever. Os outros dois eram um comentário a partir de um gráfico que deveria ser interpretado e um discurso para uma apresentação de um evento. Para a professora, no novo formato do vestibular da Unicamp, não há peneira maior para os candidatos do que a redação. “A partir da perspectiva de um professor, é uma prova admirável. É o sonho de qualquer um de nós poder cobrar isso dos nossos alunos. Mas, quando a gente pensa no nível do ensino de hoje, essa prova é, infelizmente, inalcançável para grande parte dos candidatos.”

Unicamp pede redação mais próxima de cotidiano do jovem  (IG – Último Segundo – 21/11/10)

Os pedidos de redação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) trouxeram temas próximos ao cotidiano dos estudantes. Um dos textos devia ser um comentário em site juvenil a partir de um gráfico de pesquisa sobre valores dos jovens, outra pedia um discurso de um presidente de grêmio estudantil apresentando uma pesquisadora e o terceiro uma opinião baseada em um texto literário. Neste domingo, os candidatos prestaram provas da primeira fase do vestibular da Unicamp, que este ano trocou as 12 questões dissertativas por 48 objetivas, mais três redações. Veja a resolução das questões, realizada pelo Cursinho da Poli. Os primeiros a sair do prédio da PUC-SP, que foi um dos locais de prova em São Paulo, estavam surpresos. Cientes de que seriam três pedidos de redação, eles esperavam uma dissertação, uma narração e uma carta, como classicamente a instituição pedia na segunda fase. “A prova estava bem gostosa de fazer”, comentou Paola Passionoto, de 20 anos. “Acho melhor fazer estes textos do que uma dissertação comum.



Professores consideram ”difícil” prova da Unicamp (O Estado de S.Paulo – Educação – 22/11/10)

A primeira fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), realizada ontem, registrou 6,86% de abstenções. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), 53.284 candidatos prestaram a prova, considerada difícil por professores, para disputar as 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Apesar de a proporção de abstenções ter sido maior em relação ao ano passado (5,33%), houve um acréscimo de 300 vestibulandos neste ano, informou Renato Pedrosa, coordenador da Comvest. O gabarito será divulgado até amanhã, e a expectativa da banca de redação para os textos, até sexta-feira. A lista de convocados para a segunda fase sai no dia 20 de dezembro; a prova está marcada para os dias 16 e 18 de janeiro. Os exames de aptidão serão feitos entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas. Neste ano, a Unicamp fez algumas mudanças, como a introdução de 48 questões de múltipla escolha – antes a prova era inteira dissertativa – e a exigência de três redações aos candidatos – até o ano passado, era apenas uma. As questões valem metade da nota e a produção de textos, a outra metade.

Prova foi difícil, avaliam professores do Objetivo  (O Estado de S.Paulo – Educação – 21/11/10)

Professores do cursinho Objetivo, ouvidos logo após a prova da Unicamp, realizada neste domingo, afirmaram que no geral a avaliação deve ter sido considerada difícil por grande parte dos candidatos. Mesmo com testes na primeira fase, o exame da Unicamp ainda é conhecido por privilegiar a parte escrita. “A prova de redação foi bastante difícil e trabalhosa. Por mais que os temas fossem próximos dos estudantes, foi exigido um recorte crítico para a elaboração do texto”, explicou o professor de português Nelson Dutra. Em geografia a professora Vera Lúcia da Costa Antunes criticou o excesso de ‘pegadinhas’. “Foi uma decepção esta prova. Havia alternativas confusas e mal escritas”, observou. Já em matemática os professores notaram um excesso de questões de álgebra em detrimento de geometria. Para Gregório Krikorian, professor de matemática, trigonometria poderia ter ganhado mais destaque. “Álgebra foi tema de sete das dez questões, mas mesmo assim acho que as questões estavam bem formuladas e não deixavam nenhuma duvida, eram questões adequadas para o vestibular da Unicamp”, pontuou. Física foi marcada por demandar conhecimentos bastante específicos.

