30/09/2008 / Em: Clipping

 

Vestibular – Cursos específicos exigem dupla preparação dos vestibulandos (Correio Popular – Cidades – 30/09/08)

Provas de aptidão são obrigatórias para faculdades como arquitetura e dança

Enquanto muitos terceiro anistas estão se desdobrando nessa reta final para deixar em dia as matérias convencionais para o vestibular, outros têm de arrumar um tempo extra para as provas específicas ou de aptidão, obrigatórias nos cursos de artes cênicas, música, dança, artes plásticas, audiovisual ou arquitetura. Essas provas são responsáveis pela avaliação das habilidades e talentos de cada candidato para a carreira que pretendem seguir. Vale lembrar que não é a hora de aprender essas habilidades. O momento é de treiná-las e lapidá-las, pois as universidades buscam candidatos que já estejam familiarizados com o assunto. No caso do curso de música, por exemplo, o vestibulando precisa tocar algum instrumento e saber ler partituras. Em artes cênicas, ter habilidades no palco e, no caso de arquitetura, a habilidade deve estar nas mãos, já que a vaga pode ser garantida nos traços do desenho. O estudante Lucas Gonçalves Simões Vieira, de 18 anos, sabe bem disso. Será a segunda vez que ele tentará ingressar em arquitetura em uma universidade pública e, por isso, acredita que está mais preparado para a prova específica. “No ano passado, até cheguei a passar na segunda fase de alguns vestibulares, mas não tinha me preparado direito para a prova específica. Este ano é diferente. Entrei no cursinho Objetivo e lá faço aula extra com um professor renomado na área de arquitetura” , diz Vieira. Assim como na Universidad de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) só oferece a prova de aptidão uma semana após o candidato enfrentar a última maratona da 2 fase do vestibular. Neste ano, serão exigidas provas específicas apenas nas áreas de artes (música, artes cênicas, dança, música e artes plásticas) e de arquitetura. O curso de odontologia não terá mais esse tipo de avaliação. Na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), a prova é aplicada uma semana antes do vestibular geral, somente para os candidatos de 1 e 2 opção de arquitetura. “A prova só é classificatória, não reprova ninguém. Contudo, ajuda a selecionar melhor os alunos e formar uma turma de qualidade” , afirma o diretor da Faculdade de Arquitetura da PUC-Campinas, Ricardo Badaró. Na Unicamp, as provas de aptidão são cruciais para a entrada do estudante no curso escolhido, contudo, se o candidato escolheu uma 2ª opção, ele poderá ser realocado nesta opção.

Cursinhos

Para atender à demanda de alunos que optam por esses cursos, alguns cursinhos pré-vestibulares já oferecem aulas extras de diversas aptidões para os estudantes. A Cooperativa do Saber, por exemplo, oferece aulas específicas para todas as habilidades e ainda abre as portas da instituição para estudantes de fora, que pagam somente por essas aulas. “Diferentemente dos outros cursinhos, oferecemos aulas específicas para a prova de aptidão de todas as áreas e têm dado muito certo. A procura é grande até por quem não é nosso aluno” , diz o coordenador pedagógico André Bellinati. Rafael Mekfenas, de 20 anos, que concorre a uma vaga em música na Unicamp, é um dos que aprovaram essas aulas extras oferecidas pelo cursinho. “Estou gostando bastante das aulas, pois são bem voltadas para o vestibular” , disse o estudante, que toca guitarra há alguns anos. Para Tiago Emanuel de Oliveira, de 20 anos, irá prestar artes plásticas na Unicamp e diz que o vestibular é mais temido do que a própria prova de aptidão. “Já desenho desde moleque e dou aulas particulares de desenho artístico e de história em quadrinhos, por isso estou mais tranqüilo. Só faço as aulas extras porque não adianta só saber desenhar, preciso conhecer mais sobre história da arte.”

Demanda

Na Oficina do Estudante, as aulas específicas só são oferecidas se houver demanda de alunos matriculados. “Neste ano, por exemplo, só temos demanda para os cursos de audiovisual, arquitetura e design” , afirma a coordenadora pedagógica Daniela Migliorini. O cursinho Objetivo também aplica testes específicos para candidatos da área militar. “Os estudantes passam tanto por testes na área psicológica, que mais reprova, quanto na de resistência física. O candidato sai daqui preparado para a maratona de provas” , diz a orientadora vocacional Maria Francisca de Mello.

PUC lança curso de teologia para leigos

A PUC-Campinas passa a oferecer neste ano o curso de bacharelado em teologia. Será oferecido no período noturno e voltado apenas para leigos – o curso já existe no matutino para a formação presbiterial. O objetivo da universidade é formar alguém que saiba dialogar com as diversas áreas do saber no mundo acadêmico e que também faça uma leitura crítico-teológica com o mundo em que vivemos. Para concorrer a uma vaga, não é necessário ter conhecimento básico em teologia. “É possível dar um curso desses para todas as religiões, sim, principalmente pela forma como os temas teológicos serão abordados, de maneira ecumênica” , afirma o diretor adjunto da Faculdade de Teologia, padre José Luiz Araújo. “Nosso intuito é oferecer disciplinas filosóficas também. Dessa forma, o curso poderá ser reconhecido tanto pelo MEC (Ministério da Educação) quanto pelo Vaticano” , diz Araújo. A duração do curso será de cinco anos. Mais informações pode ser obtidas pelo site www.puc-campinas.edu.br. (JF/AAN)

PONTO DE VISTA

Liana Maura Naked Tannus

Diretora da Faculdade de Terapia Ocupacional

Profissão da saúde

Terapia ocupacional é a profissão da saúde que visa à promoção, o cuidado e a reabilitação da qualidade da vida ocupacional (trabalho, lazer e automanutenção) de pessoas ou grupos objetivando a autonomia e a independência. O terapeuta ocupacional é responsável pela avaliação, tratamento e reabilitação de pessoas que apresentem as atividades cotidianas modificadas por disfunções físicas, mentais ou questões sociais. Os recursos terapêuticos são atividades artísticas, artesanais, lúdicas, profissionais e de automanutenção e autocuidado. As avaliações levam em consideração o indivíduo em sua totalidade (história, interesses, necessidades e características). As ações terapêuticas são interdisciplinares com profissionais da área da saúde, da educação e outros possibilitando um cuidado integral. O mercado de trabalho são instituições privadas, governamentais ou não-governamentais, tais como: hospitais, clínicas, unidades básicas de saúde, centros de assistência social e empresas, entre outros.

SAIBA MAIS

A Unicamp disponibiliza as provas de aptidões de anos anteriores pelo site www.comvest.unicamp.br.