27/08/2009 / Em: Clipping

 


Aplicação do Enem 2009 custará R$ 100 milhões , diz ministro ( UOL – Educação – 27/08/09)

A logística para aplicação do novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) custará ao MEC (Ministério da Educação) R$ 100 milhões. Foi o que informou hoje (27) o ministro Fernando Haddad, em entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro, no estúdio da EBC (Empresa Brasil de Comunicação). Perguntado sobre a possibilidade de adiamento do Enem em função do atraso no início das aulas para evitar o contaminação de alunos pelo vírus Influenza H1N1, Haddad disse que a definição de uma nova data não é possível devido à logística de aplicação das provas. “São milhares de salas de aplicação de provas pelo país, o Enem será realizado em quase 2 mil municípios. Na verdade nós já adiamos o Enem em cinco semanas porque nos anos anteriores ele era feito em agosto. Em 2009 nós adiamos para outubro em função das especifidades da nova prova.” A partir de 2009 o Enem servirá como forma de ingresso em pelo menos 40 das 55 universidades federais. Cerca de 4,5 milhões de estudantes se inscreveram para participar da prova. Segundo o ministro, a proposta feita aos reitores das instituições públicas é de que até 2011 o Enem substitua totalmente o vestibular tradicional. “Estipulamos um prazo de transição de três anos para acabar com o vestibular tradicional e permitir o acesso facilitado do aluno ao ensino superior.”



Haddad: jovem preparado para o vestibular, vai bem no Enem  (Terra – Educação – 27/11/09)

Em entrevista na manhã desta quinta-feira durante o programa Bom Dia, Ministro, o ministro da Educação, Fernando Haddad, falou sobre a importância do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para a educação brasileira. Segundo o ministro, o Enem hoje é a porta de entrada para muitas universidades federais e aproxima o jovem carente de um futuro melhor porque, ao contrário do vestibular tradicional, oferece mais oportunidades de acesso.  “O jovem preparado para o vestibular tradicional tá mais do que preparado para o novo Enem. O Enem deixa de cobrar a memorização de formular e datas. O Enem quer avaliar a capacidade analítica do aluno. Quem se sai bem no vestibular tradicional, se sai bem no Enem.



Serra cobra mais “engajamento” de USP e Unicamp  (Folha de S.Paulo – Cotidiano – 27/08/09)

O governador José Serra (PSDB-SP) pediu ontem “engajamento mais rápido” da USP e da Unicamp nos cursos a distância. Previa-se que a USP oferecesse neste ano curso não presencial, de licenciatura em ciências, em convênio com o governo estadual -projeto chamado de Univesp. Em junho, a USP adiou o programa, por discordância com o modelo. A Unicamp nem apresentou proposta.



Univesp lança 1º curso a distância  (Jornal Agora – Dicas – 27/08/09)

A Secretaria de Ensino Superior do Estado de São Paulo lançou ontem, na capital, o primeiro curso semipresencial da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo). A graduação é em pedagogia e se destina a professores da rede pública e privada do Estado. Serão 1.350 vagas e a previsão é que as aulas tenham início no primeiro semestre de 2010. A data das inscrições e do vestibular não foram definidas. Também foi assinado ontem um protocolo de intenções entre a secretaria e o Centro Paula Souza, pelo qual serão oferecidas 3.200 vagas para o curso de tecnologia em processos gerenciais. A previsão é que as aulas comecem no segundo semestre de 2010. Além das duas formações, serão oferecidos cursos extracurriculares, on-line, de inglês e espanhol para cerca de 10 mil alunos do Centro Paula Souza.  A Univesp foi criada pelo decreto n.º 53.536, em 9 de outubro de 2008. Segundo o governo, o objetivo é ampliar o acesso à educação superior pública, em parceira com as universidades paulistas USP (Universidade de São Paulo), Unicamp (Universidade de Campinas) e Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), além do Centro Paula Souza.