23/11/2017 / Em: Clipping

 

Unicamp divulga gabarito da 1ª fase do Vestibular 2018 (Seja Bixo – Notícias – 23/11/2017)

A Comvest irá divulgar a lista dos aprovados para a segunda fase do vestibular no próximo dia 11 de dezembro

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgou o gabarito da prova da primeira fase do Vestibular Unicamp 2018. A primeira fase foi realizada no último domingo, dia 19 de novembro. A Comvest irá divulgar a lista dos aprovados para a segunda fase do vestibular no próximo dia 11 de dezembro, juntamente com os locais de prova da segunda fase. Já as notas obtidas dos candidatos na primeira fase, serão divulgadas dia 21 de dezembro.

 


Unicamp altera regras do vestibular (Jornal Metro – Foco – 23/11/2017)

Criado em 2004 como uma forma de ampliar a inclusão nos cursos de graduação da Unicamp, o PAAIS (Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social) vai sofrer modificação importante para o exame de 2019. O objetivo, segundo o professor José Neves, que é presidente da comissão do vestibular, é corrigir distorções graves que vinham se acentuando ao longo dos anos por conta do programa. O PAAIS oferece hoje uma pontuação adicional de 120 pontos a candidatos que fizeram o ensino médio em escola pública – um benefício que segundo Neves, afetou de forma significativa o resultado final da seleção, especialmente para os cursos mais concorridos. A comissão decidiu reduzir o bônus para um limite de 60 pontos e ampliar o benefício também para os alunos que fizeram ensino fundamental 2 em escola pública. Para Alves, essa nova sistemática garante equilíbrio ao exame de seleção. O presidente do Comvest lembrou ainda que a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) vai ser usada apenas parcialmente pela universidade. Será aplicada nos casos de alunos de escola pública e os auto-declarados pretos, pardos e indígenas. Cinco por cento dessas vagas  serão reservadas a pretos, pardos e indígenas provenientes de escola privada. Na terça-feira, a Unicamp aprovou a adoção de cota étnico-racial. Serão destinados 25% das vagas para autodeclarados pretos e pardos à essa população. A partir de 2021, o vestibular indígena será obrigatório.

 


Unicamp divulga gabarito oficial da 1ª fase do vestibular 2018; confira (G1 – Campinas e Região – 22/11/2017)

Universidade aplicou prova para 76,2 mil candidatos no domingo. Feminismo, desastre ambiental em Mariana (MG) e ditadura na América do Sul estão entre temas abordados no exame.

A Unicamp divulgou na tarde desta quarta-feira (22) o gabarito oficial da primeira fase do vestibular 2018, realizado no domingo. Ao todo, 76,2 mil candidatos participaram do processo seletivo para 3,3 mil vagas em 70 cursos de graduação. O exame foi composto por 90 questões de múltipla escolha: 13 de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa, 13 de matemática, 9 de história, 9 de geografia (inclui filosofia e sociologia), 9 de física, 9 de química, 9 de biologia, 7 de inglês e 12 interdisciplinares. Feminismo, o desastre ambiental em Mariana (MG) e ditaduras em países da América do Sul estão entre os temas abordados no exame. A primeira fase foi aplicada em 31 cidades de São Paulo, além de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Fortaleza (CE). O índice de abstenção chegou a 9,02%, segundo a comissão organizadora (Comvest). A lista de aprovados nesta etapa, os locais de aplicação das provas da segunda fase e as notas de corte por curso serão divulgados em 11 de dezembro, informou a universidade. Já as notas obtidas pelos candidatos na primeira etapa serão disponibilizadas pela comissão em 21 de dezembro.

Pontuação

A Unicamp utiliza a nota obtida pelo candidato no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – parte de conhecimentos gerais – para compor a nota final da primeira fase, desde que ele tenha autorizado no formulário de inscrição. A atribuição ocorre por meio de padronização. Além disso, a universidade concede aos participantes do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (Paais), após o vestibular, 60 pontos à nota final da primeira fase. Quem for convocado para a segunda etapa terá acréscimo de 90 pontos à nota da redação e 90 pontos à nota de cada prova que compõe a nota final da segunda fase, segundo manual disponível no site da Comvest. Candidatos inscritos no grupo e autodeclarados pretos, pardos ou indígenas (segundo classificação do IBGE) receberão outros 20 pontos à nota final da primeira fase; enquanto que os convocados para a etapa seguinte terão mais 30 pontos à nota da redação e mais 30 na nota final da segunda fase. Só será contemplado quem fez a indicação durante o período de inscrição. Segundo a Comvest, são beneficiários do Paais candidatos que fizeram todo ensino médio regular ou ensino médio supletivo (presencial, semipresencial ou a distância) na rede pública nacional; ou quem terminou o ensino médio por meio de exames nacionais como Enem – até 2016 – ou Encceja.

