30/10/2015 / Em: Clipping

 


Vestibular: Unicamp libera locais de prova da primeira fase   (Terra – Educação – 30/10/15)

Atenção vestibulandos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)! Já estão disponíveis os locais de prova da primeira fase, que será realizada em 22 de novembro. Para consultar os dados é necessário apenas digitar o nome ou o número de inscrição no vestibular. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) também enviou aos candidatos uma mensagem com a informação do local e orienta que todos cheguem com uma hora de antecedência, às 12h.



Unicamp divulga locais de prova do Vestibular 2016; 1ª fase será no dia 22 de novembro  (EPTV – Virando Bixo – 30/10/15)

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou nesta sexta (30) os locais de prova da 1ª fase do Vestibular 2016, marcada para o dia 22 de novembro. Para realizar a consulta, o candidato deve acessar o site www.comvest.unicamp.br e digitar o nome ou o número de inscrição no vestibular. A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) também enviou a todos os candidatos uma mensagem com a informação do local. No Estado de São Paulo, a Unicamp vai aplicar as provas de seu vestibular em cinco novas cidades: Araçatuba, Avaré, Franca, Guaratinguetá e Osasco.



Unicamp divulga locais de prova da 1ª fase do Vestibular 2016   (SejaBixo – Notícias – 30/10/15)

Os candidatos ao Vestibular Unicamp 2016 já podem consultar, em www.comvest.unicamp.br, o local onde irão fazer a prova da primeira fase, a ser realizada no próximo dia 22 de novembro. Para a consulta é necessário apenas digitar o nome ou o número de inscrição no vestibular.



Unicamp divulga os locais de prova do vestibular 2016    (UOL – Vestibular – 30/10/15)

Os locais de prova da primeira fase do vestibular 2016 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) já estão disponíveis. O candidato deve fazer a consulta pela internet, no site www.comvest.unicamp.br. O processo seletivo vai oferecer 3.320 vagas, distribuídas em 70 cursos. O vestibular ofereceu 77.760 inscritos. O total é 0,8% maior que o do ano passado (73.818 inscritos).

Cansado e querendo desistir? Descanse, diz aprovada em 5 universidades   (UOL – Vestibular – 30/10/15)

A maratona de vestibulares começou e o desânimo teima em aparecer na vida de muitos estudantes. A ansiedade das provas e o medo de não alcançar o resultado esperado são sensações que conseguem barrar qualquer rotina de estudos nessa fase. Para evitar que o problema se agrave, as dicas de ouro são: descansar e esfriar a cabeça, segundo a aluna de medicina Ana Luísa Smith Rocha, 19, que passou nos vestibulares da USP (Universidade de São Paulo), Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Uneb (Universidade do Estado da Bahia – 1º lugar) e UFBA (Universidade Federal da Bahia – 7º lugar). “Nessas horas eu me permitia descansar e esfriar um pouco a cabeça para evitar estafa. Dê um tempo [nos estudos]. Todos nós precisamos relaxar e nos acalmar. Foque na sensação de ver seu nome na lista. Todo o sacrifício, todo o tempo de estudo. Tudo isso vai valer a pena”, aconselha a jovem universitária. “Se possível, converse com alunos que já estão nos cursos e faculdade que você deseja entrar. Talvez ouvir os relatos deles lhe dará um ânimo para continuar seguindo em frente nessa reta final”, acrescenta. Ana nasceu em Salvador (BA) e se mudou para a cidade de São Paulo para começar as aulas na USP, instituição de ensino que escolheu cursar.



MEC quer mudar licenciatura e estuda criar residência para professores   (Veja – Educação – 29/10/15)

Após lançar a proposta de base curricular comum para o Ensino Básico, o Ministério da Educação (MEC) discute documento que norteará os currículos de todos os cursos de licenciatura e de pedagogia do país. Esse texto deve ir para consulta pública até o fim do ano que vem. A pasta também retoma a discussão sobre criar uma residência para os professores, nos moldes do que existe na área médica. Um dos principais objetivos é tornar os programas das graduações mais próximos da realidade de sala de aula. “Muitos cursos são mais voltados à formação científica do que à formação docente”, disse Manuel Palácios, secretário de Educação Básica do MEC. Na proposta de currículo do ensino básico, ainda em consulta pública, a opção do MEC foi de apresentar só objetivos de aprendizagem, e não como ensinar. No novo documento para as licenciaturas, haverá indicações sobre métodos. “O diagnóstico é de que o espaço para questões didáticas é pequeno na formação de professores”, explicou Palácios. “E mais importante do que selecionar um ou outro método, é que aqueles reconhecidos como válidos em cada área sejam objeto de discussão nos cursos.”