28/03/2018 / Em: Clipping

 

Educação em SP: melhores notas em ciclos avaliados pelo MEC (Portal Governo SP – Últimas Notícias – 28/03/2018)

Com 253 mil profissionais, maior rede de ensino do Brasil alcança marca inédita em levantamento do Governo Federal

 

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado pelo Ministério da Educação em 2016, revelou que São Paulo foi o primeiro Estado do Brasil a ocupar simultaneamente o topo do ranking nacional nos três ciclos avaliados. Trata-se de um fato inédito desde que o exame foi criado, em 2007. Na avaliação das performances de todas as redes estaduais de ensino, o MEC verificou que as unidades paulistas tiveram as notas mais elevadas tanto nos anos iniciais (1º ao 5º) quanto nos finais (6º ao 9º) do Ensino Fundamental, assim como no Médio. O Ideb é o melhor indicador de que a população dispõe para avaliar a qualidade do aprendizado. Para chegar ao índice, o Ministério calcula a relação entre rendimento escolar e desempenho em Português e Matemática na Prova brasil, aplicada nos ensinos Fundamental e Médio. Ao todo, a rede estadual atende 3,7 milhões de alunos, por meio do trabalho de 253 mil profissionais das 5,3 mil escolas. Realizado a cada dois anos, o monitoramento identifica as áreas em que a educação avança e funciona como uma ferramenta para orientar os pais sobre o desenvolvimento no aprendizado. De acordo com o Ideb, a educação paulista apresentou evolução tanto no Ensino Fundamental quanto no Ensino Médio. Nos primeiros anos do Fundamental (1ª a 5 ª série), o Estado é líder, passando de 5,7 em 2013 para 6,4 em 2015, média superior à estabelecida pelo Governo federal para o ano de 2019, de 6,3. O resultado positivo também se verificou entre o 6º e o 9º ano desse mesmo ciclo, avançando de 4,4 (2013) para 4,7 (2015). No Ensino Médio, os números evoluíram de 3,7 para 3,9 no período da avaliação de 2013 para a de 2015. Nesse ciclo se concentra a maior parte dos estudantes da rede pública estadual.

 

 

 


Nível de dificuldade de provas do Enem não vai aumentar neste ano, diz Inep (Destak – Educação – 28/03/2018)

Anúncio de que segundo dia de avaliação teria 30 minutos a mais causou repercussão nas redes sociais

 

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) informou nesta terça-feira (27) que a ampliação do tempo dado aos candidatos para fazer a prova no segundo dia do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) não é indicativo de uma prova mais difícil. O instituto diz que o conteúdo das provas do Enem é definido pelas Matizes de Referência, que estão disponíveis no portal da instituição. O anúncio feito pelo Inep de que a prova de exatas teria o prazo estendido em 30 minutos provocou repercussão nas redes sociais; a mudança, no entanto, foi bem vista por professores e estudantes, de acordo com a Agência Brasil. Pelo edital do Enem, o primeiro dia da prova (linguagens e ciências humanas) terá cinco horas e meia de duração; no segundo dia, a prova (ciências da natureza e matemática) terá cinco horas (até 2017, esta prova tinha quatro horas e meia de duração). As provas do Enem deste ano serão realizadas em 4 e 11 de novembro. As inscrições para o Enem devem ser feitas das 10h de 7 de maio até 23h59 de 18 de maio.