2ª fase do vestibular

As avaliações ocorrem em janeiro de 2018. Cada uma terá quatro horas de duração:

14/01 – Redação e prova de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa

15/01 – Matemática, geografia e história

16/01 – Física, ciências biológicas e prova de química

De acordo com a Comvest, as avaliações de habilidades específicas serão na semana posterior:

22 a 24/01 – Prova para Artes Cênicas e Artes Visuais

22 a 25/01 – Prova para Dança

24/01 – Prova para Arquitetura e Urbanismo

Mudanças

A partir do vestibular 2019, a Unicamp implementará cotas étnico-raciais e terá vagas pelo Enem. Além disso, realizará um processo seletivo para indígenas e terá “cadeiras extras” para os candidatos que se destacarem em olimpíadas que tenham abrangência nacional.

 


Unicamp divulga gabarito da primeira fase do vestibular 2018 (A Tribuna – Notícias – 22/11/2017)

Lista de aprovados sairá no próximo dia 11; já as notas serão divulgadas em 21 de dezembro

Já está disponível para consulta na internet o gabarito oficial da primeira fase do vestibular 2018 da Unicamp. O exame, composto de 90 questões de múltipla escolha, foi aplicado no último domingo (19) e teve a participação de 76,2 mil candidatos. O índice de abstenção chegou a 9,02%. Na primeira fase, aplicada em 31 cidades de São Paulo, além de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Fortaleza (CE), os candidatos responderam a questões de língua portuguesa, matemática, história, geografia, física, química, biologia, inglês e interdisciplinares. A lista de aprovados para a segunda etapa será divulgada no próximo dia 11 de dezembro. Já as notas obtidas pelos candidatos serão disponibilizadas pela comissão em 21 de dezembro.

 


Unicamp divulga gabarito oficial da 1ª fase do vestibular 2018 (Brasil ao Minuto – Brasil – 22/11/2017)

76,2 mil candidatos participaram do processo seletivo para 3,3 mil vagas em 70 cursos de graduação

A Unicamp divulgou na tarde desta quarta-feira (22) o gabarito oficial da primeira fase do vestibular 2018, realizado no domingo. Segundo destaca o G1, 76,2 mil candidatos participaram do processo seletivo para 3,3 mil vagas em 70 cursos de graduação. A primeira fase foi aplicada em 31 cidades de São Paulo, além de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Fortaleza (CE). A prova reuniu 90 questões de múltipla escolha: 13 de língua portuguesa e literaturas de língua portuguesa, 13 de matemática, 9 de história, 9 de geografia (inclui filosofia e sociologia), 9 de física, 9 de química, 9 de biologia, 7 de inglês e 12 interdisciplinares. No dia 11 de dezembro deve ser divulgada a lista de aprovados, os locais de aplicação das provas da segunda fase e as notas de corte por curso. As notas obtidas pelos candidatos na primeira etapa serão disponibilizadas pela comissão em 21 de dezembro.

 


Unicamp divulga gabarito e cadernos de prova do vestibular 2018 (Guia do Estudante – Universidades – 22/11/2017)

Lista de aprovados para a segunda fase sai no dia 11 de dezembro; provas acontecem nos dias 14, 15 e 16 de janeiro

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou, nesta quarta-feira (22), o gabarito oficial e os cadernos de prova da primeira fase do vestibular 2018. No domingo (19), 76 mil candidatos (de 83 mil inscritos) responderam a 90 questões de múltipla escolha sobre o conteúdo comum do ensino médio: 13 língua portuguesa e literatura, 13 de matemática, 9 de história e 9 de geografia (incluindo filosofia e sociologia), 9 de física, 9 de química, 9 de biologia, 7 de inglês, além de 12 questões interdisciplinares.

Próximas datas

A lista de aprovados para a segunda fase será divulgada no dia 11 de dezembro, e as provas serão nos dias dias 14, 15 e 16 de janeiro de 2018. Para cursos que exigem provas específicas (Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança), os exames ocorrerão no período de 22 a 25 de janeiro de 2018. A primeira chamada para matrícula será publicada em 8 de fevereiro.

Concorrência

As carreiras mais concorridas do vestibular são Medicina, com 279 candidatos por vaga; Arquitetura e Urbanismo (97,6); Ciências Biológicas (51,8); Midialogia (48,5); Engenharia Química (34,8); Odontologia (32,1); História (31,8); Engenharia Civil (31,7); Engenharia de Produção (31,6) e Artes Cênicas (31,5).

 


Gabaritos da 1ª fase do Vestibular 2018 da Unicamp estão disponíveis (Super Vestibular – Notícias – 22/11/2017)

Provas aconteceram das 13h às 18h, em 31 cidades paulistas, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza.

