As provas de Habilidades Específicas para o curso de
Artes Visuais serão realizadas somente em Campinas,
de 20 a 22/01/2020.

 

Versão para impressão 

 

 

 

 

 

Os horários serão divulgados na página eletrônica da Comvest, a partir do dia 10/01/2020.

O curso de Artes Visuais tem como objetivo o desenvolvimento do conhecimento sensível por meio da percepção e da sensibilização estética. Sua finalidade não se restringe à formação de artistas visuais – trabalho para uma vida inteira de estudos e dedicação ao ofício – mas dirige-se para a formação técnica e poética de um sujeito criativo cuja produção e reflexão podem encontrar lugar nos mais variados campos culturais da sociedade onde se insere.

Trata-se de uma formação específica, que visa a capacitação do aluno no desenvolvimento da linguagem artística e de seus meios de produção para que possa empregar os conhecimentos adquiridos como artista visual; como professor licenciado em artes plásticas (seja de crianças, jovens ou adultos); como produtor autônomo de projetos artísticos próprios ou de outros artistas; ou como pesquisador na área das visualidades. É necessário que o candidato demonstre habilidade mínima para o desenho e a criação plástica, além de conhecimentos básicos sobre as artes visuais e sua história, e que demonstre interesse pelos estudos teóricos e práticos a serem desenvolvidos ao longo do curso.

Programa

A prova de Habilidades Específicas para o curso de Artes Visuais está dividida em:

I − História da Arte/Prova Teórica

A prova teórica, de caráter dissertativo, tem como conteúdo os seguintes temas da História da Arte:
a) arte brasileira e internacional na segunda metade do século XIX;
b) arte brasileira e internacional nos séculos XX e XXI.

II –Expressão Plástica/Prova Prática

A prova avalia a capacidade de observação, compreensão e construção de imagens ou pequenos objetos elaborados por meio de representação gráfica e expressiva dos variados elementos da linguagem visual.

Os candidatos deverão trazer obrigatoriamente os seguintes materiais:

− compasso;
− estilete;
− régua e esquadros;
− tesoura;
− cola bastão.

III – Entrevista e avaliação de apresentação de porta-fólio

A entrevista compreende a apresentação do candidato de seu porta-fólio, que deve constituir-se de até 15 peças ou trabalhos expressivos de sua autoria dentre aqueles considerados prontos ou em processo. Sugere-se limitar as dimensões dos trabalhos apresentados a 70 X 50 cm. Trabalhos de maior dimensão poderão ser apresentados por meio de fotografias. Além de trabalhos considerados finalizados, são bem-vindos cadernos de anotações e projetos, bem como outras formas de estudo que possam demonstrar seu interesse e o processo criativo do candidato na área das Artes Visuais e campos adjacentes.

 

Objetivo e Concepção das Provas

I − História da Arte/Prova Teórica:

Muito mais que a simples memorização de datas, movimentos artísticos e seus principais representantes, a prova de História da Arte visa avaliar a capacidade do candidato de compreender as manifestações artísticas de diversas tendências e períodos, localizando-as no panorama histórico de sua época. É importante notar que, na divisão efetuada entre a arte no Brasil e no exterior, com questões obrigatórias de uma e de outra, procura-se avaliar o conhecimento relativo às conexões e intersecções entre a arte produzida no exterior e a aqui realizada.

II – Expressão Plástica/Prova Prática

A prova avalia a capacidade de o candidato perceber, e representar e criar imagens e objetos a partir de situações elementares da linguagem visual. Procura-se identificar, também, a capacidade do candidato de observar, pensar, registrar e construir propostas plásticas dotadas de caráter expressivo e estético.

III − Entrevistas

As entrevistas são realizadas individualmente por uma banca composta por professores das áreas integrantes do Curso. Nesta etapa, procura-se aprimorar a avaliação em curso, por meio de informações complementares sobre o candidato e seus interesses na área específica. Ao apresentar porta-fólio contendo seus principais trabalhos e projetos, o candidato possibilita uma avaliação de seu percurso pessoal, cursos ou estudos específicos desenvolvidos até este momento.

