05/02/2005 / Em: Releases

 

Aumento é reflexo do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social, que também fez subir o número de estudantes que se declararam pretos, pardos e indígenas em até 400%

A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) convocou um número recorde de estudantes oriundos de escolas da rede pública na primeira chamada do Vestibular 2005 para matrícula, em 15 de fevereiro: 962 candidatos. O número representa 32,8% dos 2.934 convocados em primeira chamada e é o maior da história do Vestibular. No ano passado, 24,2% dos convocados em primeira chamada haviam cursado o ensino médio em escolas públicas. O número de candidatos que se declararam pretos, pardos e indígenas convocados em primeira chamada também é recorde: 443, ou seja, 15,1% do total de convocados, contra 10,5% no ano passado. O aumento é reflexo direto do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS), aprovado pelo Conselho Universitário da Unicamp no ano passado e que passou a valer a partir do Vestibular 2005.

O PAAIS é uma alternativa ao sistema de cotas, já que não há reserva de vagas e a qualificação acadêmica continua sendo determinante na seleção. O Programa prevê 30 pontos a mais na nota final a alunos que cursaram o ensino médio integralmente em escolas da rede pública e 40 pontos para aqueles que além de ter estudado em escolas da rede pública se declararam pretos, pardos ou indígenas. O sistema adotado foi motivado por um estudo sobre quatro gerações de estudantes da Unicamp que ingressaram em meados dos anos 90. Este estudo mostrou que, em igualdade de condições, os ingressantes oriundos da rede pública apresentam, em média, melhor desempenho acadêmico, quando se leva em conta o curso e a nota do vestibular. O programa da Unicamp, levando em conta os dados do estudo, alia inclusão social e valor acadêmico, procurando a melhor forma de selecionar os mais aptos para seu corpo discente.

Em alguns cursos, o número de convocados de escola pública mais do que triplicou em relação ao ano passado, como em Medicina, onde quadruplicou, sendo convocados nesse ano 29 candidatos contra 07 no ano passado. No caso dos candidatos que se declararam pretos, pardos ou indígenas, a variação no número de convocados em primeira chamada chegou a triplicar e até quadruplicar em alguns cursos. Mais importante, nos cursos com maior demanda, os aumentos foram mais significativos: nos cinco cursos mais procurados da Unicamp, houve aumento de mais de três vezes dos convocados da rede pública e de mais de duas vezes dos que se declararam pretos, pardos ou indígenas. Ver tabelas anexas, incluindo séries históricas dos últimos seis anos (dados finais para 2005 são projeções).

Isenções
Outro recorde decorrente da preocupação da Unicamp em criar ações de inclusão social refere-se ao número de isentos convocados em primeira chamada. Neste ano, 189 candidatos que tiveram isenção da taxa de inscrição do Vestibular estão sendo convocados em primeira chamada, quase o dobro dos 98 convocados em 2004. O Programa de Isenções da Taxa de Inscrição do Vestibular faz parte do PAAIS e beneficiou todos os egressos de escola pública que se inscreveram para as licenciaturas noturnas, além de todos os que solicitaram isenção da taxa de inscrição e se enquadraram no perfil socioeconômico determinado pela Comvest, com mais de sete mil candidatos beneficiados. O estímulo às licenciaturas aumentou a procura por esses cursos e o resultado é um expressivo crescimento do número de isentos convocados em primeira chamada. Licenciatura em Ciências Biológicas passou de 01 no ano passado para 13 neste ano; Lic. em Matemática passou de 04 para 14 convocados; Lic. em Letras passou de 04 para 11 e Lic. Integrada em Química/Física passou de 04 para 10 convocados.


2000
2001
2002
2003
2004
2005
Escola pública
1ª chamada
24,5
25,8
26,7
25,9
24,2
32,8
final matriculados
30,7
28,9
30,6
29,7
28,0
36,4
Isentos
1ª chamada
1,2
0,9
1.0
1,8
3,3
6,4
final matriculados
1,6
1,2
1,2
2,3
4,0
7,1
Pretos, pardos e indígenas
1ª chamada
9,0
10,5
15,1
final matriculados
10,5
11,6
16,2