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) já liberou os gabaritos junto com os cadernos de provas da 1ª fase do Vestibular 2018, realizado ontem, 19 de novembro, em 31 cidades do estado de São Paulo, além de Brasília, Belo Horizonte e Fortaleza. Em São Paulo, as provas serão aplicadas em Araçatuba, Avaré, Bauru, Botucatu, Bragança Paulista, Campinas, Franca, Guaratinguetá, Guarulhos, Indaiatuba, Jundiaí, Limeira, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi Guaçu, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Preto, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré e Valinhos. No total, a instituição recebeu mais de 83 mil inscrições. As provas tiveram início às 13h terminando às 18h.  As provas da primeira fase do Vestibular 2018 da Unicamp foram compostas por 90 questões objetivas de conhecimentos gerais, distribuídas entre Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa (13), Matemática (13), História (9), Geografia – incluindo Filosofia e Sociologia – (9), Física (9), Química (9), Biologia (9), Inglês (7) e outras 12 questões interdisciplinares.

Segunda fase

O resultado da 1a etapa e os locais de prova da segunda serão anunciados no dia 11 de dezembro. Os candidatos poderão consultar as notas da primeira fase no dia 21 de dezembro.A segunda fase será realizada entre os dias 14 e 16 de janeiro de 2018.

– Primeiro dia: Redação, Língua Portuguesa e Literatura

– Segundo dia: Matemática, Geografia e História

– Terceiro dia: Física, Ciências Biológicas e Química

Os concorrentes aos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança terão que fazer também testes de habilidades específicas entre os dias 22 e 24 de janeiro. Os candidatos à Música já fizeram os seus.

Concorrência

O Vestibular 2018 da Unicamp recebeu no total, 83.782 inscrições para as 3.340 vagas distribuídas em 70 cursos em Campinas, Limeira, Paulínia e Piracicaba. O curso mais concorrido é Medicina, com 279 candidatos por vaga. Em seguida estão Arquitetura e Urbanismo (97,6); Ciências Biológicas – Integral (51,8); Comunicação Social-Midialogia (48,5) e Engenharia Química – Integral (34,8).

Acesse a concorrência completa

Alunos da rede pública de ensino podem participar do Programa de Ação Afirmativa para Inclusão Social (PAAIS). Eles podem ganhar bônus na primeira e na segunda etapa do Vestibular 2018 da Unicamp. Também podem ser beneficiados candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. O resultado final, com a lista de aprovados em 1ª chamada, deve sair no dia 08 de fevereiro de 2018, com matrículas pela internet no dia 09 seguinte. A 2ª chamada deve ser liberada no dia 15 de fevereiro e as matrículas presenciais das duas primeiras convocações serão realizadas no dia 19 do mesmo mês. Para mais informações, acesse o Manual do Candidato ou o site da Comvest.

 


Entenda como a Unicamp utiliza a nota do Enem no vestibular (Via Carreira – Enem – 22/11/2017)

Descubra como a Unicamp usa a nota do Enem e conheça os projetos futuros da instituição.

Como a Unicamp utiliza a nota do Enem? A universidade melhora a nota do candidato ou substitui alguma fase do processo seletivo? – Essa dúvida é bastante comum entre os vestibulandos. Nesse artigo iremos explicar detalhadamente como a Universidade Estadual de Campinas aproveita o desempenho no principal exame da educação brasileira. A parte mais difícil já passou: você já fez a prova do Exame Nacional do Ensino Médio e agora está esperando a divulgação da sua nota para usa-la Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou no Programa Universidade para Todos (ProUni). Mas é apenas nesses processos que você pode usar a sua nota? A resposta é não. A sua nota do ENEM pode ser utilizada em outros processos seletivos de universidades federais e estaduais, dependendo é claro, do que está definido do edital. Nesse contexto, saiba como a Unicamp utiliza a nota do Enem.

Como a Unicamp utiliza a nota do Enem: entenda o cálculo

Como tantas outras universidades brasileiras, a Unicamp utiliza a nota do Enem para compor a nota final da primeira fase do vestibular. No entanto, o desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio só é considerado se o candidato autorizar, através do preenchimento do formulário de inscrição. A Comvest considera a maior nota do Enem nos últimos dois anos. O cálculo é realizado da seguinte forma: NPE = 500 + (NE – ME) x 100/DPE. Vale ressaltar que NPE é o mesmo que Nota Padronizada no Enem e NE é a soma dos escolares do Enem. ME é a média de NE e DPE é o desvio padrão de NE entre todos os candidatos que optaram pelo uso do Enem. Para entender melhor a fórmula que utiliza a nota do Enem no vestibular da Unicamp, consulte a página 9 do manual do candidato.