Unicamp: coordenador do Anglo elogia qualidade das questões, mas reclama do formato da prova (O Estado de S.Paulo – Educação – 21/11/10)

“Três redações é um exagero, somadas a 48 testes é um trabalho excessivo. Não é nem uma questão de dar tempo ou não, já que após 4 hroas o aluno está exaustas”. Esta é a opinião de Nicolau Marmo, coordenador geral do cursinho Anglo. Se gundo ele, o grau de dificuldade do exame doi de médio para fácil, mas no conjunto foi um trabalho demasiado. “Eles deveriam colocar apenas uma redação e aumentar o número de testes e assim se teria uma prova mais equilibrada.

Etapa enfatiza a importância da redação na 1ª fase da Unicamp  (O Estado de S.Paulo – Educação – 21/11/10)

Na opinião do professor Edmílson Motta, coordenador geral do Etapa, a parte mais relevante da prova da Unicamp foi a redação. “Os testes estavam relativamente simples, já que se tentou reproduzir a antiga primeira fase dissertativa em testes”, diz. Segundo ele. foi feita uma divisão baseada nos eixos do Enem, sem linguagens e códigos, ou seja, português e inglês. ”Houve certo descompasso entre a distribuição das discplinas na prova e a grade do ensino médio. Química, por exemplo, teve muito poucas questões – apenas cinco”. “Como a prova está fácil, o candidato que busca medicina pode se comprometer com qualquer ‘besteirinha’”, acredita. Ele aponta que o fator eliminatório acaba sendo redação, que é a uma parte delicada já que o tempo tornava possível não concluir os três textos com precisão. 

Unicamp faz prova neste domingo em 24 cidades do País (O Estado de S.Paulo – Educação – 21/11/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) realiza seu vestibular neste domingo, 21, das 13 às 18h. As provas para seleção serão aplicadas em 24 cidades do país. Neste ano, 57.201 candidatos disputam uma das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Segundo a Comvest, órgão que organiza a prova, o número é recorde de inscrições.  A partir deste ano, na primeira fase, o candidato deverá produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. O número de questões passará de 12 questões dissertativas para 48 questões de múltipla escolha. As questões de múltipla escolha da primeira fase foram elaboradas com base nos conteúdos das diversas áreas do conhecimento desenvolvidas no ensino médio segundo a seguinte distribuição: 12 questões de matemática, 18 questões de ciências humanas e artes e 18 questões de ciências da natureza. A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) divulga no dia 20 de dezembro a lista dos candidatos aprovados na primeira fase e locais de prova da segunda fase que será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011.



Professores consideram  prova da Unicamp difícil  (Cosmo On Line – educação – 22/11/10)

A primeira fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), realizada neste domingo (21), registrou 6,86% de abstenções. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), 53.284 candidatos prestaram a prova, considerada difícil por professores, para disputar as 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). Apesar de a proporção de abstenções ter sido maior em relação ao ano passado (5,33%), houve um acréscimo de 300 vestibulandos neste ano, informou Renato Pedrosa, coordenador da Comvest. O gabarito será divulgado até amanhã, e a expectativa da banca de redação para os textos, até sexta-feira. A lista de convocados para a segunda fase sai no dia 20 de dezembro; a prova está marcada para os dias 16 e 18 de janeiro. Os exames de aptidão serão feitos entre 24 e 27 de janeiro, em Campinas. Neste ano, a Unicamp fez algumas mudanças, como a introdução de 48 questões de múltipla escolha – antes a prova era inteira dissertativa – e a exigência de três redações aos candidatos – até o ano passado, era apenas uma. As questões valem metade da nota e a produção de textos, a outra metade.



