29/09/2010 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga aprovados na 1ª fase de seleção para vagas remanescentes  (Globo.Com – G1 Vestibular – 28/09/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta terça-feira (28) a lista dos aprovados no exame de conhecimentos gerais do processo seletivo para vagas remanescentes 2011. Os estudantes passaram para a fase de compatibilidade curricular. Os candidatos convocados deverão comparecer na Diretoria Acadêmica (DAC), da Unicamp, no Pavilhão Básico do campus de Campinas (final do corredor), no período de 4 a 8 de outubro, das 9h às 16h30.



Unicamp divulga aprovados na 1ª fase do processo seletivo para vagas remanescentes  (UOL – Vestibular – 28/09/10)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) publicou nesta terça-feira (28) a relação de candidatos aprovados na primeira fase do processo seletivo para vagas remanescentes 2011. Confira: 

Os selecionados precisam entregar a documentação exigida entre os dias 4 e 8 de outubro, das 9h às 16h30, na DAC (Diretoria Acadêmica), em Campinas. Para essa etapa de análise de compatibilidade de curricular foi convocado um número de candidatos que equivale ao máximo de três vezes o número de vagas existentes no curso.



Unicamp divulga lista de convocados para vagas remanescentes  (Terra – Vestibular – 28/09/10)

A Comissão Permanente para Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulga nesta terça-feira a lista de convocados para a fase de Compatibilidade Curricular para as Vagas Remanescentes 2011. Confira aqui se você está entre os convocados.  Os candidatos convocados devem comparecer na DAC, no Pavilhão Básico do campus de Campinas entre os dias 4 a 8 de outubro, das 09h às 16:30h, levando cópias autenticadas e/ou originais dos seguintes documentos:



Unicamp divulga lista de convocados para nova fase das vagas remanescentes  (EPTV – Virando Bixo – 28/09/10)

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta terça (28) a lista de convocados para a fase de Análise de Compatibilidade Curricular do processo seletivo para as vagas remanescentes de 2010. São oferecidas 529 vagas em 51 opções de cursos. Puderam se inscrever no processo alunos matriculados em cursos de graduação da Unicamp e de outras instituições de ensino superior, além de portadores do diploma reconhecido de curso superior diferente do curso pretendido. O processo tem em três fases: Exame de Conhecimentos Gerais (ECG), Análise de Compatibilidade de Currículo e Prova Específica de Conhecimento. Além dessas três etapas, há provas de Habilidades Específicas para os seguintes cursos: Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música. O ECG, obrigatório a todos os candidatos, foi realizado no dia 12 de setembro, sendo constituído de 40 questões de múltipla escolha das seguintes disciplinas: Português, Inglês, Matemática, Física, Química, Biologia, Geografia e História.  



Veja a lista de aprovados na 1ª fase do processo seletivo para vagas remanescentes no vestibular 2011 da Unicamp  (Globo On Line – Vestibular – 28/09/10)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) divulgou nesta terça-feira (27) a relação de candidatos aprovados na primeira fase do processo seletivo para vagas remanescentes 2011. Os selecionados precisam entregar a documentação exigida entre os dias 4 e 8 de outubro, das 9h às 16h30, na DAC (Diretoria Acadêmica), em Campinas. Para essa etapa de análise No total, foram recebidas 570 inscrições. São oferecidas 529 vagas em 51 opções de curso. Podiam participar desta seleção alunos matriculados em cursos de graduação da Unicamp e de outras instituições de ensino superior, além de portadores do diploma reconhecido de curso superior diferente do curso pretendido. As provas da primeira fase foram realizadas em 12 de setembro. No dia 6 de dezembro acontecerá a convocação para as provas específicas de conhecimento, que serão aplicadas entre os dias 13 e 18 de dezembro para os candidatos que tiverem seus currículos julgados compatíveis com o semestre escolhido.



Unicamp divulga lista de aprovados em transferência (Jornal Agora – Dicas – 29/09/10)

A lista de aprovados na primeira fase do processo seletivo para as vagas remanescentes da Unicamp já está disponível no site da instituição. Os convocados deverão entregar a documentação exigida entre os dias 4 e 8 de outubro, das 9h às 16h30, na diretoria acadêmica. A lista de alunos com currículos compatíveis será divulgada no dia 6 de dezembro. Os convocados passarão por provas de conhecimentos específicos nos dias 13 e 18 de dezembro.



