30/04/2015 / Em: Clipping

 


Unicamp divulga calendário do Vestibular 2016; inscrições iniciam em agosto   (EPTV – Virando Bixo – 29/04/15)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta quarta (29) o calendário do seu Vestibular 2016. As datas foram definidas em comum acordo com instituições responsáveis por outros vestibulares paulistas – USP, Unesp, Unifesp, ITA, Famerp, PUC-SP, Famema e PUC-Campinas –, em reunião realizada no dia 14 de abril, na sede da Vunesp, em São Paulo. As inscrições para o Vestibular 2016 da Unicamp terão início dia 3 de agosto e deverão ser feitas até 3 de setembro. O valor da taxa de inscrição ainda não foi definido. A primeira fase será realizada dia 22 de novembro e a segunda acontecerá nos dias 17, 18 e 19 de janeiro.



Unicamp e Unesp divulgam calendário do vestibular 2016   (Veja – Educação – 29/04/15)

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) divulgaram nesta quarta-feira os calendários do vestibular 2016 das instituições. As inscrições para o vestibular da Unicamp terão início no dia 3 de agosto e deverão ser feitas até o dia 3 de setembro. A primeira fase do vestibular será realizada no dia 22 de novembro e a segunda fase acontecerá nos dias 17, 18 e 19 de janeiro de 2016. A primeira chamada será divulgada no site da Comvest (comissão permanente para os vestibulares) no dia 12 de fevereiro e as matrículas não presenciais serão realizadas entre os dias 13 e 14 de fevereiro.



Unicamp tem 16 cursos entre os 100 melhores do mundo  (Correio Popular – Cidades – 29/04/15)

Dezesseis cursos de graduação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estão entre os 100 melhores do mundo em suas categorias de acordo com ranking da QS Quacquarelli Symonds University, divulgado terça-feira (28). A instituição analisou a qualidade de 36 cursos nas principais universidades do planeta. Três graduações da Unicamp ficaram entre as 50 melhores do mundo: odontologia (17º), engenharia agrícola (30º) e engenharia elétrica (47º). A Unicamp foi a segunda universidade do Brasil com mais cursos na lista, atrás da Universidade de São Paulo (USP), que teve 29. Em oito cursos, a USP está entre as 50 melhores. Para classificar os cursos, a QS analisou a reputação acadêmica, a empregabilidade do aluno depois de formado e o impacto das pesquisas realizadas em cada faculdade. A organização internacional de pesquisa em educação classifica o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação. Foram avaliados cursos como os de engenharia, direito, medicina, filosofia, estatística e até carreiras mais novas, como estudos de desenvolvimentos, mais comuns em universidades da Europa e Estados Unidos. No site de QS, foi divulgada a posição no ranking apenas das 50 universidades mais bem posicionadas em cada curso. Do 51º lugar em diante, foram indicadas apenas as universidades que estavam na lista, sem a colocação. O coordenador geral da Unicamp, Alvaro Crósta, afirmou que considera a posição excelente e que a reitoria está satisfeita com a avaliação. “É uma competição muito intensa, com centenas de universidades e também muitas instituições mais jovens”, disse. Ele afirmou que avaliação é feita com informações disponibilizadas na base de dados da Unicamp e com outras adicionais, requisitadas à universidade. Contam na avaliação, segundo Crósta, o número de docentes, alunos estrangeiros, orçamento da faculdade, orçamento para pesquisa e arrecadação junto a empresas para projetos. “Este ranking, feito na Inglaterra, é considerado o de maior impacto internacional. Por isso é sim muito importante para a Unicamp”.



Unicamp cai novamente em ranking mundial de ‘universidades jovens’   (Globo.Com – G1 Vestibular – 29/04/15)

Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) voltou a cair no ranking das 100 melhores universidades fundadas há menos de 50 anos e agora aparece na 42º posição, ante o 37º lugar no ano passado e o 28º lugar em 2013. A lista foi divulgada nesta quarta-feira (29) pela revista britânica Times Higher Education (THE). Mais uma vez, a Unicamp foi a única instituição brasileira a figurar no ranking. A classificação analisa as universidades com menos de meio século de história por meio de 13 indicadores de performance, como investimento em inovação, reputação, média de professores por aluno, premios para doutores, produção acadêmica, professores e alunos estrangeiros.



Teenager realiza Fórum de Universidade, Empresas e Profissões   (Sejabixo – Notícias – 29/04/15)

Realizado anualmente pela Teenager Assessoria Profissional, em parceria com o Colégio Dante Alighieri, o evento tem como objetivo propiciar, de forma participativa, o contato entre os futuros universitários, as instituições de ensino superior, as profissões existentes e o dia a dia do profissional de diversas áreas, despertando a curiosidade do aluno, fazendo com que o mesmo sinta-se responsável nesse processo educativo e de crescimento pessoal. Durante o evento, os alunos recebem informações sobre o funcionamento dos cursos em diversas áreas: a grade curricular, o sistema de avaliação, a metodologia de ensino – e também sobre o mercado de trabalho das carreiras: salário médio, onde se pode trabalhar, o dia-a-dia da profissão. O evento ainda oferece um plantão de dúvidas para esclarecimentos, palestras e workshops e testes de orientação profissional. Todas as informações estão relacionadas à pesquisa realizada, anualmente, pela Teenager sobre as principais dúvidas dos jovens na hora de escolher a profissão.



Alunos da USP protestam a favor de cotas para negros em universidades   (Folha Online – Educação – 30/04/15)

Cerca de 30 pessoas, segundo a Polícia Militar, protestam na manhã desta quinta-feira (30) em frente ao portão principal da USP (Universidade de São Paulo), na zona oeste de São Paulo.  Os manifestantes querem a ampliação de cotas para negros em universidades. Na página do Facebook, o grupo afirma que “nossa universidade, em pleno 2015, insiste em seguir excluindo o povo pobre e negro do direito à educação pública. Entendemos isso como uma violação de direitos humanos, além da prova do caráter antidemocrático da USP”.

Unicamp cai, mas segue a melhor universidade ‘jovem’ da América Latina  (Folha Online – Educação – 29/04/15)

A Unicamp caiu da 37ª para a 42ª posição no ranking britânico Times Higher Education, um dos mais importantes do mundo. O levantamento considera nesse recorte apenas escolas com menos de 50 anos.  Apesar da queda, a Unicamp é a única escola da América Latina na lista, que considera as cem melhores do mundo em 2015. A Unesp já chegou a figurar no ranking, mas saiu em 2013.  O ranking faz esse recorte por considerar que ele sinaliza quem pode ser no futuro novas Harvard ou Oxford, ou seja, as melhores universidades do mundo. Segundo o editor do ranking, Phil Baty, “é preocupante que a Unicamp continue perdendo posições, pois já havia caído em 2014, ainda que se manter no top 50 seja um grande resultado”.