Alunos aprovam novo vestibular da Unicamp  (Correio Popular – Cidades – 22/11/10)

O novo modelo de prova da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi aprovado por alunos na primeira fase do Vestibular 2011 realizado ontem em 24 cidades do Brasil. Letícia Vieira, de 20 anos, e outros 53,2 mil jovens estudantes se inscreveram no vestibular que inovou ao trazer três redações e questões de múltipla escolha nesta etapa. Apesar do número recorde de inscritos (57.201), cerca de 3,9 mil alunos (6,8%) ficaram de fora do processo seletivo deste ano que, como de costume, causou correria e choradeira depois de impedida a entrada nas salas. Letícia, que mora em Paulínia, percorreu uma maratona até conseguir encontrar o local da sua prova. A coordenação do vestibular orientou que os estudantes chegassem com uma hora de antecedência, por volta do meio-dia, mas a jovem chegou correndo no campus 1 da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas) minutos antes do fechamento da sala. “Estava arrumando as malas porque viajo logo depois da prova para o Rio de Janeiro”, disse. A estudante considerou a prova fácil. “Só achei ela longa”, disse. As redações foram o destaque para muitos jovens (ver texto ao lado). O calor de 34ºC da tarde de ontem não atrapalhou a chegada dos estudantes, mas causou certo incômodo àqueles que chegavam correndo. Quinze minutos antes do término de permissão de entrada da prova (13h), as jovens Larissa Botazini Vieira, de 23 anos, e Camila de Almeida Mota, de 18 anos, corriam também para prestar o vestibular. Larissa, que concorre a uma vaga para nutrição, voltou a prestar a prova após seis anos. “A primeira vez foi em 2004 e estou voltando agora. Estou ansiosa”, disse. Camila busca uma oportunidade no curso de engenharia de alimentos. Nem o pé torcido há uma semana interrompeu o jovem Artur Pinheiro, de 17 anos, de fazer a prova como treineiro. Acompanhado da tia Valdirene Rodegher, o estudante veio do Rio de Janeiro após se inscrever no vestibular para o curso de engenharia química. “Só vim conhecer a prova”, contou. A estudante Aline Souto, de 16 anos, estava desesperada para encontrar o local da prova. “Não sei onde fica este prédio. Estou perdida. Você sabe?”, perguntou à reportagem. O vestibular da Unicamp foi realizado ainda no campus 2 da (PUC-Campinas), Faculdade Politécnica de Campinas (Policamp), Colégio Sagrado Coração de Jesus e na Universidade Paulista (Unip) – Swift. Os candidatos disputaram 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Farmep). O índice de abstenção foi maior no Rio de Janeiro (42,9%) e o menor em São Bernardo do Campo (5,05%). Campinas, sozinha, registrou 10,6 mil estudantes presentes e ausência de 7,4%.

Tristeza

Todo ano há estudantes que, por algum motivo, perdem o tempo e chegam atrasados. Foi o que aconteceu com Ariel Maria Martins, de 18 anos. Ela não conseguiu entrar porque chegou cerca de cinco minutos depois do fechamento das salas. “Eu peguei transito e tive problemas para chegar. Saí de casa meio-dia e precisei ligar para o meu avo me trazer. Parece que tudo atrapalhou”, disse. Esta é a primeira vez que a jovem disputa o vestibular da Unicamp. Apesar do tema fácil da redação, os jovens tiveram que gastar mais tempo nelas. “Achei os textos bem mais fáceis do que as perguntas”, disse Gisele Martins, de 27 anos, desempregada que prestou para o curso de pedagogia. William Malagon Franco, de 20 anos, também gostou das redações. “Os temas foram bem atuais e bem mais fáceis do que a prova”, afirmou. O tempo mínimo de permanência nas salas era de 3h30.

Redação foi considerada fácil

O grande terror das provas de vestibular, a redação, foi considerada como a melhor parte para muitos estudantes. A Unicamp inovou ao eliminar as redações dissertativas ou narrativas e trouxe três tipos de redações de gêneros diversos, mas objetivas e próximas da realidade dos vestibulandos. A maior dificuldade dos jovens foi responder em cinco horas as 48 questões de múltipla escolha. Em uma das redações, o estudante tinha que entrar no site da MTV e deixar um comentário sobre uma pesquisa de comportamento de três gerações (1999, 2005 e 2008) de jovens e compará-las. Em outra, o estudante teve que ser um articulista e comentar uma crônica de Carlos Drummond de Andrade que mostrava os problemas das chuvas no Rio de Janeiro. Por último, outra redação pediu que o estudante, como presidente do grêmio estudantil de uma escola, deveria mostrar três problemas do curso de ciências da unidade e que uma bióloga e professora iria ajudar a resolver as questões. O jovem Nikolas Maganini Cury Salek, de 19 anos, achou que a prova estava mais fácil do que esperava. “A redação foi legal porque a gente pode brincar com os temas. Já as perguntas de múltipla escolha foram trabalhosas”.



