14/02/2007 / Em: Releases

 

João Francisco Ferreira de Souza, de 17 anos, conseguiu a maior nota do Vestibular Nacional Unicamp 2007, 759,57 pontos, o que fez dele o primeiro colocado do Vestibular. João Francisco nasceu em Belo Horizonte – MG, mas vive há 5 anos em Campo Grande, MS. Como o pai é militar, ele conta que sua vida foi quase cigana e por isso passou por várias escolas, em diferentes cidades. João Francisco fez o ensino médio no Colégio Militar de Campo Grande e não fez cursinho. Além da Unicamp, ele foi aprovado em diversas universidades, entre elas USP, Unesp e Ufscar. Foi a primeira vez que o estudante prestou o Vestibular Unicamp e ser o primeiro colocado o surpreendeu. “Não tinha noção de ter ido tão bem na Unicamp. Nem estou acreditando, fiquei muito feliz!”, conta.

João Francisco foi aprovado para o curso de Engenharia Química. Ele afirma que as disciplinas de exatas sempre lhe chamaram mais a atenção. “Desde a quinta série minhas maiores notas eram da área de exatas”, diz. “Estudar nunca foi uma tortura para mim. Adoro ler”, completa o estudante.

João diz que não é nenhum gênio e leva uma vida completamente normal. “Mesmo durante a época de preparação para os vestibulares, procurei manter minha vida social, continuei namorando e me divertindo. Porém, montei uma rotina que incluiu muitos exercícios e horas de estudo em casa, já que não fiz cursinho”, explicou.

PAAIS

Por ter cursado os três anos do ensino médio em escola pública, João teve direito aos 30 pontos do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social, o PAAIS. Além disso, também contou com os 10 pontos relativos à autodeclaração de cor/raça do PAAIS. “Sabia dessa possibilidade e como tenho direito, resolvi aproveitar”, afirmou João.

Para ele, a Unicamp está entre as melhores universidades do país. Por isso mesmo, ser o primeiro do vestibular é quase um sonho. “Ficar em primeiro para mim é uma lenda. Meus pais estão explodindo de alegria e orgulho”, disse.

O estudante conta que sonha alto e quer se preparar para ser pesquisador e cientista. “Vou dar o máximo de mim na universidade. Não vejo a hora de me envolver com as atividades nos laboratórios!”, completou.