Primeiros 4 anos do fundamental ditam aproveitamento no superior  (O Estado de S.Paulo – Vida& – 29/09/10)

As quatro primeiras séries do ensino fundamental são as mais decisivas para que os estudantes do ensino superior demonstrem melhor aproveitamento, impactando, assim, o nível das faculdades de forma positiva. Segundo pesquisado Insper (ex-Ibmec-SP), Estados onde o primeiro ciclo tem os melhores índices de avaliação apresentam instituições de ensino superior com maior qualidade. A pesquisa mostra os níveis da educação básica nos quais mais esforços deveriam ser concentrados para que a eficiência das instituições de ensino seja melhorada. A idéia foi medir o impacto que o ensino básico tem no superior, por região do País. A Região Sul foi a que obteve o melhor resultado – portanto, é a que apresenta as instituições de ensino mais eficientes na relação entre o desempenho do ensino básico e a qualidade do ensino superior: 97,2% de aproveitamento. A Região Nordeste é a pior, com 64,9%. A Região Sudeste obteve 87,3%; a Centro-Oeste, 75,3%; e a Norte, 65,6%. A pesquisa considerou como premissa os alunos terem cursado o ensino básico e o superior no mesmo Estado. Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores fizeram cálculos estatísticos com dados das 27 unidades federativas. Foram utilizados dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) – que mede o fluxo escolar e apresenta médias de desempenho dos anos iniciais e finais do ensino fundamental e do ensino médio– e um produto representado pela média do Índice-Geral de Cursos da Instituição (IGC), o indicador de qualidade das instituições de ensino superior do Ministério da Educação. “São as turmas de 1.ª a 4.ª série que merecem mais atenção. Os investimentos no ensino superior têm sido maiores que no ensino básico” afirma Maria Cristina Gramani, uma das autoras do estudo. “Um fato relevante que mostra como o primeiro ciclo precisa de mais investimentos é o próprio salário dos professores, menor que o daqueles que dão aula para classes de 5.ª a 8.ª. ”Para Maria Cristina, a Região Sul obteve a melhor posição porque seus Estados têm redes menores e apresentam políticas educacionais mais consistentes. Perspectivas. Para o professor Romualdo Portela de Oliveira, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), os principais investimentos que devem ser feitos nos primeiros anos do ensino fundamental consistem em discutir o gasto mínimo por aluno e elevar os recursos em relação ao magistério. “Temos de aumentara atratividade e melhorara formação e as condições de trabalho dos professores para conseguirmos reter os melhores profissionais”, explica Oliveira. Segundo ele, as diferenças entre as regiões seriam atenuadas com mudanças no valor mínimo dos alunos. “O custo-aluno em São Paulo é o dobro do dos Estados mais pobres do Nordeste. ”Claudia Petri, gerente de projetos do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), lembra que, além da valorização dos professores, as políticas públicas devem focar, principalmente, uma discussão do currículo e da organização do tempo na escola. “Nosso currículo é extenso demais, o professor não dá conta. Além disso, precisamos rever a duração das aulas. ”Para o coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, a pesquisado Insper mostra que, em Estados onde há políticas próprias para o ensino médio, a influência desta fase na qualidade do ensino superior é maior. “Além disso, o estudo reafirma que, quanto antes a criança ingressar na escola, maior o impacto disso no ensino superior.”O coordenador para o setor de Educação da Unesco, Paolo Fontani,concorda e vai além: para ele,o Brasil deve investir nos primeiros anos da educação infantil. “É ali que se eliminam as diferenças sócias culturais e econômicas. Quem faz uma boa educação infantil está pronto para aprender melhor”, afirma. “A pré-escola top tem bons professores, formados em boas instituições. O ensino superior tem uma grande contribuição a dar à educação básica”.