Redações podem definir vaga de aluno na Unicamp (Jornal Agora – Dicas – 22/11/10)

A Unicamp aplicou ontem a primeira fase do seu vestibular 2011. Neste ano, 57.201 candidatos se inscreveram para 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e em dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). Segundo a Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares), o índice de abstenção foi de 6,86%. As provas de ontem trouxeram novidades. Os candidatos tiveram de produzir três redações de gêneros diversos, todos de execução obrigatória, a partir de textos-fonte. “A prova foi de nível médio, com questões que abrangeram pouco o conteúdo do ensino médio. Considerando que medicina tem o maior número de candidatos, esse exame deve deixar para que a redação decida a classificação geral”, afirma Edmilson Motta, coordenador do Etapa. Segundo a professora de redação do cursinho Célia Passoni, os três temas abordados foram bem escolhidos. “Nesse novo formato, se o candidato foi mal nas questões, ele poderá se salvar com a redação.” Um tema exigia um texto para uma redação de TV; outro, a apresentação de uma palestrante; e o terceiro tema pedia a posição do aluno perante uma crônica sobre os problemas com as chuvas no país. O professor de português do Objetivo Nelson Dutra diz que fazer as redações em 50 minutos não foi tarefa fácil. “A prova exigia boa leitura, análise crítica e um ótimo recorte dos textos para se posicionar na hora de escrever.”  Neste ano, a primeira fase da Unicamp teve 48 questões de múltipla escolha, em vez das 12 questões dissertativas dos anos anteriores. Para o candidato Paulo Serrano, a prova ficou menos cansativa. Jéssica Alves disse que o tempo não foi problema e que terminou a prova com 30 minutos de folga. Já Natália dos Santos contou que precisou chutar cinco questões por falta de tempo. A Comvest deve divulgar o gabarito das provas amanhã. A lista dos aprovados na primeira fase deve sair no dia 20 de dezembro. A segunda fase ocorrerá entre os dias 16 e 18 de janeiro de 2011.


A Unicamp aplica, neste domingo, a primeira fase do vestibular 2011 para mais de 57 mil inscritos. As provas começarão mais cedo este ano, portanto a orientação é para que os candidatos cheguem ao local de prova às 12 horas, já que o acesso aos locais será permitido somente até às 13h. O tempo de prova é de cinco horas e o tempo mínimo de permanência nas salas é de 3 horas e 30 minutos. O Terra, empresa de internet e mídia digital líder na América Latina, em parceria com o Sistema COC de Ensino, realiza a correção online das provas. A partir deste ano, na primeira fase, o candidato será solicitado a produzir três textos de gêneros diversos, todos de execução obrigatória. O número de questões passará de 12 questões dissertativas para 48 questões de múltipla escolha. As questões de múltipla escolha da primeira fase serão elaboradas com base nos conteúdos das diversas áreas do conhecimento desenvolvidas no ensino médio segundo a seguinte distribuição: 12 questões de Matemática; 18 de Ciências Humanas e Artes; e 18 de Ciências da Natureza.

Sob forte calor, candidatos realizam vestibular da Unicamp (Terra – Vestibular – 21/11/10)

