24/05/2011 / Em: Clipping

 


Unicamp mantem o uso opcional da nota do Enem  (Gazeta do Povo/Curitiba – Vestibular – 23/05/11)

A Comiss ão Permanente para os Vestibulares da Unicamp, Comvest, informou na manhã desta segunda-feira que utilizará as notas Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no vestibular deste ano. A condição é que os dados sejam fornecidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até o dia 15 de janeiro de 2012. As notas do Enem 2011 não serão consideradas na composição da nota de primeira fase do vestibular utilizada na classificação para a segunda fase do mesmo, devido às datas de realização das provas – previstas para 22 e 23 de outubro de 2011 – muito próxima da data limite que seria necessária para o recebimento dos dados, 30 de novembro.



Em  6  horas,  300  mil  alunos  se  inscrevem  no  Enem  (RAC – Educação – 24/05/11)

Nesta segunda-feira (23/05), no primeiro dia de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), foram registradas uma média de 470 inscritos por minuto. Segundo balanço do Ministério da Educação, foram 300 mil inscritos em seis horas. Neste ano, o exame ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro e os interessados têm até as 23h59 do dia 10 de junho para fazer a inscrição no site do Enem. Desde 2009, o MEC deu início a um projeto de substituição dos vestibulares tradicionais pelo Enem. A partir do resultado da prova, os alunos se inscrevem no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e podem pleitear vagas em instituições públicas de ensino superior de todo o País.



Unicamp volta a usar nota do Enem  (Correio Popular – Cidades – 24/05/11)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) voltará a utilizar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Vestibular 2012, desde que elas sejam disponibilizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até o dia 15 de janeiro do próximo ano. A novidade foi anunciada ontem pela Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest). O exame deixou de ser utilizado para compor as notas da primeira fase nos dois últimos vestibulares porque os resultados não saíam a tempo. O Enem irá compor até 20% da nota obtida na primeira fase — o que equivale a aproximadamente 4% da nota final do vestibular —, coma diferença de que, neste ano, esse processo só ocorrerá no momento de calcular as notas finais dos candidatos, após a segunda fase. Caso o Ministério da Educação não disponibilize o resultado do exame até o dia 15 de janeiro, as notas não serão consideradas para nenhum dos candidatos. A Unicamp informou que não vai considerar o Enem para a composição da nota de primeira fase do vestibular, utilizada na classificação para a segunda etapa da seleção, em função das datas de realização das provas do Enem, previstas para 22 e 23 de outubro. De acordo com a Comvest, essas datas impedem que as notas do Enem estejam disponíveis, com segurança, até 30 de novembro, data limite para utilização para a passagem da primeira à segunda fase do vestibular. “Apesar de ter um peso pequeno, o exame pode ajudar na classificação final do candidato. Também é uma forma de incentivar os estudantes aprestarem o exame, que é utilizado em outro processo seletivo da Unicamp, o Profis. O Enem ainda poderá substituir o Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes)para aqueles alunos ingressantes no Ensino Superior”,disse o coordenador da  Comvest, Renato Pedrosa.

Opcional

Como nas edições anteriores, o uso do Enem continua sendo opcional para os candidatos. A escolha pela utilização da pontuação deverá ser feita no momento das inscrições do Vestibular Unicamp 2012. A Comvest esclarece que o Enem só será considerado quando melhorar a nota da prova. A novidade foi bem recebida pelos amigos Theodoro Soares de Camargo, de 18 anos, e Bruno Lopes da Silva, também de 18. “É uma nota que só vai alterar o resultado do vestibular positivamente, então é válido optar por usar”, disse Camargo. “Não vai alterar tanto a nota final, mas já ajuda a passar na frente de muito candidato”, afirmou Silva, que vai prestar os dois exames pela primeira vez. As inscrições para o vestibular da Unicamp serão realizadas de 22 de agosto a 23 de setembro, exclusivamente pelo site  www.comvest.unicamp.br. A primeira fase será em 13 de novembro e a segunda etapa será realizada nos dias 15, 16 e 17 de janeiro. O calendário completo está disponível na página eletrônica da Comvest.