Ensino fundamental e médio – Universidade, o grande objetivo (Correio Popular – Edições Especiais – 29/09/10)

O Colégio Liceu Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora criou, em 2008, o curso Liceu In Vest, em que seus alunos recebem um preparo complementar para enfrentar o desafio dos vestibulares. Para envolver a comunidade no projeto e incentivar a formação universitária, em 2009 a escola abriu o programa para 15 estudantes de escolas públicas de Campinas. Eles participaram do Liceu In Vest e tiveram aulas com o conteúdo do ensino preparatório para o vestibular, equivalente aos de colégios particulares e cursinhos. São cinco alunos de escolas públicas em cada turma, dos três períodos do Ensino Médio, selecionados por apresentar os melhores desempenhos no processo seletivo realizado pelo próprio colégio. Essa ação continua fazendo parte das atividades curriculares a cada semestre.“Priorizamos escolas públicas aqui da região, até por conta da locomoção dos alunos. Entramos em contato com os coordenadores das instituições explicando a nossa proposta e pedindo que indiquem cinco alunos, de qualquer turma do ensino médio, para participar do processo seletivo. Foram 80 estudantes concorrendo a 15 vagas nas turmas do cursinho preparatório”, explicou a coordenadora da escola, Ana Cláudia Ribeiro da Motta Cortez. Segundo Ana Cláudia, a receptividade dos alunos do colégio, que também fazem o Liceu In Vest, foi muito boa. “Nós até nos surpreendemos com os nossos alunos que receberam com empolgação a notícia dos novos colegas. Eles ficaram orgulhosos por estudarem em uma escola com esse tipo de iniciativa e se preocuparam em acolhê-los muito bem”, disse.A costureira Shirley Lira da Silva, de 52 anos, disse que ficou empolgada quando as filhas foram indicadas para participar da seleção de um cursinho preparatório bem estruturado. “Foi uma alegria e muito gratificante. A minha felicidade veio em dose dupla, pois as minhas duas filhas, que são gêmeas, foram indicadas na época pela professora da Escola Estadual Gustavo Marcondes para fazer a prova. Passaram e hoje estudam no Liceu com uma perspectiva de realizar o sonho de entrar em uma universidade pública, de preferência a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)”, afirmou.Shirley e o marido, que não têm renda suficiente para manter os filhos em escolas privadas, estão radiantes e orgulhosos das duas caçulas. “Não tenho palavras para descrever a minha felicidade, para mim é a realização de um sonho. Mas, com certeza, as duas são merecedoras de tudo isso. Sempre foram muito estudiosas e disciplinadas. Ao contrário das mães que precisam pedir para os filhos fazerem lição e estudar, eu tenho que ficar de olho para elas não passarem da conta”, afirmou. As irmãs gêmeas Carolina e Gabriela Gerônimo, de 15 anos, estudaram bastante para conseguir uma vaga no cursinho. “Não estamos no mesmo nível acadêmico que os alunos de lá, então tivemos que correr atrás mesmo. Mas não tem problema, a gente gosta de estudar e tem facilidade para aprender qualquer matéria”, disse Carolina.Gabriela também acha que a união entre elas ajudou bastante na preparação para a seleção. “Nós estamos sempre juntas e nos ajudamos muito. Quando uma tem dificuldade, a outra ajuda. Com certeza esse cursinho vai ser um diferencial para nós entrarmos em uma universidade pública”, apostou.

PROGRAMA

O programa Liceu In Vest tem como objetivo intensificar o hábito do estudo diário, aprofundar os conteúdos exigidos nos principais vestibulares, motivar o aluno leitor e escritor, desenvolvendo gosto pela leitura analítica. Também incentiva o raciocínio lógico por meio de resolução de problemas matemáticos. O curso é desenvolvido em aulas extracurriculares que ocorrem aos sábados, das 8h às 12h25, com intervalo de 15 minutos para o lanche, oferecido pelo próprio colégio.

INTEGRAÇÃO

Pelo bom desempenho, assiduidade e comprometimento, quatro alunos da rede pública foram convidados para serem alunos do Liceu, dos quais três aceitaram e hoje são estudantes regulares do colégio, além de fazer parte do In Vest. Com o apoio da escola, receberam de parceiros do Liceu material didático e uniforme.

UNICAMP

No último dia 9, o Conselho Universitário da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aprovou o Programa de Formação Interdisciplinar Superior (Profis), que vai destinar 120 novas vagas de graduação aos melhores alunos das 96 escolas públicas de Ensino Médio de Campinas. O projeto-piloto destinará as vagas a partir de 2011 e os estudantes serão selecionados de acordo com o desempenho obtido no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Mais informações sobre o Profis no endereço eletrônico www.prg.basico.unicamp.br/portal.