Com um sol forte de mais de 30°C teve início a primeira fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em 24 cidades de todo o Brasil. Em Campinas, boa parte dos candidatos presta os exames nas salas dos campi da Pontificia Universidade Católica (PUC).  No Campus 1 da Pucamp , que fica ao lado da Unicamp, os vestibulandos enfrentaram, além do calor, um congestionamento. Muitos candidatos tiveram que correr para acessar as salas de provas, enquanto outros chegaram atrasados e não puderam fazer os exames. Ariel Maria Martins, 18 anos, candidata a uma vaga em Marketing, disse que se confundiu com as entradas do campus, justificando o fato de ter sido impedida de entrar na sala de prova. “Saí de casa meio dia”, lamentou ela que, a princípio, riu da situação, chorando em seguida. Outro que perdeu a prova com atraso de poucos minutos foi Tiago Luiz, que tentaria medicina. Ao perceber a faixa bloqueando o acesso dos estudantes no prédio, ele foi embora.Confiante na entrada para a segunda fase do vestibular da Unicamp, Pedro Paulo Torres, 18 anos, acha que vai conseguir uma vaga em engenharia de automação. “Estou me sentindo tranquilo e preparado”, falou o rapaz que já fez um curso técnico na área e, por isso, espera uma boa classificação. O candidato a engenharia química, Artur Pinheiro, 17 anos, torceu o pé há uma semana e veio prestar a primeira fase amparado por um par de muletas. Com receio de perder a prova veio mais cedo e entrou rapidamente na sala. “Mesmo com as dores e medicação ele está bem tranquilo para as provas”, disse a tia Valdirene Rodegher, que o acompanhou até o campus.

Unicamp divulga os cadernos de prova da 1° fase do vestibular  (Terra – Vestibular – 21/11/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), que seleciona candidatos para a Unicamp, divulgou os cadernos de prova da primeira fase do vestibular 2011 da instituição. Os exames estão disponíveis no site https://www.comvest.unicamp.br. Segundo a Comvest, 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase e a abstenção foi um pouco maior que no vestibular passado, registrando 6,86% contra 5,33% do ano passado. Os candidatos aos cursos da universidade fizeram, neste domingo, três textos de gêneros diversos, e 48 questões de múltipla escolha, sendo 12 de Matemática; 18 de Ciências Humanas e Artes; e 18 de Ciências da Natureza.



Vestibular da Unicamp tem prova para 57.201 inscritos  (Globo.Com – G1 Vestibular – 21/11/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realiza o vestibular neste domingo (21), das 13h às 18h. As provas para seleção serão aplicadas em 24 cidades do país: Bauru, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Jundiaí, Limeira, Mogi-Guaçu, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos. A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) divulga no dia 20 de dezembro a lista dos candidatos aprovados na primeira fase e locais de prova da segunda fase que será realizada nos dias 16, 17 e 18 de janeiro de 2011. As provas de habilidades específicas, para os cursos de arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais, dança e música serão realizadas em Campinas entre os dias 24 e 27 de janeiro de 2011.

Unicamp registra abstenção de 6,86% dos 57 mil inscritos  (Globo.Com – G1 Vestibular – 21/11/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) registrou abstenção de 6,86% dos 57.209 inscritos no vestibular 2011, aplicado neste domingo (21). No total, 53.284 estudantes fizeram a prova da primeira fase.  Os estudantes disputam umas das 3.444 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. No ano passado, a abstenção foi de 5,33%. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), o gabarito das questões será divulgado até terça-feira (23) e a resolução da redação deve sair até sexta-feira (26).



Cerca de mil estudantes participam da primeira fase da Unicamp neste domingo (Tribuna de Santos – Educação – 20/11/10)

Cerca de mil estudantes da Baixada Santista fazem prova da primera fase da Unicamp neste domingo, em Santos. Quem ainda não consultou o local de prova pode acessar o site da Comvest. Segundo a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), este foram recebidas 57.201 inscrições, número recorde e 3% susperior ao registrado no ano passado, segundo a organização. Os candidatos disputarão 3.444 vagas distribuídas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp – Faculdade de Medicina e Enfermagem de São José do Rio Preto. A orientação é para que os candidatos cheguem ao local de prova às 12 horas, já que os portões serão fechados às 13 horas.  O tempo máximo de prova na primeira fase é de cinco horas e o mínimo de três horas e trinta minutos. Os candidatos deverão levar uma foto colorida 3X4, datada, tirada em 2010 (com nome e número de inscrição anotados no verso), o original do documento indicado na inscrição, lápis, borracha, uma pequena régua e caneta esferográfica transparente.