23/02/2016 / Em: Clipping

 


Unicamp (Correio Popular – Correio do Leitor – 23/02/16)

Unicamp 1
Sergio Toshio
Engenheiro, Campinas
Fica claro para nós, pais, que devemos daqui para frente matricular nossos filhos em escolas públicas. Ao destinar 12% das vagas da Unicamp às escolas não públicas, a concorrência fica impossível. De preferência, matricular em escolas públicas como o Cotuca, da Unicamp, cuja nota no Enem sem bônus já supera a totalidade das privadas e os estudantes passariam sem o bônus, com ele é praticamente certo o ingresso. Dados ao apelo midiático, nos próximos anos veremos 100% das vagas preenchidas pelas públicas, eliminando o acesso aos alunos das privadas por não existirem mais vagas. Interessante que todos fazem vista grossa à lei nº 12.711/2012, que não permite qualquer tipo de discriminação na admissão em escolas públicas ou privadas.



Mudança no ensino médio vai das aulas à arquitetura   (UOL – Educação – 22/02/16)

Com projetos escolhidos pelo Ministério da Educação, colégios adotaram estratégias para tornar o ensino médio atraente. Na escola estadual Ítalo Betarello, zona norte, a evasão era alta nas noite de sextas-feiras. “A rua, a balada, os amigos eram mais convidativos do que a escola”, diz o diretor Ariovaldo Guinther. A escola substituiu as aulas desse dia por oficinas. Os alunos podem escolher projetos como pintura, teatro, cinema, culinária, percussão e produção de um jornal. Segundo Guinther, a evasão caiu de 30%, em 2012, para 2% em 2015. O colégio Elvira Brandão, em Santo Amaro, zona sul, também mudou “O modelo que nós tínhamos, de escola fechada e hierarquizada, não funciona mais”, diz Renato Judice de Andrade, diretor. Para 2016, as salas foram reformadas com sugestões dos alunos, que aboliram as carteiras e a lousa da sala. Agora, têm mesas de uso em grupo ou duplas e bancadas. Há ainda um sofá e uma miniarquibancada.