 

Critério de Avaliação

O exame de Habilidades Específicas para o curso de Artes Visuais vale 48 pontos. A nota é composta pela soma das notas de três provas: História da Arte, Expressão Plástica e Entrevista. Cada uma dessas provas vale 16 pontos. Para ser considerado apto na prova de Habilidades Específicas para o curso de Artes Visuais, o candidato deverá obter no mínimo 18 pontos. Os candidatos que obtiverem nota menor ou igual a 18 na prova de Habilidades Específicas estarão desclassificados da 1ª opção, mas podem continuar concorrendo por uma vaga na 2ª opção, caso exista.

Aqueles que não comparecerem em qualquer uma das provas de Habilidades Específicas para o curso de Artes Visuais (História da Arte, Desenho ou Entrevista) ficam eliminados na primeira opção, mas continuarão concorrendo em segunda opção, caso ela exista.

Os critérios gerais de avaliação estabelecidos pela Comvest são:

I − Prova Teórica/História da Arte:

a) Demonstração de um conhecimento mínimo sobre o tema proposto;

b) Bom desenvolvimento e clara argumentação sobre o tema escolhido;

c) Capacidade para relacionar artistas, obras, estilos e movimentos artísticos, situando-os cronologicamente;

d) Capacidade de analisar obras e artistas em termos de características formais e temáticas.

 

II – Prova Prática/Expressão Plástica:

a) Capacidade de observar, analisar, representar graficamente, bem como de criar imagens ou objetos a partir das situações apresentadas pelas questões;

b) Compreensão das relações espaciais e de proporção entre objetos;

c) Uso e compreensão plástica dos elementos da linguagem visual;

d) Criatividade e imaginação aplicadas ao tema proposto.

 

III − Entrevista:

a) Interesse do candidato na área das Artes Visuais; sua história pessoal, cursos e trabalhos realizados;

b) Maturidade do candidato em relação às manifestações artísticas, à sua percepção e seu interesse cultural;

c) Interesse e conhecimentos prévios do candidato pela estrutura geral e projeto de curso da Unicamp.

 

Indicações Bibliográficas

AMARAL, Aracy. Artes plásticas na Semana de 22, São Paulo: Editora 34, 1998.

ARGAN, Giulio Carlo. A Arte Moderna, Do Iluminismo aos movimentos contemporâneos, São Paulo: Cosac & Naify, 1999.

CANONGIA, Lígia. O Legado dos Anos 60 e 70, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

CHIPP, Herstel B. Teorias da Arte Moderna, São Paulo: Editora Livraria Martins Fontes, 1998.

COLI, Jorge. Como estudar a arte brasileira do século XIX?, São Paulo: SENAC: 2005.

COCCHIARALE, Fernando. Quem tem medo da arte contemporânea?, Rio de Janeiro: Massangana, 2006.

DONDIS, A. Sintaxe da Linguagem Visual, São Paulo: Editora Livraria Martins Fontes, 1992.

FERREIRA, Glória. Escritos de artistas. Anos 60/70, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

FREIRE, Cristina. Arte Conceitual, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

GOMBRICH, Ernst. A História da Arte, Rio de Janeiro: LTC, 1999.

HARRISON, Charles. Modernismo, São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

HEARTNEY, Eleanor, Pós-Modernismo, São Paulo, Cosac & Naify Edições, 2002.

KANDINSKY, Wassily. Ponto e Linha Sobre o Plano, São Paulo: Editora Livraria Martins Fontes, 1990.

PEDROSA, Mário, Dos murais de Portinari aos espaços de Brasília, São Paulo: Perspectiva, 1981.

REIS, Paulo. Arte de Vanguarda no Brasil, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

BELL, Julian. Uma nova história da arte, São Paulo: Editora Martins Fontes, 2008.

(Esta bibliografia não é obrigatória. Trata-se apenas de sugestões para consulta).