O mérito, as cotas e o racismo (Folha de S.Paulo – Opinião – 24/05/11)

O reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente, me acusa de um delito, o racismo, que teria sido cometido em audiência no Supremo Tribunal Federal, em 2010. Nela, defendi as cotas sociais, em vez das raciais, para a ação afirmativa atender a quem realmente precisa: os pobres de todas as cores. Em nenhum trecho falei o que Vicente alega em artigo publicado nesta Folha no dia 19 de abril (“É o racismo, estúpidos!”, “Tendências/Debates”). Naquele e em outros debates sobre cotas me vali das ciências, como a biologia e a história. Citei dados para embasar afirmações como a de que só existe uma raça, a humana. Nas vagas de cotas, qual critério usar? A cor da pele? Pesquisa do projeto Raízes Afro-brasileiras mostrou que os genes do sambista Neguinho da Beija-Flor são 67,1% europeus e 31,5% africanos. O país inteiro é assim. O sangue é tão misturado que um laboratório é incapaz de identificar a coloração da epiderme que picou para extraí-lo. Só sabe que foi bombeado por um coração brasileiro. Há filhos do mesmo pai, da mesma mãe, em que um é negro e o outro é branco. Gêmeos idênticos, cor de pele igual, foram divididos por universidade cotista: “Esse é negro, esse é branco”. É a diversidade de um país que celebra Pelé e Clarice Lispector, Machado de Assis e Patrícia Pillar. Isso acabou evitando, no texto de que fui relator e do qual resultou o Estatuto da Igualdade Racial, a implantação de uma guerra que o povo nunca travou. Ao contrário. A legislação, ao longo dos anos, tem sido implacável com o racismo. No artigo, Vicente me acusa de “destilar em praça pública os venenos que reservava para ambientes privados”. Membros de ONGs acreditaram na matéria e a distribuíram via e-mail e em sites, blogs e perfis nas redes sociais. Começou com premissa não checada por um reitor, e o efeito viral tornou um parlamentar o racista da vez. Quem, então, “destila veneno”? O rosário vai do jogador Roberto Carlos aos brutamontes que brigam em estacionamento. O propósito da colagem de manchetes é dar a impressão de que a apologia ao mérito tem o efeito de formar gangues. E sou eu o acusado de usar “retórica dissimulada”. Ao abrir, do alto do prestígio do jornal e da massificação da internet, o travesseiro com as penas das inverdades, Vicente me obriga a recolhê-las, uma a uma, como no tradicional exemplo dos crimes contra a honra. E sou eu quem “faz mau uso do direito de expressão pra fins pessoais inconfessáveis”. Nos comentários dos leitores virtuais, sobraram xingamentos raivosos. E sou eu quem “fomenta, de modo irresponsável, o ódio racial”. Os dados sem checagem o fizeram errar nome de congressista (confunde o deputado Júlio Campos com o senador Jayme Campos) e enxergar ligação entre a defesa do mérito e a “perseguição, a agressão e a eliminação de negros, de judeus e de homossexuais”. Não há qualquer relação com esses absurdos. O que celebrei foi o painel multicor que torna tão belo e rico este Brasil heterogêneo. A intolerância se disfarça dos mais nobres sentimentos, nutre-se do senso comum e, espalhando-se pelo politicamente correto, “tateia sutilmente pelas frestas e se mistura sinuosamente com naturalidade cotidiana”. A saída é a educação. Inclusive na Zumbi, mas quando se trabalhar para tirá-la do 1.568º lugar entre as faculdades e da nota 2 no índice de cursos. Melhorar dá trabalho, mas é mais eficiente que achincalhar honra, crime que devemos “repudiar e combater sem trégua e sem piedade, sem diminuí-lo e sem ignorá-lo”, exatamente como agimos nos casos de racismo.

DEMÓSTENES TORRES, procurador de Justiça, é senador da República pelo DEM-GO.

Unicamp vai usar nota do Enem no próximo vestibular  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 24/05/11)

A Unicamp vai usar a nota do Enem -do ano passado ou deste ano- no próximo vestibular. Para aceitar o resultado, a instituição deve receber as notas do exame de 2011 até 15 de janeiro. A nota será usada como 20% da primeira fase no cálculo final do resultado do aluno. O candidato fará a primeira fase normalmente. Aqueles que fizerem a segunda fase é que terão a nota no Enem incluída no cálculo final. A redação não será considerada. A utilização do exame para compor a nota final do candidato é opcional. As inscrições para o Enem começaram às 10h de ontem. Somente nos primeiros 15 minutos, 24 mil pessoas se inscreveram na avaliação.