Projetos de implementação

O Conselho Universitário da Unicamp (Consu) está em um período de estudo e discussão para a implementação dos projetos de utilização da nota do Enem no processo seletivo da universidade para 2019. Uma das mudanças é que 15% das 3300 vagas serão destinadas às pessoas que se autodeclaram pretas, pardas ou indígenas. A discussão relacionada ao Enem que está sendo debatida entre os conselheiros é a reserva de 20% dos 70 cursos de graduação no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Nesse caso, 10% das vagas seriam reservadas a alunos que estudaram, exclusivamente, em escolas públicas. Outros 5% contemplariam pessoas que se autodeclararem pretas, pardas ou indígenas e que também são oriundas da rede pública de ensino e os 5% finais seriam reservados para alunos que se auto declararem pretos, pardas ou indígenas. Essa forma que a Unicamp utiliza a nota do Enem visa incluir alunos que, normalmente, não são aprovados no processo seletivo por uma consequência da desigualdade social. Dessa forma, os estudantes oriundo de escolas públicas têm mais chances e possibilidades, utilizando a nota do Enem, de ingressar em uma das  universidades mais renomadas do país.

Vestibular indígena

Outra pauta discutida pelos conselheiros da Unicamp é a realização de um vestibular indígena. Seriam 32 oportunidades nos cursos de: medicina, ciências biológicas, farmácia, enfermagem, educação física, nutrição, ciências sociais, letras, linguística, pedagogia, geografia, história, filosofia, administração, midialogia e engenharia agrícola. Essa proposta ainda está sendo estudada para uma maior discussão sobre o tema, principalmente, relacionados a melhorias e inclusão dessas indígenas no ambiente universitário.

Instituição

Atualmente, a Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, tem 3300 vagas distribuídas entre 70 cursos de graduação. Todos os anos, são formadas turmas das mais diversas áreas do conhecimento, como exatas, humanas, biológicas e ciências sociais e aplicadas. A meta do conselho da Unicamp é que 50% dos futuros universitários da instituição sejam estudantes oriundos da rede pública. Existe, ainda, o objetivo de buscar o índice de 37,5% de autodeclarados pretos, pardos e indígenas. E aí? Restou alguma dúvida sobre como a Unicamp utiliza a nota do Enem?

 


Universidade brasileira aprova cotas para negros e mulatos e exame para indígenas (Diário de Notícias Lisboa – Internacional – 22/11/2017)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), uma das mais importantes instituições de ensino superior do Brasil, vai dedicar 25% das suas vagas a alunos negros e mulatos, além de realizar um exame de entrada exclusivo para estudantes indígenas. As mudanças no sistema de ingresso da Unicamp foram decididas pelo Conselho Universitário da instituição na última terça-feira e valem a partir de 2019. Segundo o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, estes mecanismos que flexibilizam o acesso devem aumentar a representatividade de alunos de diferentes camadas sociais nos 70 cursos de graduação da instituição. “Agora, daremos início a uma nova etapa, que incluirá a criação da Secretaria de Ações Afirmativas, Diversidade e Equidade, instância que cuidará de questões como acompanhamento e permanência estudantil, e a elaboração dos respetivos editais”, acrescentou o reitor. Além das cotas étnico-raciais e do processo seletivo para indígenas, a Unicamp também aprovou mudanças no Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS), que dará uma bonificação aos candidatos que estudaram em escolas públicas nas provas de seleção e aprovou a possibilidade de estudantes ingressarem na universidade com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para o coordenador-executivo do processo de seleção da Unicamp, José Alves de Freitas Neto, a mudança “sinaliza que a Unicamp reconhece a existência de múltiplas experiências educacionais que merecem ser consideradas na busca pelos melhores estudantes.” Já a pró-reitora de Graduação, Eliana Amaral, acrescentou que “a diversidade é um substrato fundamental para a universidade. Olhares e experiências diferentes ajudam a ciência a formular soluções criativas e inovadoras para os problemas que ela investiga.” A inclusão de alunos negros e mulatos foi ainda destacada pelo professor Mário Augusto Medeiros da Silva, integrante do Núcleo de Consciência Negra da Unicamp. Para ele, os pontos aprovados são conquistas e “reforçam o princípio da diversidade social como uma estratégia científica da Unicamp, aliada ao mecanismo de redução de desigualdades de acesso à educação superior e ao combate ao racismo e à discriminação na sociedade brasileira.”  Conhecida como uma das melhores instituições de ensino superior do Brasil, a Unicamp ultrapassou a Universidade de São Paulo (USP) em 2017 e chegou ao primeiro lugar no ranking de melhores universidades da América Latina, segundo a revista britânica Times Higher Education (THE), uma das principais publicações dedicadas ao ensino superior no mundo.