24/03/2014 / Em: Clipping

 


Unicamp libera sétima chamada do vestibular 2014 e lista de espera   (Globo.Com – G1 Vestibular – 19/03/14)

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta sexta-feira (21), na internet, a lista com 41 nomes de convocados em sétima chamada no vestibular 2014. Os convocados devem fazer a matrícula na terça-feira (25), das 9h às 12h, somente no campus de Campinas (SP), na Diretoria Acadêmica (DAC), inclusive os ingressantes nos cursos da Faculdade de Odontologia (FOP), Faculdade de Tecnologia (FT) e Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), e da Faculdade pública de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). A Comvest também divulgou nesta sexta-feira uma lista de espera com 93 nomes.


 
Unicamp divulga lista da sétima chamada do vestibular 2014  (UOL – Vestibular – 21/03/14)

A Comvest (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp) disponibilizou a lista de convocados em sétima chamada no vestibular 2014 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) nesta sexta-feira (21). Segundo a Comvest, a lista tem 41 nomes. Todos os aprovados em quinta chamada devem fazer a matrícula no dia 25 de março, entre 9h e 12h, somente no campus de Campinas, na Diretoria Acadêmica (DAC), inclusive os ingressantes nos cursos da Faculdade de Odontologia (FOP), Faculdade de Tecnologia (FT), Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e da Famerp.



Unicamp libera a 7ª chamada do Vestibular 2014 e uma lista de espera   (EPTV – Virando Bixo – 21/03/14)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta sexta (21) a lista de convocados em 7ª chamada no Vestibular 2014. A relação tem 41 nomes. Todos os aprovados em 7ª chamada deverão efetuar a matrícula na terça-feira (25), das 9h às 12h, somente na Diretoria Acadêmica (DAC) do campus de Campinas, inclusive os convocados para a Faculdade de Odontologia (FOP), que funciona no campus de Piracicaba, para a Faculdade de Tecnologia (FT) e para a Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), estas nos campi de Limeira. As matrículas dos convocados para os cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto) também devem ser realizadas na DAC, em Campinas.



Fraudes na Uerj evidenciam falhas do sistema de cotas   (Veja – Educação – 22/03/14)

A foto de uma jovem em uma praia, publicada no Facebook, motivou o comentário de uma amiga. “Ficou morena?”, perguntou. A menina da foto, para não deixar dúvida sobre como se enxerga, respondeu com um palavrão irreproduzível: “Sou loira, p…” Desde setembro, a jovem da foto, Vanessa Daudt, frequenta o curso de enfermagem na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a Uerj. Para a instituição, no entanto, ela apresentou uma ideia diferente sobre seu tom de pele e sua descendência. Vanessa declarou ser negra ou índia e afirmou ter baixa renda. Conseguiu, assim, ingressar na faculdade apesar de ter ocupado o 122º lugar na classificação geral, para um curso com 80 vagas. Como cotista, Vanessa disputou 16 vagas com 34 candidatos – 2,19 interessados em cada cadeira. Na seleção normal, a corrida seria bem mais apertada: teria que brigar com 515 vestibulandos por 44 matrículas. O caso de Vanessa é um dos mais de 60 sobre as mesas dos promotores de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio. Desde 2007, denúncias anônimas e dos próprios estudantes avolumam-se em um inquérito de mais de 3.000 páginas dedicado a descobrir se o sistema de cotas na Uerj, que toma previamente 45% das vagas da instituição, é usado como atalho ilegal para estudantes que se aproveitam das fragilidades da lei estadual 5.346 – a que dispõe sobre o sistema de cotas nas universidades estaduais do Rio. Como é sabido por todos os candidatos, basta declarar-se negro ou índio e apresentar comprovantes de baixa renda para ser avaliado como cotista, com absurdas vantagens sobre os demais concorrentes.