24/06/2015 / Em: Clipping

 

cid:image001.gif@01D0AE5F.F8FB4F90
USP no Enem: entenda como será a disputa de vagas no Sisu e na Fuvest   (Globo.Com – G1 Vestibular – 24/06/15)

A Universidade de São Paulo (USP) vai aceitar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para 1.499 vagas no vestibular de 2016. Elas vão ser disputadas não pela Fuvest, mas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu ), do Ministério da Educação. A mudança só vale para 13,5% do total de vagas dos cursos de graduação da USP, mas representa uma série de novas regras para quem quiser estudar na melhor e maior instituição pública do Brasil. Veja abaixo as principais dúvidas e respostas sobre o tema:

‘Ficamos ilhados por muito tempo’, diz reitor da USP sobre uso do Enem   (Globo.Com – G1 Vestibular – 24/06/15)

A esperada adesão da Universidade de São Paulo (USP) ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na tarde desta terça-feira (23), foi aprovada por uma grande maioria. Dos 102 membros do Conselho Universitário (CO) presentes na reunião, 91 foram a favor da ideia, 10 votaram contra e houve uma abstensão. O reitor da USP, Marco Antonio Zago, defendeu a proposta e comemorou a vitória. “Hoje é o dia de comemorar. Ficamos ilhados por muitos anos, agora nós começamos a quebrar essa parede”, afirmou ele após a decisão. Porém, os representantes dos estudantes e funcionários da USP que votaram contra a resolução criticaram a falta de debate sobre a implantação de cotas raciais na instituição. De acordo com o documento, no próximo vestibular 1.499 das 11.057 vagas será oferecidas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. Dos 143 cursos da USP, 85 terão uma parte de suas vagas no processo seletivo que usará apenas a nota do Enem 2015. Embora em 67 dos cursos da USP no Sisu terem vagas reservadas para estudantes que fizeram todo o ensino médio na rede pública (o equivalente a 77,3% das vagas da universidade no sistema), só 14 deles também anunciaram que vão reservar parte das vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas. Essa é a primeira vez que a USP terá cotas específicas no vestibular para a graduação. Até então, a única política de ação afirmativa da instituição era o Inclusp, que dá bônus sobre a nota dos candidatos da Fuvest oriundos da rede pública e/ou pretos, pardos e indígenas. O Inclusp continua valendo para as vagas que ainda serão selecionadas pela Fuvest (86,5% do total).

‘Notícia muito boa’, diz ministro sobre adesão da USP ao Enem

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou na noite desta terça-feira (23) ter ficado “muito contente” com a adesão da Universidade de São Paulo (USP) ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Por maioria dos votos, o Conselho Universitário da instituição decidiu que, no vestibular 2016, 13,5% das 11.057 vagas serão oferecidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Em entrevista ao G1, Janine Ribeiro afirmou que a decisão é uma “notícia muito boa”.

Medicina USP rejeitou Enem para priorizar Fuvest e Inclusp, diz diretor

Universidade de São Paulo (USP) aprovou, na tarde desta terça-feira (23), a adesão parcial ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. A Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), no entanto, já havia rejeitado a adoção do Sisu como forma de ingresso.


cid:image002.gif@01D0AE63.1DE226A0
Unicamp já inscreve para UPA 2015; evento acontecerá em agosto   (EPTV – Virando Bixo – 24/06/15)

As inscrições para a participação na Unicamp de Portas Abertas (UPA) de 2015 estão abertas e devem ser efetuadas no site do evento. Neste ano, a UPA ocorrerá no dia 29 de agosto. A expectativa da Coordenadoria Geral da Universidade (CGU) é de que pelo menos 50 mil estudantes de Ensino Médio de todo o Brasil visitem o campus de Barão Geraldo, em Campinas, e participem das atividades que serão oferecidas.


cid:image003.gif@01D0AE67.B327AA10
Seleção pelo Enem e cotas dividem analistas dentro e fora da USP   (Folha Online – Educação – 24/06/15)

O novo formato de seleção de calouros dividiu analistas dentro e fora da USP.  Para Adolpho José Melfi, ex-reitor da instituição, a adoção do Enem como instrumento de seleção é uma “boa medida”, que pode ampliar a inclusão na universidade.