30/05/2012 / Em: Clipping

 

site da FAPESP
Unicamp entre as 50 do mundo com menos de 50 anos   (Fapesp – Especiais – 30/05/12)

A Quacquarelli Symonds (QS), que produz o ranking TopUniversities, divulgou um novo ranking que destaca uma universidade brasileira. No “The QS Top 50 Under 50”, que lista as 50 principais universidades do mundo com menos de 50 anos, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ocupa a 22ª posição. A relação seleciona as instituições de ensino superior mais “jovens” e melhor colocadas no “QS World University Rankings”, produzido anualmente desde 2004. O ranking determina as posições das universidades de acordo com uma série de indicadores, entre os quais reputação acadêmica, relação entre número de professores e de estudantes, citações de trabalhos científicos e número de pesquisadores estrangeiros que trabalham na instituição. “Esta classificação é importante ao demonstrar que as noções básicas que nortearam a fundação da Unicamp deram resultado e são reconhecidas. Entre esses fundamentos estavam, por exemplo, trazer para a Unicamp alguns dos melhores professores do Brasil e do exterior”, disse Fernando Ferreira Costa, reitor da Unicamp, à Agência FAPESP.



Últimos dias para solicitar isenção da taxa de inscrição do Vestibular UNICAMP 2013  (SejaBixo _ Mural – 29/05/12)

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) encerra, na próxima quinta-feira, dia 31 de maio, as inscrições para solicitar a Isenção da Taxa de Inscrição do Vestibular Unicamp 2013. Os interessados devem preencher o formulário de solicitação específico disponível exclusivamente em www.comvest.unicamp.br.



Pedidos de isenção para vestibular Unicamp 2013 vão até quinta   (IG – Educação – 29/05/12)

Os interessados em solicitar isenção de taxa de inscrição para o vestibular Unicamp 2013 têm prazo até quinta-feira, dia 31 de maio, para preencher o formulário no site www.comvest.unicamp.br. Para finalizar o processo de inscrição, o candidato deve enviar a documentação exigida (descrita no edital) pelos Correios para a Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) até a mesma data. A isenção é oferecida para candidatos de família de baixa renda (renda líquida máxima de R$700,00 por morador do domicílio), funcionários da Unicamp/Funcamp e para aqueles que se candidatarem aos cursos de licenciatura em período noturno (Ciências Biológicas, Física, Letras, Licenciatura Integrada Química/Física, Matemática e Pedagogia). Para todas as modalidades é necessário ter cursado da 5ª a 8ª série (ou 6º ao 9º ano) do ensino fundamental e o ensino médio integralmente em instituições da rede pública de educação; ser residente e domiciliado no Estado de São Paulo e já ter concluído ou concluir em 2012 o ensino médio.



Unicamp recebe pedidos de isenção para vestibular 2013 até esta quinta  (O Estado de S.Paulo – Educação – 29/05/12)

A Unicamp recebe até a próxima quinta-feira, 31, os pedidos de isenção da taxa de inscrição no vestibular 2013. As inscrições devem ser feitas no site da Comvest, organizadora do processo seletivo (www.comvest.unicamp.br).  Para finalizar o processo de inscrição, o candidato deve ainda enviar a documentação necessária (descrita no edital), por correio. A falta de qualquer documento e/ou o envio após o prazo excluem o candidato do processo. O valor da taxa de inscrição para o vestibular ainda não foi definido.Os pré-requisitos para todas as modalidades são: ter cursado da 5.ª a 8.ª série (ou do 6.º ao 9.º ano) do ensino fundamental e o ensino médio integralmente em instituições da rede pública de ensino; ser residente e domiciliado no Estado de São Paulo e já ter concluído ou concluir em 2012 o ensino médio.



Unicamp encerra nesta 5ª prazo para pedir isenção da taxa de inscrição   (EPTV – Virando Bixo – 29/05/12)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) encerra nesta quinta (31) o prazo para solicitar a isenção da taxa de inscrição do Vestibular 2013. Os pedidos devem ser efetuados no site www.comvest.unicamp.br. A documentação necessária, descrita em edital, deverá ser enviada pelo correio também até esta quinta. O valor da taxa de inscrição do vestibular ainda não foi definido. As isenções da taxa de inscrição do vestibular da Unicamp são oferecidas em três modalidades: 1 – para candidatos provenientes de família com renda líquida máxima de R$ 700 por morador do domicílio; 2 – funcionários da Unicamp/Funcamp; e 3 – para aqueles que se candidatarem aos cursos de Licenciatura em período noturno (Ciências Biológicas, Física, Letras, Licenciatura Integrada Química/Física, Matemática e Pedagogia). Os pré-requisitos para todas as modalidades são ter cursado da 5ª a 8ª séries (ou do 6º ao 9º anos) do Ensino Fundamental e o Ensino Médio integralmente em instituições da rede pública, ser residente no Estado de São Paulo e já ter concluído ou concluir em 2012 o Ensino Médio.