Saiba como fazer a sua inscrição no Enem  (Jornal Agora – Dicas – 24/05/11)

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) começou a receber ontem as inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) pela internet. Nas duas primeiras horas de funcionamento do sistema, cerca de 470 candidatos se cadastraram por minuto. Após seis horas, 300 mil candidatos já haviam feito o cadastro. São esperados 6 milhões de inscritos neste ano. Em 2010, foram 4,6 milhões de candidatos e, em sua primeira edição (1998), o exame atraiu apenas 157.076 alunos do ensino médio. De acordo com o MEC (Ministério da Educação), a inscrição leva, em média, quatro minutos e meio para ser concluída. A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) informou ontem que deverá voltar a utilizar o Enem em seu vestibular neste ano. Por problemas no cronograma, isso não ocorreu nas duas últimas edições do processo seletivo. Entretanto a utilização do Enem está condicionada à data de divulgação dos resultados do exame. Segundo a Unicamp, se as notas não forem publicadas até o dia 15 de janeiro do ano que vem, o Enem não será considerado. A forma de utilização da nota também será diferente. O exame não vai ajudar o candidato a passar para a segunda fase, mas poderá aumentar a nota da primeira fase em até 20% –no cálculo da nota final do vestibulando. A USP (Universidade de São Paulo) e a Unesp (Universidade Estadual Paulista) ainda não decidiram como usarão a nota do Enem em seus vestibulares.



Em 6 horas, 300 mil se inscrevem no Enem(Jornal Cruzeiro do Sul – Educação – 24/05/11)

Ontem, no primeiro dia de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), foram registradas uma média de 470 inscritos por minuto. Segundo balanço do Ministério da Educação, foram 300 mil inscritos em seis horas. Neste ano, o exame ocorrerá nos dias 22 e 23 de outubro e os interessados têm até as 23h59 do dia 10 de junho para fazer a inscrição no site do Enem. Desde 2009, o MEC deu início a um projeto de substituição dos vestibulares tradicionais pelo Enem.



Comvest define como utilizará exame em seu vestibular 2012 (Gazeta de Limeira – Geral – 24/05/11)

Por meio de nota, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) informou que utilizará as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no vestibular deste ano, desde que elas sejam disponibilizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até o dia 15 de janeiro de 2012.  As notas do exame não serão consideradas na composição da nota de primeira fase do vestibular utilizada na classificação para a segunda fase do mesmo, devido às datas de realização das provas do Enem 2011 – previstas para 22 e 23 de outubro de 2011. Essas datas impossibilitam que as notas da prova estejam disponíveis, com segurança, até 30 de novembro de 2011 (data-limite necessária para que a Comvest utilizasse as notas para a passagem da primeira à segunda fase do Vestibular Unicamp 2012). Assim como em edições anteriores do vestibular, o uso do exame – a partir das notas obtidas nas provas de Linguagem, Matemática, Ciências Humanas e Ciências Naturais do Enem 2010 ou 2011 – continua sendo opcional para os candidatos e só será considerado quando melhorar a nota da prova a que se incorpora. No vestibular da Unicamp, o exame compõe até 20% na nota obtida na primeira fase, com a diferença que neste ano esse processo só ocorrerá no momento de calcular as notas finais dos candidatos, após a segunda fase.



Unicamp anuncia utilização das notas do Enem  (Jornal de Jundiaí – Educação – 23/05/11)

A Comvest (Vestibulares da Unicamp) anunciou nesta segunda-feira (23) que utilizará as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no vestibular 2012. Porém, elas não serão consideradas na primeira fase do vestibular, pois as provas do Enem acontecem nos dias 22 e 23 de outubro de 2011, o que impede que a divulgação das notas pelo Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) saia a tempo do vestibular da Unicamp, marcado para o dia 30 de novembro de 2011. O uso do Enem continua sendo opcional para os candidatos, pode compor até 20% da nota final após a segunda fase, e só será considerado quando puder melhorar o desempenho da prova a que se incorpora.



Unicamp admite utilizar nota do Enem no seu vestibular  (Veja – Educação – 23/05/11)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) informou nesta segunda-feira que vai utilizar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na composição da nota final do Vestibular 2012 da instituição. No ano passado, a Unicamp, assim como a Fuvest, havia descartado a nota do Enem. A nota, porém, só será utilizada se o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC) responsável pelo Enem, se comprometer a divulgar o resultado das provas até 15 de janeiro de 2012. O Inep ainda não divulgou a data que pretende disponibilizar o desempenho final dos candidatos.