11/06/2007 / Em: Releases

 

Há três anos em vigor, o Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS) da Unicamp tem conseguido, sem fazer uso de cotas, promover a inclusão social na Universidade. Neste ano, o total de estudantes egressos de escolas públicas matriculados na Unicamp chegou a 32,4%, número um pouco superior aos 32% de 2006. Isso significa que do total de 3.061 ingressantes, 991 vieram de escolas da rede pública de ensino.

Um dos dados mais interessantes é que a porcentagem de matriculados de escolas públicas supera a demanda por vagas desse mesmo grupo: eles representaram 29,1% dos inscritos no Vestibular 2007. Essa razão entre a demanda e os que se matricularam na Unicamp (de 1,11) é a melhor dos últimos 14 anos e a segunda maior de toda a história do Vestibular Nacional Unicamp, tendo sido superada apenas em 1993, quando a razão foi de 1,17. Outro dado positivo refere-se à participação dos pretos, pardos e indígenas na Unicamp, que passou de 14,7% do total de matriculados em 2006 para 15,3% este ano. Do total de 3.061 matriculados, 469 se autodeclararam pretos, pardos ou indígenas este ano.

A porcentagem média de estudantes de escolas públicas entre os matriculados aumentou em 47 dos 60 cursos do Vestibular Unicamp nos três anos de vigência do PAAIS (2005 a 2007) em comparação com os três anos anteriores ao Programa. O resultado é ainda mais positivo nos cursos mais concorridos. Em Medicina, por exemplo, o número médio de estudantes de escolas públicas aumentou quase 130%. Na soma dos três anos anteriores ao PAAIS, eram 33 estudantes; número que subiu para 73 na soma dos três primeiros anos do Programa. Além de Medicina, Engenharia de Controle e Automação, Comunicação Social – Midialogia e Ciências Biológicas também registraram crescimento expressivo de egressos de escolas públicas (ver tabela).

O PAAIS

O PAAIS, aprovado pelo Conselho Universitário (Consu) da Unicamp em 2004, prevê que estudantes que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública brasileira recebam automaticamente 30 pontos a mais na nota final, após a segunda fase. Candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas que tenham cursado o ensino médio em escolas públicas podem ter, além dos 30 pontos adicionais, mais dez pontos acrescidos à nota final.

Vale lembrar que o primeiro colocado no Vestibular Unicamp 2007 optou por participar do PAAIS e recebeu 40 pontos de bonificação. João Francisco Ferreira de Souza, de 17 anos, teve a maior nota do vestibular: 759,57 pontos. Ele foi aprovado para o curso de Engenharia Química.

Dados 2002 a 2007 – Totais
Candidatos de Escolas Públicas:

Vestibular 2002: 14.526 (30,7%)
Vestibular 2003: 14.362 (30,9%)
Vestibular 2004: 15.854 (31,4%)
Vestibular 2005 (Primeiro ano do PAAIS): 18.339 (34,1%)
Vestibular 2006: 15.534 (31,3%)
Vestibular 2007: 14.630 (29,1%)

Matriculados de Escolas Públicas:

Vestibular 2002: 820 (30,6%)
Vestibular 2003: 854 (29,7%)
Vestibular 2004: 831 (28,0%)
Vestibular 2005 (primeiro ano do PAAIS): 1.021 (34,1%)
Vestibular 2006: 971 (32,0%)
Vestibular 2007: 991 (32,4%)

OBS.: Os dados da inclusão social no Vestibular Unicamp 2007, separados por curso, podem ser conferidos na tabela em anexo.