Terminam amanhã os pedidos de isenção no vestibular da Unicamp  (Folha Online – Educação – 30/05/12)

Termina na quinta-feira (31) o prazo para os candidatos pedirem isenção da taxa de inscrição do vestibular 2013 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Os pedidos devem ser feitos pelo site da Comvest. O valor da taxa ainda não foi definido. O candidato que solicitar a isenção deve enviar a documentação necessária pelo correio também até o dia 31. A falta de qualquer documento ou o envio após o prazo excluem o candidato do processo. As isenções da taxa de inscrição são oferecidas para candidatos provenientes de famílias com renda de até R$ 700 per capita, funcionários da Unicamp e para os candidatos aos cursos de licenciatura em período noturno (ciências biológicas, física, química, letras, matemática e pedagogia).



Governo quer aumentar número de médicos formados no país   (Gazeta do Povo/Curitiba – Vida na Universidade – 25/05/12)

O governo federal estuda meios de aumentar a quantidade de médicos disponíveis para a população, incrementando o número de profissionais formados nas universidades brasileiras. De acordo com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, a meta é aumentar em 4 mil vagas a capacidade do sistema de ensino até 2020. Conforme o estudo Demografia Médica no Brasil, publicado em dezembro do ano passado pelo Conselho Federal de Medicina, há 1,95 médico por mil habitantes no Brasil. A proporção é inferior à de países com economia menor do que a brasileira como Cuba (6,39), a Grécia (6,04), Portugal (3,76), a Argentina (3,16) e o México (2,89). “Por sermos a sexta economia do mundo, pelo nosso PIB [Produto Interno Bruto] per capita há um déficit de médicos”, admitiu Mercadante. O ministro calcula que, para chegar a 2,5 médicos por mil habitantes até 2020, é preciso abrir 9 mil vagas, “o que é absolutamente impraticável, porque vaga em medicina tem que abrir com segurança, tem que ter qualidade”.



O que cai na prova de matemática do Enem  (Universia Brasil – Destaque – 30/05/12)

A Universia Brasil, maior rede ibero-americana de colaboração universitária presente em 23 países, destrinchou todo a prova de matemática do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Temos todas as matérias mais cobradas de 1998 a 2011. Além disso, conversamos com o professor do cursinho pré-vestibular Oficina do Estudante graduado pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Rodolfo Borges, que comentou as competências mais demandadas e ofereceu dicas de estudo para cada uma. “As provas de matemática do Enem demandam muita interpretação, leitura e, por isso, são cansativas. Porém, é um exame que não pede muito conteúdo, cujas questões podem facilmente ser resolvidas em até 4 minutos. Raras são aquelas em que o aluno gasta mais do que isso”, disse Borges.  De 2009 a 2011, no entanto, viu-se um aumento da cobrança de conteúdo na prova do Enem. Ele ficou mais com a cara de vestibular, principalmente porque passou a ser a única forma de ingresso a muitas universidades no País. “O Enem tende, sim, a ser mais conteudista, porém com um limite; jamais como a Fuvest ou a Unicamp“, aponta Rodolfo Borges. O novo Enem – e a prova de matemática não foge disso – está em um meio termo entre as provas antigas (de 1998 a 2008) e os exames de grandes universidades brasileiras, como a USP, Unicamp ou UFRGS. “As questões de geometria, por exemplo, são, na sua maioria, triviais; fáceis de serem resolvidas, se o aluno manter a calma e for resistente suficientemente a um exame tão cansativo.” E qual é a melhor forma de estudar para o Enem de matemática? “Exercícios. O aluno tem que estar ‘afiado’ na lição de casa para que chegue à prova e não se assuste com a resolução do problema na hora”, explica. Além disso, o professor destaca que o estudante tem que ter boa leitura, porque, mesmo na prova de matemática, essa competência é pedida.



Luis Nassif
O papel da universidade   (Carta Capital – Política – 30/05/12)

Participei na manhã de ontem de um seminário em São Paulo sobre universidade e empreendedorismo. O expositor norte-americano trouxe um conjunto de informações sobre essas relações, nos Estados Unidos que, a rigor, batem em muito com a realidade brasileira – guardadas as devidas proporções. O questionamento ao papel da universidade começou a se dar na segunda metade dos anos 90. O isolamento, a compartimentalização, os “papers”, como única maneira de avaliar desempenho, o distanciamento das empresas e do entorno, tudo isso deu margem a uma enorme discussão sobre o papel da universidade. A discussão se resolveu com um trabalho do físico Britto Cruz. Nele, definia que o papel principal da universidade era o ensino. Depois, a pesquisa. Eventualmente, a inovação. Mas o ambiente central para a inovação eram as empresas. A partir dessa visão, verbas de pesquisa foram direcionadas para que empresas contratassem pesquisadores, comandando a inovação.