Ensino fundamental e médio – A preparação começa cedo (Correio Popular – Edições Especiais – 29/09/10)

Um momento especial e ao mesmo tempo assustador na vida de muitos jovens: o vestibular. Mas se a questão for tratada de forma natural, como mais uma etapa do processo de formação de qualquer estudante, o que parece ser um bicho de sete cabeças pode se transformar em algo muito mais simples. É o que acontece com a proposta pedagógica do Instituto Educacional Imaculada (IEI). O aluno tem uma preparação ao longo de todos anos em que está na escola, para que, quando chegar ao ano anterior ao do teste, não encontre tantas dificuldades e nem entre em desespero, o que acontece com muitos deles, por estar próximo de um momento tão esperado. “A nossa preparação começa na educação infantil, uma formação que vem desde cedo, quando eles ainda são pequenos. Até porque é de extrema importância que esse o processo de aquisição de conhecimento seja gradual, para quando o aluno chegar no Ensino Médio ter uma base sólida do que foi aprendido, de disciplina e organização do estudo”, afirmou a diretora da escola, Silvana Ribeiro da Cruz. Segundo a diretora, a escola tem uma proposta de educação integral, que leva em consideração também a formação espiritual do jovem. Por esses diferenciais, o IEI consegue trabalhar a formação do jovem desde criança e Silvana garante que os frutos colhidos são certos. “Nossos alunos têm ótimas notas e colocações em universidades particulares e também no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Mas isso é algo para se fazer a longo prazo e não quando o estudante chega ao terceiro ano”. Quanto às aulas extras, a diretora diz que é necessário o aumento da carga horária no último ano. “Esse tempo a mais que o aluno fica no colégio é para os professores fazerem uma revisão dos conteúdos passados no primeiro e segundos anos do Ensino Médio”. E as aulas específicas de redação, requisito importante dos vestibulares, são ministradas a partir do primeiro ano, mas não apenas focadas no vestibular. “Nós queremos que o nosso aluno escreva bem. Fazer uma boa redação na prova é uma consequência”, afirmou. A estudante do segundo ano Stephani Gagliardi Amantini, de 16 anos, estuda desde pequena na escola e acredita que o aprendizado crescente é muito melhor e saudável para o aluno. “Esse sistema que o colégio adota é muito bom, principalmente nos últimos três anos, que é quando se intensificam os estudos voltados para o vestibular”, disse.Para Stephani, o processo traz muito mais segurança para quando chega o momento tão esperado dessa prova de fogo. “Sinto-me preparada, pois a preocupação e o ensino é contínuo. Fora que, no ano que vem, meu último ano no colégio, vamos ter a revisão, que vai ajudar bastante. A gente sente menos pressão”. Com relação à família, ela garante que o apoio é essencial. “Além de saberem da excelente preparação que o Imaculada proporciona, me apoiam e me dão muita força”, ressaltou. No último ano do Ensino Médio, o estudante Lucas Toledo Saccon, de 18 anos, acredita que o método utilizado pela escola é o mais adequado. “Eles são exigentes mas não começam a fazer isso em ano de vestibular, o que pode deixar qualquer aluno sob uma pressão desnecessária. A cobrança grande ocorre sempre, em partes, desde o primeiro ano, e isso facilita para nós”, afirmou. Segundo Lucas, o tempo destinado para a revisão e as horas a mais que fica na escola são vantajosos. “Nesse último ano, a carga é mais pesada, porém, necessária para dar tempo de revisar tudo”. Outro aspecto importante são as aulas de redação. “Aqui nós aprendemos a escrever para qualquer contexto, incluindo o vestibular. Eu até me surpreendi comigo mesmo nas aulas. Antes não era muito bom com a escrita e hoje já estou tirando notas boas. Virou um hobby”, comentou.
“Terceiro ano do Ensino Médio não faz milagre e o aluno não vai aprender tudo de uma vez. É um compromisso que tem que ser assumido desde cedo”.

SILVANA RIBEIRO DA CRUZ
Diretora do Instituto Educacional Imaculada (IEI)