23/11/2012 / Em: Clipping

 


Jovens driblam cansaço para fechar ‘maratona’ de provas com a Fuvest   (Globo.Com – G1 Vestibular – 22/11/12)

A maratona de provas das primeiras fases dos vestibulares das principais universidades públicas de São Paulo termina neste domingo (25) com a Fuvest, que seleciona alunos para a Universidade de São Paulo (USP). Os candidatos que, além dos vestibulares, fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) fecham o mês de novembro com quatro domingos de provas sem folga. E ainda tem muito mais por vir. As etapas finais dos exames só terminam na primeira quinzena de janeiro de 2013. Estudantes ouvidos pelo G1 disseram que, apesar do ritmo puxado, o sentimento que melhor define o momento é a ansiedade, e não o cansaço. Os vestibulandos seguem nos estudos nesta reta final, já que se a tendência dos últimos anos se mantiver, a prova da Fuvest será a mais difícil do mês. Camila dos Santos Lima, de 17 anos, cursa o 3º ano o ensino médio no Colégio Albert Sabin e está na disputa por uma vaga em biomedicina. Para ela, o cansaço pode atrapalhar o desempenho, por isso, é importante relaxar. “Agora é hora de demonstrar o que aprendi, e a ansiedade é maior que tudo.” Antes das provas, Camila procura se distrair e se divertir. Antes do Enem, assistiu séries na TV com a irmã. Para a prova da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), relaxou no cinema com uma amiga. Um dia antes do vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp), estava na praia. Agora, na véspera da Fuvest, pretende fazer um piquenique com as amigas em algum parque da cidade. “Essas coisas ajudam muito”, disse. O que também contribui com a tranquilidade de Camila foi o bom desempenho nas provas que já realizou. Segundo ela, o aproveitamento foi de 75% a 80% o que aumenta as chances de ela ser aprovada para as segundas fases dos vestibulares.



Possíveis cotistas da rede pública têm desempenho melhor que privada no Enem   (IG – Educação – 22/11/12)

As médias dos estudantes de escolas públicas que poderiam se candidatar às vagas das cotas aprovadas este ano no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011 ficaram acima dos alunos da rede privada. O ministro Aloizio Mercadante apresentou dados para mostrar que as universidades não terão prejuízos de qualidade de ensino com a chegada obrigatória dos estudantes de escolas públicas determinada pela lei nº 12.711, que criou as cotas para egressos da rede pública nas federais. Levantamento feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), feito com base nas notas dos estudantes no Enem 2011, mostra que a média das notas dos 37,5 mil estudantes que estão concluindo o ensino médio na rede pública com melhor desempenho no Enem ficou em 630,4 pontos.Eles representam o mínimo de 12,5% de egressos de escolas públicas que precisam ingressar pelas cotas nas universidades. O total é superior à média dos concluintes dessa etapa na rede privada que fizeram a prova – 246,7 mil alunos –, cuja média foi de 569,2 pontos.