28/04/2015 / Em: Clipping

 


Faculdade com curso a distância usa mais web nos cursos presenciais   (Globo.com – G1 Vestibular – 27/04/15)

As instituições de ensino superior que oferecem cursos de educação a distância (EAD) têm mais costume de usar técnicas de ensino online também para seus alunos presenciais. Segundo estudo divulgado na tarde desta segunda-feira (27) pelo Sindicato de Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp), todas as faculdades e universidades que têm alunos de EAD aproveitam, nos cursos presenciais, a carga horária permitida pelo Ministério da Educação (MEC) para atividades a distância. O estudo ouviu 20 instituições –dez que já oferecem cursos a distância, duas atualmente em processo de abertura da modalidade EAD, seis que pretendem aderir à modalidade a médio e longo prazo, e duas que afirmam preferir apenas a modalidade presencial. O Semesp representa mantenedoras de faculdades, universidades e centros universitárias de vários estados brasileiros, e afirma ter feito a pesquisa também entre instituições não representadas pelo sindicato. Uma mesma mantenedora pode ser responsável por diversos polos de EAD e campi presenciais. Por causa de termos de confidencialidade, a lista de instituições participantes da pesquisa não foi divulgada.

Alunos negros ocupam aula de Haddad para pedir cota racial na USP   (Globo.Com – G1 Vestibular – 27/04/15)

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, teve a sua aula no curso de pós-graduação em ciência política na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP) interrompida duas vezes nesta segunda-feira (27). Antes de  manifestantes do movimento social formado por moradores de Parelheiros, na Zona Sul de São Paulo, invadirem a aula para pedir transporte público para a região, um grupo de alunos do movimento negro Ocupação Preta entrou na sala para discutir a falta de uma política mais efetiva de cotas racias na USP. Haddad permitiu aos alunos ocuparem a sala e sentarem nas carteiras junto com os alunos de pós-graduação. Os estudantes negros reclamaram das dificuldades do acesso à universidade e da falta de alunos e professores negros na USP.

Apenas 5% dos alunos do ensino médio dos EUA querem ser professor   (Globo.Com – G1 Vestibular – 27/04/15)

O pouco interesse de estudantes do ensino médio em se tornar um professor, diretor ou conselheiro escolar não é exclusivo do Brasil, onde dificuldades como baixos salários, violências nas salas de aula e pouca valorização da profissão são apontados como fatores de fuga de novos docentes. Uma pesquisa feita com estudantes do último ano do ensino médio dos Estados Unidos mostra que apenas 5% deles têm interesse em ser um educador. O estudo foi feito com os questionários preenchidos por 1,85 milhão de alunos que fizeram o American College Testing (ACT), um teste de proficiência que pode ser usado para admissão nas universidades americanas, assim como o SAT. Os números mostram que nos últimos anos este interesse vem caindo. Em 2010, o índice de estudantes interessados em ser professor era de 7%. Em 2011 e 2012, 6%. Em 2013 o índice caiu para 5%, mesmo número alcançado em 2014.