Uma metrópole de 242 anos e um milhão de habitantes

Campinas, a cidade onde está instalado o maior campus da Unicamp, é uma metrópole dinâmica e economicamente respeitada, com 1.164.098 habitantes. Está inserida em uma região que detém o terceiro PIB do Estado de São Paulo e o 11º do país. A Região Metropolitana de Campinas (RMC), da qual Campinas é o município sede, é uma das mais ativas no cenário econômico brasileiro. Seu parque produtivo alcança desde áreas industriais tradicionais (automotiva, têxtil, metalúrgica, alimentícia, petroquímica e farmacêutica) até nichos da produção de ponta em telecomunicações, eletrônica, informática e química fina.

Campinas é destaque na produção industrial nacional e tem forte representatividade no agronegócio, com uma área de cultivo do tamanho de cidades como Curitiba e Belo Horizonte. Campinas está entre os maiores polos de Ciência & Tecnologia do mundo, com grande número de instituições de pesquisas e vasta produção intelectual, representando um dos maiores centros universitários do Brasil, com cerca de 82 mil alunos matriculados no ensino superior. Sua produção científica e tecnológica registrou, em 2015, 1.094 linhas de pesquisa e inovação tecnológica e requisição de 62 patentes.

Qualidade de vida e infraestrutura

Campinas é a 15ª melhor cidade do Estado de São Paulo para se viver, de acordo com o último levantamento, realizado em 2010, doÍndice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), divulgado pelo Pnud (órgão das Nações Unidas) em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.

Os requisitos de avaliação levam em consideração as áreas de educação, renda e expectativa de vida. Campinas tornou-se umímã de investimentos por razões claras: segundo a consultoria Urban Systems, a cidade oferece a melhor infraestrutura do Brasil para os negócios. Também soma pontos a favor o fato de Campinas ter uma boa estrutura urbana. Os 20 municípios que compõem a Região Metropolitana de Campinas abrigam uma população de 3,09 milhões de habitantes, distribuídos em 3.791 km². É a décima maior região metropolitana do Brasil e a segunda maior região metropolitana de São Paulo; atualmente responde por 1,8% do Produto Interno Bruto nacional e 7,81% do PIB paulista, o que representa cerca de 103,5 bilhões de reais.

Pólo científico

A cidade que o futuro aluno da Unicamp vai encontrar é dotada de excelente infraestrutura nas áreas cultural, educacional, de lazer e entretenimento, além de concentrar o mais importante polo de tecnologia agrícola do Brasil. A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, coordena em Campinas o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), o Instituto Biológico (IB) e o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), responsáveis pelas atividades científicas e tecnológicas voltadas ao agronegócio.

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM)é uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) que possui quatro laboratórios de referência mundial, abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (Lnls) opera a única fonte de luz síncrotron da América Latina e está construindo o Sirius, novo acelerador brasileiro, de quarta geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos. As obras do Sirius estão entre as mais sofisticadas do País. Operam também no CNPEM, o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), que desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE), que investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), que realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país. Na área da saúde, Campinas conta com um dos mais respeitados e desenvolvidos centros de pesquisa e tratamento do câncer no mundo: o Centro Infantil Domingos Boldrini, que se destaca pelas grandes parcerias que tem conquistado ao longo dos 40 anos de existência e por ser o maior centro especializado na América Latina. Já o Hospital das Clínicas da Unicamp é um centro de referência e excelência que presta assistência complexa e hierarquizada, forma e qualifica recursos humanos e produz conhecimento. As previsões do final da década de 1990 envolvendo as áreas industrial, comercial, imobiliária e de serviços estão se confirmando e apontam Campinas e região como uma das áreas mais atraentes para novos negócios no Brasil e na América Latina. Empresas que tiveram origem na Unicamp respondem atualmente por um faturamento de cerca de R$ 1 bilhão por ano. Este é mais um dos indicadores do potencial de Campinas em gerar novos negócios em alta tecnologia. A movimentação econômica alavancou o projeto de ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, considerado o melhor aeroporto de cargas da América Latina pelo Air Cargo Excellence Awards 2016. Sozinho, o Terminal de Cargas (Teca) movimenta 40% das importações aéreas para o mercado brasileiro. Com sua expansão, em abril de 2016, o aeroporto passou a ter capacidade para atender 25 milhões de passageiros/ano, em um terminal moderno, que oferece conforto e segurança a seus usuários.

Cultura, lazer e esporte

Campinas possui cinco museus permanentes e abertos ao público, entre eles o Museu de Arte Contemporânea de
Campinas (MACC) e o Museu do Café (MUCA). Sete bibliotecas públicas preservam e difundem o patrimônio histórico e cultural, e retratam a memória de Campinas, garantindo à população o direito de acesso e uso gratuito da informação.

Cabe citar a Biblioteca Pública Municipal “Cora Coralina”, a Biblioteca Pública Infantil “Monteiro Lobato” e a Biblioteca
Braille, única biblioteca braille da região de Campinas e uma das poucas no interior do Estado de São Paulo. Cinemas, teatros, shopping centers, galerias de arte, estádios de futebol, praças de esportes municipais, ginásios esportivos, praças públicas, parques arborizados e um observatório municipal ajudam a compor o leque de opções e atrativos da cidade, além de uma completa rede hoteleira. Manifestações artísticas e culturais não faltam na cidade. Aqui, grupos de teatro e dança, criam, a cada dia, novos espetáculos e revelam novos talentos. Além disso, Campinas é uma das cidades brasileiras com o maior número de salas de cinema por habitante. Mesmo com o acelerado crescimento, a cidade ofereceáreas verdes transformadas em pontos de lazer, totalizando umaárea equivalente a cerca de 200 campos de futebol. No esporte, o Centro Esportivo de Alto Rendimento faz parte de um convênio firmado com o Governo Federal e a Prefeitura e ocupa uma área de 162 mil metros quadrados. Conhecida pela maioria das pessoas como feira hippie, a Feira de Arte, Artesanato, Antiguidades, Quitutes e Esotéricos de Campinas, anexa ao Teatro de Arena do Centro de Convivência Cultural, abre espaço para outras formas de manifestações culturais e oferece, aos finais de semana, produtos com qualidade, criatividade e originalidade, em um ambiente de entretenimento ao ar livre.